Fundação PTI adere ao Programa Pró-Equidade de Gênero e Raça
Representantes do comitê do Programa de Pró-Equidade de Gênero e Raça apresentaram aos colaboradores o plano de ação desenvolvido para o Parque

Fundação PTI adere ao Programa Pró-Equidade de Gênero e Raça

A Fundação Parque Tecnológico Itaipu, na condução de suas ações de desenvolvimento regional, é norteada por valores éticos e morais, dentre eles o compromisso com o ser humano, a igualdade e a impessoalidade. Levando em consideração estes fatores, a Fundação aderiu ao Programa Pró-Equidade de Gênero e Raça.

O  Programa é uma iniciativa do Governo Federal, que, por meio da Secretaria de Políticas para as Mulheres e o II Plano Nacional de Políticas para as Mulheres, visa identificar, compreender e fazer a gestão de processos inter-relacionados que contribuam com a igualdade de direitos entre homens e mulheres que constituem a força de trabalho no interior das organizações.

Para que o programa tenha efetividade, são desenvolvidas ações para promover novas concepções na gestão de pessoas e na cultura organizacional. Ao aderir o programa, a Fundação PTI desenvolveu um plano de ação, que consiste em ter um maior cuidado no recrutamento de pessoas, dando oportunidades a todos os gêneros e o acompanhamento dos direitos e deveres. “Hoje nós estamos buscando implantar a 'licença paternidade' para mostrar que isso não é só um privilegio das mulheres”, conta a representante do comitê Jackeline Bittencourt de Lima.

Diversas ações serão realizadas nos próximos dias, como, por exemplo, enquetes para analisar a possível existência de atitudes preconceituosas dentro do Parque. “Nossas ações serão realizadas até maio de 2013, até porque é a quarta edição do Programa, mas queremos continuar trabalhando para que as diferenças inexistam dentro do Parque”, conta.

A organização, ao executar de maneira satisfatória as ações, ganha um instrumento de gestão eficiente – o selo Pró-Equidade de Gênero e Raça. Esse selo é uma certificação que atesta que a instituição promove ativamente a igualdade entre trabalhadoras e trabalhadores, mediante a adoção de requisitos do programa.

As categorias dos selos são bronze, prata ou ouro. A FPTI está concorrendo ao selo prata, pois as ações são voltadas à conscientização e sensibilização da força de trabalho e de transformações estruturais na gestão de pessoas e na cultura organizacional.

Para Jackeline, o selo irá representar que as atividades estão sendo realizadas no caminho certo. “Este selo mostrará que estamos no fluxo certo. O que mais importa é que exista um respeito com o próximo e, como estamos em uma região da tríplice fronteira, é necessário fazer com que o preconceito seja extinto. Assim, tudo dá certo, tudo caminha para o bem”, conclui.