Jovens talentos do Brasil e Paraguai são premiados na FIciencias 2021

Após meses de estudos, pesquisas e dedicação para desenvolver os projetos e apresentar os trabalhos aos avaliadores, os alunos de várias instituições públicas, federais e privadas que participaram da 10ª edição da Feira de Inovação das Ciências e Engenharias (FIciencias 2021) acompanharam nesta sexta-feira, dia 12, o anúncio dos ganhadores em várias categorias e da classificação geral. Este ano, foram enviados 99 projetos para a Feira, de Foz do Iguaçu e outras cidades do Paraná e do Paraguai.

A cerimônia de premiação e encerramento foi transmitida online. Foram premiados vários projetos, divididos em 7 categorias por áreas científicas e 6 de áreas técnicas. Além disso, os três primeiros da classificação geral receberam premiações em dinheiro: 1º lugar: R$ 5.000,00; 2º lugar: R$ 3.000,00; 3º lugar: R$ 1.500,00. O vídeo do projeto mais assistido e o vídeo do projeto mais curtido no youtube receberão R$ 500,00 cada um, mais passaporte para Dreamland.

Na classificação geral o vencedor foi o projeto “Speak Race – jogo digital como ferramenta de aprendizagem de Libras – Fase 2”, das alunas do Sesi de Curitiba, Eduarda Lopes Kurzawa e Giovana Pereira de Assis, orientadas pela professora Flávia Maria Gonzaga Ferreira Alves. As duas alunas desenvolveram um jogo digital para aprendizagem de Libras.

O objetivo do jogo é fazer com que o avatar vá de encontro com as “estrelas” para pontuação. Ao esbarrar em uma delas o jogador recebe uma pergunta sobre o conteúdo de Libras. O jogador terá duas chances para acertar, ao responder corretamente ele é bonificado, acumulando pontos até a passagem de fase.

“Nós duas temos interesse de ajudar a melhorar a sociedade e torná-la mais inclusiva. O Speak Racer é uma forma que encontramos de ajudar e estimular a responsabilidade social”, disse Eduarda.

Além do Speak Race, mais 4 projetos foram selecionados para a Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (FEBRACE), que é um programa de talentos em ciências e engenharia que estimula a cultura científica e o empreendedorismo em jovens e educadores da educação básica e técnica do Brasil. São eles: “Avaliação de fotobiorreatores de microalgas para sequestro de carbono e tratamento de chorume”; “Sensor de temperatura para colheitadeiras de Baixo Custo utilizando arduíno”; “Avaliação de diferentes concentrações de carvão ativado na neutralização de químicos em colmeias de Melípona quadrifasciata”; e “A bioética como instrumento de crítica às políticas públicas em saúde reprodutiva feminina e educação sexual no Brasil”.

 

FIciencias

A FIciencias é realizada pelo Parque Tecnológico Itaipu e pela Itaipu Binacional. Este ano foi realizado em parceria com 6 universidades (Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Universidade Estadual de Londrina (UEL), Universidade Estadual de Maringá (UEM), Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO) e Universidade Federal de Integração Latino-Americana (UNILA).

A cada edição está se consolidando como um dos principais eventos educacionais de estímulo à projetos científicos, com foco em produções de estudantes do ensino fundamental e médio, com espaço para ideias criativas e inovadoras.

Abaixo confira a relação dos vencedores em todas as categorias da Ficiencias 2021:

 

CIÊNCIAS AGRÁRIAS

3º LUGAR

Nome do projeto: Biofertilizante DIMU: uma alternativa para olericultura – fase V

Instituição de Ensino:  Jardim Porto Alegre, C E-EF M PROFIS

Cidade: Toledo

Orientador: Dionéia Schauren

Alunos: Geovanna Rubia Troller; Samara Do Nascimento Villiares

 

2º LUGAR

Nome do projeto: Uso de extratos a base de Hovenia dulcis uma alternativa sustentável em diferentes cultivos – FASE II

Instituição de Ensino:  Jardim Porto Alegre, C E-EF M PROFIS

Cidade: Toledo

Orientador: Dionéia Schauren

Alunos: Alisson Rodrigo Klauck

 

2º LUGAR

Nome do projeto: A Utilização de Resíduos Org Nicos na Produção de Cogumelos Comestíveis

Instituição de Ensino:  Colégio Estadual Marechal Castelo Branco

Cidade: Primeiro de Maio

Orientador: Leonardo Augusto Fernandez.

