Cidades inteligentes na prática: PTI participa de painel no Simpósio Nacional de Cidades Inteligentes

O bate-papo acontecerá neste sábado, 19 de março às 10h, em São José dos Campos (SP), onde o Parque Tecnológico levará a experiência do Programa Vila A Inteligente. 

O Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR) estará presente no Simpósio Nacional de Cidades Inteligentes, que acontece entre 18 e 19 de março, sendo representado pelo gerente do Centro de Tecnologias Abertas e IoT, Willbur de Souza. 

O gestor estará presente em painel sobre “Cidades Inteligentes na prática”, apresentando o case do primeiro bairro sandbox do Brasil, Vila A Inteligente, e discutindo sobre tendências que envolvem a smart cities. 

O bate-papo acontecerá neste sábado, 19 de março às 10h, no Auditório Smart do evento, em São José dos Campos (SP). Não haverá transmissão online. 

Para Willbur, debater sobre cidades inteligentes é poder falar sobre como a tecnologia e a inovação pode ter impacto positivo diretor na melhoria da qualidade de vida das pessoas em termos sociais, econômicos e ambientais. “Discutiremos sobre como tecnologias podem otimizar a estrutura e a integração de serviços sempre com foco no cidadão, bem como diminuir problemas comuns em diferentes áreas”, menciona o gestor. “Além disso, também falaremos sobre os principais desafios para cidades inteligentes no Brasil no âmbito da segurança pública, mobilidade, acesso digital à serviços, integração entre sociedade e poder público, entre outras questões”.  

O gestor ressalta que o evento também é uma oportunidade para que sejam apresentadas as ações concretas em smart cities que o PTI vem desenvolvendo e já são referência nacional. “É bem interessante podermos compartilhar nossos projetos e apresentar nossas expertises enquanto PTI. A intenção é mostrar que temos múltiplas competências no Parque que podem ser de interesse de vários gestores públicos pelo país”. 

Vila A Inteligente  

O Programa Vila A Inteligente é uma iniciativa do PTI-BR, Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Copel, Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu e Itaipu Binacional, que visa, sobretudo, transformar e impactar de forma positiva a qualidade de vida da população.  

Em Foz do Iguaçu, o modelo Sandbox é regulamentado pelo Decreto Municipal nº 28.244, de 23.06.2020, que dispõe no âmbito da Administração Pública Municipal de Foz do Iguaçu, sobre a instituição de ambientes experimentais de inovação científica, tecnológica e empreendedora – “Programa Sandbox – Foz do Iguaçu”, o que viabilizou a implementação das soluções do Programa Vila A Inteligente. 

O bairro Itaipu A, ou Vila A, como é historicamente conhecido, foi escolhido para abrigar o projeto do primeiro e maior bairro público inteligente do Brasil para demonstração e testes de soluções tecnológicas em escala real, posicionando Foz do Iguaçu e o Parque Tecnológico Itaipu como referências nacionais em implantação e desenvolvimento de tecnologias para Cidades Inteligentes. O local foi a moradia dos trabalhadores na construção da Usina Hidrelétrica de Itaipu, e hoje é uma região que possui ampla área residencial, além de comércios, serviços, hospitais, escolas, espaços de lazer, parques públicos e o mercado público da cidade. 

Conheça os painelistas do Simpósio Nacional de Cidades Inteligentes 

Willbur Souza: gerente do Centro de Tecnologias Abertas e IoT do Parque Tecnológico Itaipu – Brasil. Formado em jornalismo pelo Centro Universitário Dinâmica das Cataratas, tem MBA em Planejamento e Gestão Estratégica de Marketing, Gestão de Marketing pelo Centro Universitário Internacional (UNINTER), e MBA em Gestão Estratégica de Projetos e Metodologias Ágeis, Administração e Negócios pelo Descomplica. 

Vinicius Marchese: presidente do Crea-SP. É formado em Engenharia de Telecomunicações pela Universidade de Taubaté (Unitau), pós-graduado em Redes e Sistemas pela Universidade Mackenzie, e especializado em Gestão de Negócios pela Dublin Business School. Possui especialização em Empreendedorismo e Inovação Tecnológica para Engenharias pela UNIVESP de São Paulo. 

Felício Ramuth: prefeito de São José dos Campos. Possui MBA Executivo em Gestão de Políticas Públicas pela Fundação Getulio Vargas (FGV). É filiado ao Partido Social Democrático. À frente da Prefeitura, Felicio definiu os seguintes eixos de governo: inovar, simplificar, compartilhar recursos e gestão aberta e transparente. 

