Inscrições para o Programa de Inovação Aberta em Saneamento Ambiental encerram no dia 22  

Com quatro áreas temáticas, Programa Sanepar Startups vai investir R$ 1,5 milhão no desenvolvimento de soluções inovadoras no setor de água e saneamento ambiental.  

Startups de todo o Brasil têm até o dia 22 de novembro para se inscreverem no Programa de Inovação Aberta em Saneamento Ambiental (Sanepar Startups). A iniciativa, que vai investir R$ 1,5 milhão em projetos, tem como propósito promover e selecionar soluções inovadoras e sustentáveis para os desafios do setor de água e saneamento ambiental.  

As propostas poderão ser submetidas pelas empresas interessadas pelo formulário disponível no site: www.saneparstartups.com.br. Nesta primeira etapa do programa, serão destinados R$ 750 mil e cada empresa poderá solicitar recursos financeiros de, no mínimo, R$ 100 mil e, no máximo, R$ 150 mil, para testes e homologação das soluções,. 

Podem participar do programa empresas com projetos capazes de oferecer solução exequível, viável econômica e tecnologicamente. As propostas apresentadas devem ser voltadas para os processos de abastecimento de água e esgotamento sanitário nas quatro temáticas: Otimização de Processos Produtivos, Infraestrutura Resiliente e Sustentável, Recursos Hídricos e Clima e Melhoria na relação com o cliente. 

Como será o processo de seleção?  

Na primeira etapa, serão avaliadas propostas escritas com base em quatro critérios: aderência da inovação ao desafio, viabilidade da inovação, mercado e capacidade da equipe. 

Ao final do processo seletivo, poderão ser selecionadas até cinco empresas, podendo ser uma ou, no máximo, duas, por desafio. As empresas classificadas para o recebimento de recursos financeiros do edital deverão elaborar o plano de trabalho para testes e homologação das soluções, a serem desenvolvidas em até 12 meses, no Estado do Paraná, em uma unidade da Sanepar ou do Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR), a ser oportunamente definida pela organização do Programa.  

Por ocasião do desenvolvimento do trabalho, as startups terão acesso à infraestrutura da Sanepar e do PTI-BR, além de conexões com a rede de relacionamento dos parceiros envolvidos no Programa. 

Webinars 

Webinars para apresentação e tira-dúvidas sobre programa Sanepar Startups também estão sendo desenvolvidos. O próximo será nesta quinta-feira (11), às 10h, sobre os temas 3 e 4 (Recursos Hídricos e Clima, e Melhoria na Relação com o Cliente). As inscrições para acompanhar podem ser feitas pelo endereço: https://bit.ly/sanepar-startups-webinares. 

O webinar sobre Temas 1 e 2 (Otimização de Processos Produtivos, e Infraestrutura Resiliente e Sustentável), já foi realizado e pode ser conferido em: https://youtu.be/onZTpdRCyQk. 

Soluções Inovadoras 

Para o diretor de Negócios e Inovação do PTI-BR, Rodrigo Regis, o projeto é uma iniciativa em conjunto que irá estimular a inovação tecnológica sustentável e promover a aceleração de soluções inovadoras. “O programa abrirá possibilidades para conexões e geração de negócios, promovendo a qualificação e aceleração de empreendedores e projetos inovadores”, destacou. “Com a inovação aberta, startups terão a oportunidade de transformar suas ideias e soluções em um instrumento de negócios, gerando o desenvolvimento econômico e sustentável da região e do País”, complementou.  

Parceria  

O programa é uma parceria entre a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), a Financiadora de Projetos e Estudos (Finep) – vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), o Parque Tecnológico Itaipu Brasil (PTI-BR), o Governo do Estado do Paraná e o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Paraná (Sebrae/PR). 

Programa de Integração Universidade Empresa expande para municípios Oeste Paraná

O Programa de Integração Universidade Empresa, realizado por meio de convênio entre Itaipu Binacional e Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR), lançará em breve sua 3ª edição, dessa vez o foco será atender municípios do Oeste do Paraná. Nesta edição, serão atendidas 6 cidades: Medianeira, Marechal Cândido Rondon, São Miguel do Iguaçu, Santa Helena, Terra Roxa e Guaíra. Estes municípios foram escolhidos por suas características de mercado e também por ter ou estar próximo de polos universitários. O lançamento do edital para participar do processo seletivo ocorreu no dia 5 de novembro.

A gestora do Convênio por Itaipu, Luciany Franco, destaca que o objetivo desse programa é integrar e envolver estudantes, instituições de ensino superior e empresas, visando estimular e diversificar a economia da região, além de dar a oportunidade para os jovens acadêmicos darem o primeiro passo em suas jornadas profissionais. Com isso, expõe a gestora, o programa contribui com um dos principais pilares da Itaipu que é promover o desenvolvimento regional sustentável.

Serão concedidas 56 bolsas de R$ 800, ao longo de 9 meses, totalizando um investimento de mais de R$ 400 mil, realizados pela Itaipu Binacional e pelo Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR).

 

Oportunidade ímpar

Para Euclides Peres Faria Junior, professor do Instituto Federal do Paraná (IFPR), de Santa Helena, a universidade deve focar, além da formação acadêmica e na pesquisa, no mercado de trabalho.

“No momento em que estamos, a universidade tem o papel não só da formação acadêmica, mas também de fazer a preparação desse aluno para o mercado de trabalho. Esse programa é uma oportunidade ímpar para o desenvolvimento profissional deste aluno que será um futuro profissional”, disse o professor da IFPR.

Segundo Simone de Matos, diretora de indústria e comércio da secretaria de desenvolvimento econômico de Medianeira, o programa é uma excelente oportunidade para pequenas e microempresas que contam com menos recursos.

“A expectativa é estimular e ajudar os empresários, com menos recursos que grandes empresas, a encontrar soluções para seus problemas. Essas soluções serão encontradas dentro do município, com os nossos alunos que terão a oportunidade de colocar em prática aquilo que está estudando nas universidades”, explicou Simone.

 

Case de sucesso

De acordo com o general Eduardo Garrido, diretor superintendente do PTI-BR, o Programa de Integração Universidade Empresa é um case de sucesso em Foz do Iguaçu e agora outros municípios da região poderão participar.

“Só na primeira edição, tivemos mais de 170 bolsistas, dos quais as empresas mostraram interesse em efetivar 52% desses estudantes. Vimos um impacto positivo que este Programa proporcionou. Para os acadêmicos, uma experiência ímpar e, para os empresários, as soluções inovadoras apresentadas por essa nova geração. Essa integração cria oportunidades de desenvolvimento e geração de emprego e renda”, afirmou o general Garrido.

Com base nas duas primeiras edições houve um desenvolvimento no perfil profissional dos bolsistas, redução de evasão dos alunos nas instituições de ensino. Além disso, os empresários ficaram satisfeitos com a execução do projeto, somado ao valor agregado que o Parque Tecnológico Itaipu e a Itaipu Binacional trouxeram aos negócios, alcançando maior visibilidade no mercado.