Alunos: Gabriela Moreira Messias Aparecido; Luisa dos Santos Mazzaro

 

1º LUGAR

Nome do projeto: Utilização do girassol como elemento biorremediador de solos contaminados

Instituição de Ensino:  Colégio Londrinense

Cidade: Londrina

Orientador: Murillo Bernardi Rodrigues

Alunos: Francisco Moraski da Silva e Pablo Meneguzzo da Silva

 

ENGENHARIA

 

3º LUGAR

Nome do projeto: Utilização do Bagaço da Cana-de-açúcar no processo de absorção do chorume – uma alternativa para evitar a contaminação do solo e lençol freático em aterros controlados

Instituição de Ensino:  Colégio Anglo Americano

Cidade: Foz do Iguaçu

Orientador: Juliana Ferreira

Alunos: Akkshayini Arunachalam; Enzo Michel Barbosa Feldman; Otávio Bernardes Milanez

 

3º LUGAR

Nome do projeto: Desenvolvimento de um sistema anexável a telhados capaz de gerar eletricidade a partir do impacto das gotas de chuva e do efeito piezoelétrico

Instituição de Ensino:  Primeiro de Maio

Cidade: Londrina

Orientador: Leonardo Augusto Fernandez

Alunos: Danilo Leati Nunes

 

2º LUGAR

Nome do projeto: Telha Termo Revest – Desenvolvimento de um revestimento para conforto acústico e/ou térmica

Instituição de Ensino:  Colégio Sesi Curitiba – CIC

Cidade: Curitiba

Orientador: Alexandre Bueno; Solange Guindani Coltro

Alunos: Isabelli Helena Hippler; Jayne Luiza da Silva Azarias; Lidielly Alcantara Jacinto

 

1º LUGAR

Nome do projeto: Tecnologia redutora de acidentes em viadutos e passarelas

Instituição de Ensino:  Colégio Estadual Marechal Castelo Branco

Cidade: Primeiro de Maio

Orientador: Silvia Monteiro Bonacéa; Dr. Aziz Elias Demian Junior

Alunos: Daniel Kendy Takeda Bueno; Gustavo Henrique Furtado Laurindo; Tiago Muglio Checo

 

CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS

 

3º LUGAR

Nome do projeto: MIC – Mulheres Inteligentes e Cientistas

Instituição de Ensino:  Antonio Fco Lisboa, C E-EF M PROFIS

Cidade: Sarandi

Orientador: Erinaldo Nascimento

Alunos: Cassia V. dos Santos Silverio, Elias H. Rabelo Ferreira, Julia A. de Lima, Ketlyn A. de Oliveira, Luana A. da Silva, Luana V. Cruz da Silva, Maristela M. Santos, Maysa R. Macedo, Sabrina M. Bianchi Brandão, Stephany B. Nespolo Botelho, Thamylli B. Lacava Gonzales

 

2º LUGAR

Nome do projeto: Assédio Moral no Ambiente Escolar

Instituição de Ensino:  Colégio Estadual Cívico Militar Tancredo de Almeida Neves.

Cidade: Foz do Iguaçu

Orientador: Bárbara Mafei Aguilera.

Alunos: Ana Karolina Recalde de Souza e Ana Rita Moreira de Oliveira

 

1º LUGAR

Nome do projeto: A bioética como instrumento de crítica às políticas públicas em saúde reprodutiva feminina e educação sexual no Brasil

Instituição de Ensino:  IFPR – Campus Campo Largo

Cidade: Campo Largo

Orientador: Angélica Aparecida Antonechen Colombo

Alunos: Ana Luiza Goularte da Silva; Julia Vitória Bianco; Laura Pelizzari Camilo

 

CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA

 