Felipe Peixoto: coordenador de Cidade Inteligente da Prefeitura do Rio de Janeiro. É formado em Administração pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e em Direito pela Unilasalle. É especialista em Direito Público pela Escola Superior da Advocacia da OAB e tem MBA em Gestão de Projetos pela FGV.  

Comitiva da Universidade Federal de Itajubá, Minas Gerais, visita o PTI com foco em integração de ações  

Nesta quinta-feira, 17 de março, uma comitiva da Universidade Federal de Itajubá (Unifei) visitou o Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR) e conheceu seu ecossistema de inovação, apresentado pelo diretor superintendente do Parque, general Eduardo Garrido, na sequência, a comitiva também conheceu os Centros de Competência do Parque Tecnológico, apresentados pela assessora do diretor técnico do PTI-BR, Tatiani Marcanzoni. 

Segundo o reitor Dr. Édson Bortoni, ao conhecer o Parque Tecnológico suas expectativas foram superadas. “Muitas das coisas que vemos aqui, estão alinhadas com nossas ações em Itajubá”. O reitor destaca que o propósito da visita foi gerar integração entre as ações desenvolvidas na Universidade com as do PTI.  

O reitor de cursos de extensão, professor Guilherme Bastos apresentou o Incit – Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá, e o Inovai –  Associação Itajubense de Inovação e Empreendedorismo, que desde sua criação em 2017, já gerou mais de 1 mil empregos e R$100 milhões em renda bruta. 

Também estiveram presentes na visita o pró-reitor de assuntos internacionais da Unifei, Tales Pimenta; a presidente da AD-UNIFEI, Dagmar Andrade; e o engenheiro eletricista da Itaipu Binacional e consultor da Unifei, Fernando Menezes. 

 

Ebook do Projeto Monitora Covid-19: Itaipu – Foz do Iguaçu já está disponível para leitura

A publicação aborda os conhecimentos adquiridos com o projeto de monitoramento da presença de SARS-CoV-2 no esgoto de Foz do Iguaçu (PR).

Estudantes, professores, pesquisadores e entusiastas do tema já podem acessar, a partir desta sexta-feira, 18, as informações do e-book “Desafios da pandemia de covid-19 na saúde única: integrando o monitoramento de esgoto à vigilância em saúde”, desenvolvido pela equipe do projeto Monitora Covid-19: Itaipu – Foz do Iguaçu.

Com 198 páginas, o e-book apresenta uma visão geral e unificada dos conhecimentos que foram adquiridos por meio das pesquisas realizadas, até o momento, sobre a covid-19, dentro da abordagem do conceito de Saúde Única. Também aborda o monitoramento clínico da doença, o surgimento de variantes, a importância das vacinas e o monitoramento do SARS-CoV-2 no esgoto.

O material inédito se encontra disponível na página da iniciativa tanto para leitura quanto para download.

Antes de ser disponibilizado para o público em geral, o ebook foi apresentado para as instituições parceiras e comunidade acadêmica, durante um webinar especial, que contou com a participação de representantes da Itaipu Binacional, Parque Tecnológico de Itaipu (PTI-BR), Universidade Federal do ABC (UFABC), Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila), Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde de Foz do Iguaçu e Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC).

Para o gerente da Divisão de Reservatório da Itaipu, Irineu Motter, a iniciativa deve somar as ações desenvolvidas pela Binacional relacionadas ao saneamento e saúde pública. “Esse projeto vai deixar um importante legado de conhecimentos adquiridos que podem ser aplicados em favor da vida”, especificou Irineu, que na ocasião representou o superintendente de gestão ambiental da Itaipu, Ariel Scheffer.

O diretor Técnico do PTI-BR, Rafael Deitos, destacou o esforço dos técnicos e pesquisadores da instituição envolvidos nas atividades do projeto que vão desde a coleta de amostras, análises no laboratório do Parque e geração dos resultados semanais que subsidiam os boletins epidemiológicos do município.

“Dentro da missão do PTI-BR está a geração de informação útil para sociedade. O lançamento desse ebook é um bom exemplo de uma iniciativa que surgiu na academia, virou realidade e vai impactar a vida das pessoas”, resumiu Deitos.

Os boletins epidemiológicos têm sido uma importante ferramenta de informação pública, transparente e de fácil acesso para a população do município. Segundo a diretora do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Secretaria de Saúde de Foz do Iguaçu, Carmensita Gaievski, “o livro vai integrar o ciclo de publicações relevantes que servem tanto para os munícipes quanto para os tomadores de decisões pautarem suas estratégias de combate ao vírus”.

