Vila A Inteligente: Conheça as 5 soluções tecnológicas que estão sendo testadas e validadas no Bairro Itaipu A

Equipamentos inteligentes já estão em fase de testes e devem atrair mais startups interessadas no Programa Vila A Inteligente

 

As 5 soluções tecnológicas que foram selecionadas, em setembro de 2021, através do edital Smart Vitrine, já estão em funcionamento no Bairro Itaipu A, e agora serão testadas e validadas. 

A startup Icehot, de Bento Gonçalves (RS), desenvolve estações de hidratação inteligente para espaços públicos que disponibilizam água quente e fria para pessoas e pets. Um dos equipamentos instalados em Foz também possui um vaporizador, proporcionando bem-estar nessa época do ano, em espaço para caminhadas e corridas em uma das avenidas do bairro Itaipu A. 

“O equipamento foi instalado há 3 dias e o fluxo de uso do equipamento está muito grande. A receptividade está sendo muito positiva e temos recebido muitos feedbacks da população. Percebemos que algumas pessoas já começaram a mudar o hábito de carregar a garrafa de água durante a caminhada. Um dos benefícios ambientais dessa tecnologia é evitar o excesso de consumo de garrafas plásticas, uma vez que o acesso gratuito de água de qualidade, permite a reutilização de garrafas”, explicou Marcelo Polo, da IceHot. 

Outra startup, a Óleoponto, de Campo Grande (MS), disponibiliza solução tecnológica para resolver o problema do descarte incorreto do óleo de cozinha no meio ambiente. O equipamento da Óleoponto permite qualquer pessoa levar em garrafa plástica o óleo de cozinha usado que será coletado pelo equipamento. Isso gera uma bonificação para o usuário que, ao atingir uma quantidade de pontos, consegue trocar por um óleo de cozinha novo. 

Segundo Zadrik Mendonça, CEO da Óleoponto, a missão da empresa é contribuir com a preservação do meio ambiente. “O descarte inadequado de óleo de cozinha é um grande problema. Para se ter uma ideia, 1 litro de óleo de cozinha pode contaminar 25 mil litros de água. Isso sem falar na contaminação do solo. Atualmente são mais de 3 bilhões de litros de óleo de cozinha produzidos todos os anos e apenas menos 4% é reciclado”, explicou. 

A startup Automa Vision, de Curitiba (PR), busca modernizar a gestão de cidades através de gêmeos digitais inteligentes que permitem a simulação dos espaços públicos em ambiente virtual. 

“Os gêmeos digitais são uma réplica viva da cidade, fornecendo para o gestor o presente, o passado e o futuro do município. Não é como um modelo 3D, mas sim uma réplica digital que possibilita a interatividade, através da realidade virtual, onde pode se ver, por exemplo, todo o fluxo e a dinâmica do trânsito da cidade. São inúmeras possibilidades de aplicação dos gêmeos digitais para melhorar a qualidade de vida da população”, explicou Charles Stempniak, CEO da Automa Vision. 

A Bohnen+Messtek, de São Paulo (SP), oferece soluções padronizadas de monitoramento para redes elétricas de maneira inteligente. Nesse momento, um estabelecimento comercial do bairro Itaipu A está utilizando essa tecnologia. 

A Topa Facto, de Assunção (Paraguai) dispõe de totem inteligente que disponibiliza: acesso à internet, carregamento de celular, câmera de monitoramento, horário de ônibus, temperatura, cartão braile e sistema de áudio para PCDs. 

 

Sobre o Smart Vitrine

O Smart Vitrine é o edital destinado às empresas que oferecem tecnologias em cidades inteligentes, com soluções que possam ser testadas, validadas e implementadas no ambiente de testes (Sandbox) do Vila A Inteligente, ou Bairro Itaipu A, que é o primeiro e maior bairro público Sandbox do Brasil. 

As soluções tecnológicas que estão sendo apresentadas nas propostas para o Smart Vitrine devem ser enquadradas em um dos seguintes eixos temáticos: Meio Ambiente; Tecnologia e Inovação; Segurança; Economia; Finanças ou Empreendedorismo; Governança; Urbanismo; Saúde; Educação; Energia; Habitação; Esporte, Cultura ou Recreação; Telecomunicações; Mobilidade e Acessibilidade; Agricultura; Saneamento; ou Turismo.  