3º LUGAR

Nome do projeto: Programação Adaptada para Deficientes Visuais

Instituição de Ensino:  IFPR – Campus Paranaguá

Cidade: Paranaguá

Orientador: Rafael Rogora Kawano; Ilan Francisco da Silva

Alunos: Felipe Naoto Takiguchi

 

2º LUGAR

Nome do projeto: Papel ecológico para dibujos a base de bagazo de caña de azúca

Instituição de Ensino:  Colegio Privado Santa Cecilia

Cidade: San Cristóbal

Orientador: Julio César Zárate Bogado

Alunos: Tayla Laysa Manthey

 

2º LUGAR

Nome do projeto: Ajudee: um aplicativo como ferramenta para redução de problemas sociais no Brasil

Instituição de Ensino:  Colégio Bom Jesus Centro

Cidade: Curitiba

Orientador: Cornélio Schwambach

Alunos: Vitor Vavolizza

 

1º LUGAR

Nome do projeto: MASTECA – Tecnologia imersiva e inclusiva para o ensino da geometria

Instituição de Ensino:  Colégio Sesi Curitiba – CIC

Cidade: Curitiba

Orientador: Amanda Pugsley Nacarato

Alunos: Ever Felliphe Sousa da Costa; Livia de Souza Figueiredo; Yuri Ribeiro de Andrade Madzgaua

 

CIÊNCIAS HUMANAS

 

3º LUGAR 

Nome do projeto: Origem E Ascensão Da Homofobia: uma análise do papel capitalista na relação igreja-estado

Instituição de Ensino:  IFPR – Campus Paranaguá

Cidade: Paranaguá

Orientador: Davi Paula da Silva e Pedro Henrique Farina

Alunos: Giulia Gomes de Mello

 

3º LUGAR 

Nome do projeto: Mulheres no mundo da ciência: a trajetória de Trotula de Ruggiero na Alta Idade Média

Instituição de Ensino:  IFPR – Campus Campo Largo

Cidade: Campo Largo

Orientador: Giulia Gomes de Mello

Alunos: Maria Luiza Jaszczerski

 

2º LUGAR

Nome do projeto: Sequência didática para auxiliar no desenvolvimento da coordenação motora fina no período de transição da letra

Instituição de Ensino:  Colégio Interativa de Londrina

Cidade: Londrina

Orientador: Maria Fernanda da Costa Xavier

Alunos: Maria Eduarda Silva Nascimento e Talita Roque da Paz Rosa

 

1º LUGAR

Nome do projeto: “GuarAPPní – Aplicativo para el aprendizaje de vocabulario guaraní basado en los bits de inteligencia

Instituição de Ensino:  Colegio Privado Santa Cecilia

Cidade: San Cristóbal (Paraguai)

Orientador: Julio César Zárate Bogado

Alunos: Fiorella Margarita Zárate Roa

 

CIÊNCIAS DA SAÚDE

 

3º LUGAR

Nome do projeto: Incidência da Síndrome de Burnout e seus impactos nos professores em Tempos de Pandemia

Instituição de Ensino:  Monteiro Lobato, E E-EF

Cidade: Sertanópolis

Orientador: Francislene Sabaini Ramos Salmen

Alunos: João Paulo Oliveira Totti

 

3º LUGAR

Nome do projeto: Aprimoramentos Para Painéis Fotovoltaicos a fim de promover um aumento da adesão e eficiência de seu uso no litoral.

Instituição de Ensino:  IFPR – Campus Paranaguá

Cidade: Paranaguá

Orientador: Rafael Kawano

Alunos: Felipe Rodrigues Lazzarotto; Mario Pereira Lagos Neto; Pedro Lucas Gonçalves Lussani

 

2º LUGAR

Nome do projeto: Caixa e Transporte de Órgãos Automatizada

Instituição de Ensino: Escola Código Kid – Escola de Programação E Robótica

Cidade: Cascavel

Orientador: Maycon Gustavo Oliveira Loureço

Alunos: Rafaela Ribas

 

1º LUGAR

Nome do projeto: Alteração na capacidade ocular após a instauração do ensino e trabalho remoto.