Quem também destacou a importância dos estudos que resultaram na publicação do ebook, foi o diretor-presidente da Sanepar, Claudio Stabile, afirmando que “em situações adversas, como a pandemia vivenciada nos últimos anos, a ciência tem sido nossa melhor aliada. Projetos como esse nos ajudam a traçar alternativas para as melhores decisões em prol da população”.

Monitora Covid-19

O projeto tem o objetivo de monitorar a presença de RNA do vírus SARS-CoV-2 e de suas variantes no esgoto da usina de Itaipu e em Foz do Iguaçu, e de produzir diversos mecanismos de divulgação técnico-científica sobre o assunto. Em 2021, o projeto já havia lançado uma cartilha à população com linguagem acessível para o entendimento do avanço ou a queda da carga viral no município.

O projeto parte da constatação de que pessoas com a COVID-19 (sintomáticos e assintomáticos) podem eliminar o vírus nas fezes antes do aparecimento dos primeiros sintomas da doença; e após o desaparecimento dos sintomas, por até 40 dias, com carga viral reduzida.

Inovação em H2: Consórcio entre PTI-BR e CIBiogás vem para acelerar projetos e startups na área de Hidrogênio Verde

A partir de Chamada-pública da AHK-Rio, as instituições foram selecionadas para executar um Programa de Inovação para Hidrogênio Verde, com foco em descarbonização e transição energética, onde pesquisadores poderão submeter propostas e projetos voltados à temática; inscrições abertas.

Unindo expertises, mais uma parceria vem para impulsionar a temática do hidrogênio no Brasil. Nesta terça-feira, 15 de março, a Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha (AHK Rio), esteve no Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR) para oficializar a assinatura do contrato que cela o Consórcio PTI-CIBiogás, para desenvolvimento do Programa de Inovação em Hidrogênio Verde no Brasil.  

O Parque Tecnológico junto com o CIBiogás, a partir de agora, executará o Programa que acontecerá em três ciclos. Cada ciclo é composto pela fase de: sensibilização de entusiastas à inovação aberta na cadeia do H2V; seleção de projetos; capacitação dos selecionados; aceleração das melhores propostas de inovação. Assim, devem ser desenvolvidas soluções para a geração, distribuição e aplicação do Hidrogênio Verde no Brasil. O programa é previsto até o final de 2023. A partir disso, o ecossistema brasileiro de Pesquisa, Desenvolvimento, Inovação e Empreendedorismo, passa a contribuir para o desenvolvimento do Hidrogênio Verde no Brasil.  

General Eduardo Garrido, diretor superintendente do PTI, menciona que a partir de agora um novo passo é dado para que o Hidrogênio Verde avance no Brasil. “O Parque, enquanto Instituição de Ciência e Tecnologia, desenvolve pesquisa e inovação em diversas frentes. Agora, conectado ao tema do hidrogênio, onde atuamos com solidez há mais de 10 anos, iremos unir nosso outro propósito, que é geração de negócios, apoiando o mercado de startups ao incentivar novos projetos voltados à temática”.  

Segundo o general, “participando do Programa de Inovação em Hidrogênio Verde, o Consórcio PTI-CIBiogás visa desenvolver uma cadeia de hidrogênio de forma estratégica, e posicionar o País como protagonista de estudos em Hidrogênio Verde em âmbito mundial”.  O diretor lembra ainda que os dois pontos levantadas na Chamada-pública da AHK Rio, transição energética e descarbonização, são atendidas pelo PTI. 

De acordo com Ansgar Pinkowski, gerente do departamento de Inovação, Energia e Sustentabilidade da AHK Rio, as instituições selecionadas têm notoriedade comprovada pela contribuição histórica das energias limpas no Brasil há décadas. “O consórcio vencedor mostrou solidez no processo de inovação aberta e sua experiência em energias renováveis nos deixou confiantes de que toda a expertise reunida irá fortalecer as estratégias do Programa de Hidrogênio Verde e PTX no Brasil”, afirma.

Durante a visita, a AHK Rio conheceu os projetos que o Parque Tecnológico Itaipu, CIBiogás e a Itaipu Binacional desenvolvem na área do hidrogênio, sendo as três instituições protagonistas da área no Brasil. “O papel da Alemanha já é reconhecido mundialmente nesta temática, e acreditamos que nosso país também pode apoiar em processos de descarbonização e transição energética de outros países”, comenta o diretor-presidente do CIBiogás, Rafael González.  

Quem poderá participar do Programa 

Qualquer interessado em inovar e empreender dentro da cadeia do hidrogênio poderá inscrever-se no Programa. Não é preciso ter uma startup ou projeto já finalizado para participar, se você é um entusiasta da temática, será bem-vindo.  

Clique aqui e inscreva-se.