O Smart Vitrine é uma iniciativa do PTI-BR, da ABDI, da Itaipu Binacional, da Prefeitura de Foz do Iguaçu, com parceria do Inmetro, Sebrae e da Copel. 

 

 

Vila A Inteligente: Novas soluções tecnológicas começam a ser experimentadas pela população no Bairro Itaipu A

Ainda em 2022 mais empresas serão selecionadas para testar, validar e certificar suas soluções tecnológicas em Foz do Iguaçu 

 

Cinco soluções tecnológicas foram apresentadas nessa quinta-feira, 24, em coletiva de imprensa, pelo Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR). Representantes de diversos veículos de comunicação da região participaram de um tour com detalhamento técnico sobre o funcionamento dessas soluções e quais os benefícios podem trazer à população. 

Entre as soluções apresentadas estão: duas estações de hidratação com água quente e fria; um equipamento que coleta óleo de cozinha usado, favorecendo o meio ambiente; dois totens inteligentes que oferecem internet wireless, carregamentos de celular e informações do transporte público; gêmeos digitais que avaliam pontos de melhoria no trânsito; um equipamento de medição e monitoramento da energia do comércio local. 

De acordo com o diretor superintendente do PTI-BR, general Eduardo Garrido, esta é mais uma etapa cumprida no planejamento do Programa Vila A Inteligente.  

“Nós estamos hoje finalizando mais uma etapa. Tivemos na primeira fase o suporte da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) para a instalação de tecnologias; a segunda fase teve o aporte da Itaipu Binacional; contamos com a prefeitura municipal de Foz do Iguaçu, sem a qual não existiria esse projeto; além disso, temos também nesse projeto, a parceria com a Copel e o Inmetro. O bairro Sandbox é um local para a experimentação, a validação e a certificação de tecnologias voltadas para Cidades Inteligentes”, explicou Garrido. 

A próxima fase agora buscará atrair mais empresas interessadas em validar suas soluções tecnológicas no bairro Itaipu A. “Esse é um programa que gera movimento para a cidade, com empresas nos procurando e submetendo suas soluções para avaliação. Com isso, vamos contribuindo para que Foz do Iguaçu seja cada vez mais uma referência em Cidades Inteligentes, atraindo empresas, negócios, movimentando a economia da cidade e melhorando a qualidade de vida da população”, disse Garrido. 

 

Estratégico para Foz 

Para Rafael Sanches, secretário municipal de Tecnologia da Informação de Foz do Iguaçu, o Programa Vila A Inteligente é estratégico para o desenvolvimento da cidade. 

“Estou aqui hoje representando o prefeito Chico Brasileiro, pois é um privilégio para nós contar com um programa dessa magnitude. O benefício vai além da tecnologia utilizada pela população ou pelo poder público. O Programa Vila A Inteligente vai atrair cada vez mais investimentos para Foz do Iguaçu”, afirmou o secretário. 

 

Qualidade de Vida 

Rafael Deitos, diretor técnico do PTI-BR, destacou a maturidade do Programa Vila A Inteligente e as oportunidades que devem surgir a partir desse momento. 

“O conceito de Cidades Inteligentes parte da premissa que a tecnologia é um meio para trazer melhorias para a qualidade de vida da população. Agora, o espaço está muito mais preparado, o que deve acelerar ainda mais a quantidade de empresas interessadas em submeter suas soluções tecnológicas para avaliação. Essa avaliação ocorre não apenas do ponto de vista técnico, mas também da percepção das pessoas, pois é a população que deve ser a maior beneficiária da Cidade Inteligente”, disse Deitos. 

 

Geração de empregos 

Segundo o diretor de negócios e inovação do PTI-BR, Rodrigo Régis, o Programa Vila A Inteligente trabalha com foco na diversificação da economia da cidade através do empreendedorismo. As empresas novas tem grandes dificuldades para testar rapidamente as tecnologias em ambientes reais e isso é possível no Bairro Itaipu A.  

“Essas tecnologias instaladas aqui são de startups que participaram do edital do programa Smart Vitrine para testar e validar suas soluções. Uma vez validadas essas tecnologias, com a participação da população, isso também valida um modelo de negócios, que pode ser replicado em outros espaços. Com isso conseguimos ampliar o número de empresas em Foz do Iguaçu. Só no ecossistema do PTI-BR, as startups incubadas já geraram 358 empregos diretos. Essa é a semente que está sendo plantada para transformar nossa região”, explicou Régis.