Instituição de Ensino:  Instituto Filadélfia Colégio Londrinense

Cidade: Londrina

Orientador: Estevão Conceição Gomes Junior

Alunos: Heloisa Rodrigues Avelar; Isabela Nascimento Carvalho; Maria Beatriz Gardemann

 

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

 

3º LUGAR

Nome do projeto: Monitoramento de focos da dengue sob diferentes TRATAMENTOS

Instituição de Ensino: Colégio Londrinense

Cidade: Londrina

Orientador: Estevão Conceição Gomes Junior, Murillo Bernardi Rodrigues

Alunos:  Maria Beatriz Soncela Marcolini, Nicole Bernardo Silva, Leonardo Hideki Matsumoto Fukuda, Luiz Fernando Hencklain Blaaw Mattos

 

2º LUGAR

Nome do projeto: Uso de caldas orgânicas no controle de pragas e doenças em produções agrícolas – Fase V

Instituição de Ensino:  Jardim Porto Alegre, C E-EF M PROFIS

Cidade: Toledo

Orientador: Dionéia Schauren

Alunos: Kétlyn Victoria Turetta

 

1º LUGAR

Nome do projeto: Avaliação de diferentes concentrações de carvão ativado na neutralização de químicos em colmeias de Melípona quadrifasciata

Instituição de Ensino:  Jardim Porto Alegre, C E-EF M PROFIS

Cidade: Toledo

Orientador: Dionéia Schauren

Alunos: Isabelle Wunsch dos Reis

 

ÁREA TÉCNICA: DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PERSPECTIVA SOCIAL

 

3º LUGAR

Nome do projeto: Acessibilidade para deficientes visuais nos supermercados

Instituição de Ensino:  Colégio Estadual Professor Newton Guimarães

Cidade: Londrina

Orientador: Marcelo Birello Marchi

Alunos: Giovanna dos Santos Bento

 

2º LUGAR

Nome do projeto: Guarappní – aplicativo para el aprendizaje de vocabulario guaraní basado en los bits de inteligencia

Instituição de Ensino: Colégio Privado Santa Cecilia

Cidade: San Cristóbal

Orientador: Julio César Zárate Bogado

Alunos: Fiorella Margarita Zárate Roa

 

1º LUGAR

Nome do projeto: A problemática da pobreza menstrual: construção de protótipo para produção de absorventes de baixo custo

Instituição de Ensino:  Instituto Federal do Paraná – Câmpus Campo Largo

Cidade: Campo Largo

Orientador: Angélica Antonechen Colombo

Alunos: Anabelle Medeiros Barbosa; Jayane Wiezbicki

 

ÁREA TÉCNICA: DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PERSPECTIVA AMBIENTAL

 

3º LUGAR

Nome do projeto: Extrato aquoso de aloe vera como protetor térmico em folhas de citrus limon

Instituição de Ensino:  BIOPARK

Cidade: Toledo

Orientador: Jessica Angela Pandini Klauck

Alunos: Nathalie Feix de Souza; Tiemi Hirata Bogoni

 

2º LUGAR

Nome do projeto: Projeto seabin 2.0: uma estratégia de melhoria na poluição do mar em Pontal do Paraná

Instituição de Ensino:  Instituto Federal do Paraná – Campus Paranaguá

Cidade: Paranaguá

Orientador: Rafael Rogora Kawano

Alunos: Eduarda Vanda Rosa Costa

 

2º LUGAR

Nome do projeto: Da conscientização a preservação: abelhas sem ferrão no cotidiano escolar

Instituição de Ensino: Colégio Estadual Jardim Porto Alegre

Cidade: Toledo

Orientador: Dionéia Schauren

Alunos: Lais Furlanetto Bilert

 

1º LUGAR

Nome do projeto: Avaliação de diferentes concentrações de carvão ativado na neutralização de químicos em colmeias de melípona quadrifasciata

Instituição de Ensino:  Colégio Estadual Jardim Porto Alegre

Cidade: Toledo

Orientador: Dionéia Schauren

Alunos: Isabelle Wunsch dos Reis

 

ÁREA TÉCNICA: DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PERSPECTIVA ECONÔMICA

 

3º LUGAR

Nome do projeto: Fiber Blok: uma proposta para produção de reutilização de resíduos de fibra de vidro e poliestireno

Instituição de Ensino:  Colégio Sesi CIC Curitiba

Cidade: Curitiba

Orientador: Solange Guindani Coltro; Amanda Pugsley Nacarato e Alexandre Bueno

Alunos: Luana Dallastra Soares; Maria Eduarda Weiss; Thais Alves De Lima 

 

2º LUGAR

Nome do projeto: Aprimoramentos para painéis fotovoltaicos a fim de promover um aumento da adesão e eficiência de seu uso no litoral

Instituição de Ensino:  Instituto Federal do Paraná – Campus Paranaguá

Cidade: Paranaguá

Orientador: Rafael Rogora Kawano

Alunos: Felipe Rodrigues Lazzarotto; Mario Pereira Lagos Neto; Pedro Lucas Gonçalves Lussani

 

2º LUGAR

Nome do projeto: Sistema de baixo custo para aquecimento da água – VORTEX

Instituição de Ensino:  Colégio SESI Internacional

Cidade: Foz do Iguaçu

Orientador: Claudinei Hoffmann e Cristian Loch

Alunos: Liliane Nunes e Anthonny Parnoff

 

1º LUGAR

Nome do projeto: Sistema de reaproveitamento de águas residenciais

Instituição de Ensino:  Instituto Federal do Paraná – Campus Paranaguá

Cidade: Paranaguá

Orientador: Rafael Rogora Kawano

Alunos: Hans Fillip Emsters; Pedro Lucas Morim; Raquel Valicziki

 

ÁREA TÉCNICA: AVANÇOS TECNOLÓGICOS

 

3º LUGAR

Nome do projeto: Sensor de temperatura para colheitadeiras de baixo custo utilizando arduino

Instituição de Ensino:  Colégio Estadual Marechal Castelo Branco

Cidade: Primeiro de Maio

Orientador: Silvia Monteiro Bonancéa

Alunos: Calebe Rodrigues Caleffi, Eduarda Gabriela do Amaral Prado e Yasmin dos Santos Claudino

 

2º LUGAR

Nome do projeto: Programação Adaptada Para Deficientes Visuais

Instituição de Ensino:  Instituto Federal do Paraná – Campus Paranaguá

Cidade: Paranaguá

Orientador: Rafael Rogora Kawano; Ilan francisco da Silva

Alunos: Felipe Naoto Takiguchi

 

1º LUGAR 

Nome do projeto: KITE: aplicativo como alternativa para auxiliar na saúde mental de jovens com ah/sd

Instituição de Ensino:  Instituto Federal do Paraná – Campus Jacarezinho

Cidade: Jacarezinho

Orientador: Heloisa Gabriela Paterno

Alunos: Grazielle Rodrigues da Silva

 

ÁREA TÉCNICA: EMPREENDEDORISMO

 

3º LUGAR

Nome do projeto: Guarappní – aplicativo para el aprendizaje de vocabulario guaraní basado en los bits de inteligencia

Instituição de Ensino:  Colégio Privado Santa Cecilia

Cidade: San Cristóbal

Orientador: Julio César Zárate Bogado

Alunos: Fiorella Margarita Zárate Roa

 

2º LUGAR

Nome do projeto: Biofertilizante Dimu: uma alternativa para a olericultura – Fase V

Instituição de Ensino:  Colégio Estadual Jardim Porto Alegre

Cidade: Toledo

Orientador: Dionéia Schauren

Alunos: Geovanna Rúbia Troller; Samara do Nascimento Villiares

 

1º LUGAR

Nome do projeto: Confecção de vídeogame com uso de arduino, para computadores e televisões, a partir de lixo eletrônico

Instituição de Ensino:  Colégio Estadual Professor Flávio Warken E.F.M.P

Cidade: Foz do Iguaçu

Orientador: Gilberto Nunes

Alunos: João Felipe Ferreira de Oliveira

 

ÁREA TÉCNICA: CRIATIVIDADE E INOVAÇÃO

 

3º LUGAR

Nome do projeto: Programação Adaptada Para Deficientes Visuais

Instituição de Ensino:  Instituto Federal do Paraná – Campus Paranaguá

Cidade: Paranaguá

Orientador: Rafael Rogora Kawano; Ilan francisco da Silva

Alunos: Felipe Naoto Takiguchi

 

2º LUGAR  

Nome do projeto: Confecção de vídeogame com uso de arduino, para computadores e televisões, a partir de lixo eletrônico

Instituição de Ensino:  Colégio Estadual Professor Flávio Warken E.F.M.P

Cidade: Foz do Iguaçu

Orientador: Gilberto Nunes

Alunos: João Felipe Ferreira de Oliveira

 

2º LUGAR 

Nome do projeto: Speak Race – Jogo Digital Como Ferramenta De Aprendizagem De Libras – Fase 2

Instituição de Ensino: Colégio Sesi Internacional de Curitiba

Cidade: Curitiba

Orientador: Flávia Maria Gonzaga Ferreira Alves

Alunos: Eduarda Lopes Kurzawa e Giovana Pereira de Assis

 

1º LUGAR

Nome do projeto: AJUDEE: Um aplicativo como ferramenta para redução de problemas sociais no brasil

Instituição de Ensino:  Colégio Bom Jesus Centro

Cidade: Curitiba

Orientador: Cornélio Schwambach

Alunos: Vitor Vavolizza

 

CLASSIFICAÇÃO GERAL

 

3º LUGAR

Nome do projeto: Sensor de temperatura para colheitadeiras de Baixo Custo utilizando arduíno

Instituição de Ensino:  Colégio Estadual Marechal Castelo Branco

Cidade: Primeiro de Maio

Orientador: Silvia Monteiro Bonancéa

Alunos: Calebe Rodrigues Caleffi, Eduarda Gabriela do Amaral Prado e Yasmin dos Santos Claudino

 

2º LUGAR

Nome do projeto: Avaliação de fotobiorreatores de microalgas para sequestro de carbono e tratamento de chorume

Instituição de Ensino:  Colégio Interativa de Londrina

Cidade: Londrina

Orientador: Fábio Luiz Ferreira Bruschi

Alunos: Maria Lopes Kireeff Feital

 

1º LUGAR

Nome do projeto: Speak Race – jogo digital como ferramenta de aprendizagem de Libras – Fase 2

Instituição de Ensino:  Colégio Sesi em Curitiba – Campus da Indústria

Cidade: Curitiba

Orientador: Flávia Maria Gonzaga Ferreira Alves

Alunos: Eduarda Lopes Kurzawa; Giovana Pereira de Assis

 

ACLAMAÇÃO POPULAR MAIS VISUALIZAÇÕES

 

Nome do projeto: Papel Ecológico para dibujos a base de bagazo de caña de azúcar

Instituição de Ensino:  Colegio Privado Santa Cecilia

Cidade: San Cristóbal

Orientador: Julio César Zárate Bogado

Alunos: Tayla Laysa Manthey

 

ACLAMAÇÃO POPULAR MAIS CURTIDAS

Nome do projeto: Avaliação Do Efeito do biofilme comestível a base de planctons e/ou diferentes amidos

Instituição de Ensino: Jardim Porto Alegre, C E-EF M PROFIS

Cidade: Toledo

Orientador: Dionéia Schauren

Alunos: Gabrieli Monique Campos

Projeto apresentado na FIciencias propõe alternativa orgânica para o uso de agroquímicos    

A proposta, desenvolvida pela estudante Kétlyn Victoria Turetta, contribui com a preservação do meio ambiente e a saúde humana. 

A aluna do 3ª ano do Ensino Médio do Colégio Estadual Jardim Porto Alegre, de Toledo, no Oeste do Paraná, Kétlyn Victoria Turetta, desenvolveu um projeto que propõe a utilização de caldas orgânicas no controle de pragas e doenças em plantações agrícolas. A ideia surgiu a partir de uma situação que a estudante observou em casa: a sua mãe cultivava diversas plantas na horta, porém, sempre tinha problemas com pulgões e antracnose.  

Kétlyn levou a proposta de resolver o problema de forma orgânica, contribuindo com meio ambiente e a saúde humana, para a sua orientadora, Dionéia Schauren. “Também observei que os produtores utilizam muitos agroquímicos para controlar tanto o pulgão como a antracnose. Então começamos a pesquisar na literatura diversas coisas que poderiam auxiliar no desenvolvimento de caldas que pudessem substituir a utilização de agroquímicos”, contou a estudante.   

Alimento orgânico 

Segundo a orientadora, que é agente educacional e atua como laboratorista, o projeto fundamentou-se na formulação de uma calda orgânica que, além de aumentar a produtividade, proporciona a produção de um alimento saudável sem causar o impacto negativo que agroquímico tem na natureza.  

“O objetivo do trabalho é o desenvolvimento de uma calda alternativa que funcione contra a antracnose e que também seja um repelente de pulgões e outros insetos que prejudicam a oleicultura”, explicou Dionéia. “Proporcionando alimentos saudáveis, com qualidade boa, ou seja, semelhantes aos produzidos com agroquímicos. Além de ecologicamente correta, sem espantar os agentes (insetos) polinizadores”, complementou a orientadora. 

A estudante contou que, com o tempo, o projeto foi se desenvolvendo cada vez mais, até chegar no formato atual: caldas orgânicas compostas por alho, urina de vaca, enxofre e folhas de alamanda e uva-do-japão. “O desenvolvimento das caldas foi baseado por meio de testes nas plantas de quiabo e de milho, porque observamos que tem uma grande incidência, tanto do pulgão como da antracnose, nessas produções. O projeto também propõe a utilização das caldas no desenvolvimento das sementes para o controle invitro do patógeno causador da antracnose e a realização de testes para analisar a influência no pH do solo”, explicou. “O projeto ainda está em desenvolvimento, porém, até o momento, mostram-se eficazes para todos os objetivos, apresentando ótimos resultados”, ressaltou Kétlyn.  

Oportunidades 

De acordo com a aluna, o trabalho proporcionou diversas oportunidades: “Ele me auxiliou tanto no meu desenvolvimento pessoal como profissional, porque, com ele, tive diversas oportunidades de participar de feiras de ciências, como a FIciencias. É algo que eu realmente me apaixonei no ensino médio e eu quero continuar a fazer. Me ajudou inclusive na escolha do que eu desejo para o meu futuro, que é fazer de faculdade de ciências biológicas”, disse.  

Sobre a feira, Kétlyn conta que participa desde 2017, quando o trabalho estava no início. “A FIciencias é uma feira do coração para a gente porque eu participo desde 2017 quando o meu projeto estava na primeira fase, foi uma feira que viu o meu projeto crescer desde que ele surgiu até hoje. Como estou saindo do ensino médio fiz questão de me inscrever nesta edição, também porque é sempre muito acolhedor participar, uma oportunidade incrível”, concluiu.  

Conforme a orientadora, todos os anos o objetivo dos alunos do colégio é participar da feira. “Nós temos um carinho imenso pela FIciencias e por toda equipe que nos acolhe de uma forma incrível. Participar, mesmo que remotamente, é maravilhoso. É certo que vamos submeter trabalhos todos os anos”, finaliza. 

FIciencias 

A FIciencias 2021, realizada Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR) e pela Itaipu Binacional, em parceria com 6 universidades, teve início na última segunda-feira (08) e segue até a tarde desta sexta-feira (12), quando a partir das 16h, vão ser conhecidos os projetos premiados.  

A programação ocorre 100% online com transmissão pelo canal do youtube https://youtube.com/c/FIcienciasFeira.  

Destinada a estudantes, do ensino fundamental e médio, a feira chega a sua 10ª edição com o objetivo de apresentar ideias criativas e inovadoras, em diversas áreas das ciências.   

Nas 9 edições anteriores, a FIciencias contou com 22.726 participantes de 1.289 escolas da Argentina, do Paraguai e do Brasil (Paraná e Santa Catarina).   

Alunas do Colégio Sesi desenvolvem jogo digital para aprendizagem de Libras

Duas alunas do Colégio Sesi Internacional, de Curitiba (PR), desenvolveram um jogo digital para aprendizagem de Libras. O projeto, que está sendo apresentado na 10ª edição da Feira de Inovação das Ciências e Engenharias (FIciencias), surgiu a partir da percepção das estudantes em relação a demanda de ferramentas de inclusão e de acessibilidade dentro das escolas. 

Foi assim que Giovana Pereira de Assis e Eduarda Lopes Kurzawa desenvolveram o jogo Speak Racer, que busca auxiliar o ensino de Libras por intermédio de um jogo atrativo ao público, conscientizando ouvintes sobre a importância da aprendizagem do idioma e ajudando a melhorar a socialização. 

A dinâmica escolhida foi a de “jogo de plataforma”, no estilo “corrida interminável”. O objetivo do jogador é fazer com que o avatar vá de encontro com as “estrelas” para pontuação. Ao esbarrar em uma delas o jogador recebe uma pergunta sobre o conteúdo de Libras. O jogador terá duas chances para acertar, ao responder corretamente ele é bonificado, acumulando pontos até a passagem de fase. Mas se suas duas tentativas forem falhas, ele não pontua e a partida se encerra. 

As estudantes tiveram que aprender linguagem de programação para desenvolver o projeto, para isso contaram com o auxílio e a mentoria de um profissional da área.   

“Nós não tínhamos a menor ideia de como mexer com programação de jogos. Fomos aprendendo aos poucos o básico para ter maior autonomia, mas felizmente tivemos suporte para finalizar o projeto”, explicou Giovana. 

Eduarda Kurzawa considera que participar da FIciencias é uma oportunidade única de conhecer outros projetos interessantes e interagir com pessoas de diferentes localidades, e principalmente de contribuir socialmente. 

“Nós duas temos interesse de ajudar a melhorar a sociedade e torná-la mais inclusiva. O Speak Racer é uma forma que encontramos de ajudar e estimular a responsabilidade social”, disse. 

Giovana e Eduarda afirmam que continuarão com o projeto e pretendem aprimorar o jogo digital ainda mais. “Queremos incluir mais um idioma, o inglês, e transformar o jogo num formato que possa ser jogado off-line, em celulares. É uma forma de democratizar mais a ferramenta”, comentou Giovana. 

Para a orientadora do projeto, a professora Flávia Maria Gonzaga Ferreira Alves, o trabalho chamou a atenção por atender a uma demanda de problema real e pela dedicação das orientandas. “A experiência de orientação desse trabalho foi fácil porque a Giovana e a Eduarda são muito responsáveis. Ajudei com textos e apontando alguns possíveis caminhos. Mas hoje elas têm uma autonomia muito maior em função da dedicação delas”, disse a professora. 

  

Educação e Ciência 

Para o diretor superintendente do Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR), general Eduardo Garrido, o objetivo da FIciencias é estimular o interesse de jovens estudantes, em ciências, empreendedorismo e inovação para contribuírem para uma sociedade melhor.  

“O Parque Tecnológico Itaipu está comprometido em manter e melhorar, todos os anos, a qualidade deste importante evento de educação internacional, a FIciencias. A base para o desenvolvimento de um país é a educação, pois será ela que criará melhores oportunidades para todos”, afirmou o general Garrido. 

 

               

    Giovana Pereira de Assis                                                  

 

Eduarda Kurzawa

 

A FIciencias  

A FIciencias é realizada pelo PTI-BR e pela Itaipu Binacional, em parceria com 6 universidades (Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Universidade Estadual de Londrina (UEL), Universidade Estadual de Maringá (UEM), Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO) e Universidade Federal de Integração Latino-Americana (UNILA).   

Nas 9 edições anteriores, o evento teve 22.726 participantes de 1.289 escolas da Argentina, do Paraguai e do Brasil (Paraná e Santa Catarina). Este é o segundo ano consecutivo que a feira está sendo promovida virtualmente.   

Este ano, o evento conta com uma novidade: a participação de estudantes e professores das instituições parceiras, na I Mostra Universitária, que também está disponibilizada no nosso canal do Youtube. 

A premiação dos melhores trabalhos será divulgada pelo PTI-BR link: https://www.youtube.com/watch?v=_P97baSV_TQ nesta sexta-feira (12), no encerramento do evento, previsto para 16h00.