PTI-BR Informa: botoeiras dos semáforos inteligentes da Vila A voltarão a funcionar

O Parque Tecnológico Itaipu informa que amanhã, 14 de abril, as botoeiras de acionamento do semáforo de pedestres, acoplados aos semáforos inteligentes instalados no Bairro Vila A, voltarão ao seu funcionamento normal. A manutenção acontecerá durante a madrugada de quarta para quinta-feira.

A empresa responsável fará a realocação das botoeiras sonoras com acessibilidade apenas no cruzamento da Avenida Garibaldi com Avenida Sasdelli com o objetivo de validação. Feita a validação, após 30 dias, serão trocados os equipamentos dos outros três cruzamentos: Avenida Paraná com Avenida Araucária; Avenida Silvio Américo Sasdelli com Avenida Paraná; e Avenida Silvio Américo Sasdelli com Avenida Andradina.

O equipamento passou por um período de manutenção e aperfeiçoamento visando melhorias no volume automático do equipamento.

O Parque Tecnológico Itaipu, bem como todas as instituições que realizam o Programa Vila A Inteligente, colocam-se à disposição da população iguaçuense para eventuais dúvidas.

 

PTI promove evento de transferência tecnológica em Foz do Iguaçu 

Techday é uma iniciativa do Parque Tecnológico Itaipu que foca em transferir tecnologias desenvolvidas pela instituição para o mercado. 

Foram mais de 20 instituições interessadas nas apresentações das soluções tecnológicas desenvolvidas pelo Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR). As tecnologias encontram-se em diferentes níveis de maturidade, com oportunidade de serem levadas ao mercado. 

O principal objetivo do evento TechDay foi apresentar e demonstrar como as tecnologias funcionam em aspectos técnicos, e quais benefícios podem trazer ao consumidor final. Assim, empresas e startups que passarem a obter acordos comerciais com o PTI, passam a acessar novos mercados contando com vantagens competitivas.  

O papel do PTI é ser um facilitador. A afirmação é do diretor de negócios e inovação da instituição, Rodrigo Regis. “Esse é o primeiro evento que fazemos com enfoque em conexões e mostra de tecnologias que estão dentro do Parque, pensando em atrair as empresas, pensando em um possível match”, comenta Regis. “Pode ser até por exemplo que a gente não tenha um match diretamente na tecnologia, mas certamente vamos repassar conhecimento”. 

Para levar suas soluções ao mercado, o PTI busca se conectar com quem já entende a dinâmica de venda, sabendo o que necessário para a correta exploração e comercialização de produtos. “Enquanto Instituição de Ciência e Tecnologia, o PTI não detém expertise para produzir em escala as tecnologias que desenvolve, por esse motivo, busca transferir suas tecnologias a empresas que possam produzir em caráter industrial estes produtos”, explica o diretor técnico do PTI-BR, Rafael Deitos.  

Cultura da inovação e transferência de tecnologias 

O TechDay contou com a presença de renomado palestrante, Carlos Camargo, engenheiro mecatrônico com MBA em Gestão Industrial e Gerenciamento de Projetos pela Unicamp, e Gestão Estratégica e de Tecnologia pela Saint Paul Business School 

Com uma carreira de mais de 20 anos na 3M do Brasil, Camargo é responsável pelos novos negócios em sistemas de automação da empresa na América Latina, e palestrou no TechDay sobre “Cultura da inovação e transferência de tecnologias sob a perspectiva da 3M”. 

“Na 3M mensuramos a inovação. Pegamos a venda daquele produto que foi lançado nos últimos 5 anos x a venda total daquele portfólio, e se tem uma porcentagem. Quanto maior a sua porcentagem, maior o seu índice de giro e de inovação. A 3M mundialmente trabalha na casa dos 30 a 35% por cento e é assim que monitoramos. Toda área tem sua meta de inovação”.

Mas o que é transferência tecnológica?  

A transferência tecnológica é o repasse de conhecimentos científicos e inovações tecnológicas, desenvolvidos no âmbito de Instituições Científicas e Tecnológicas (ICTs) às empresas com interesse e capacidade de explorá-las comercialmente no mercado. A interação entre ICTs e empresas gera a oportunidade de divulgar e compartilhar conhecimentos com o setor produtivo, acelerando o tempo de desenvolvimento de um produto e/ou serviço, e diminuindo os custos com novos desenvolvimentos. O PTI-BR é formalizado como ICT desde 2019.  

Entre seus benefícios, destaca-se a vantagem competitiva que a transferência de tecnologia oferece, e o acesso à novos mercados, com a exploração comercial de novos produtos e/ou processos.  

“A transferência de tecnologia é o core de um parque tecnológico e de uma ICT. Por meio dela, além de fomento à geração de novos negócios, é possível aproximar e fortalecer a relação entre ICT e empresas, disponibilizar tecnologias para o progresso e bem estar da sociedade, e promover o desenvolvimento econômico e regional”, explica Isabella Villanueva, analista de inovação e responsável pela gestão da propriedade intelectual e transferência de tecnologia no PTI. 

Conheça mais sobre as tecnologias 

O Cubito é produto pedagógico de baixo custo e aplicável em atividades de ensino que implica no desenvolvimento técnico e socioemocional, em conformidade às práticas pedagógicas ativas. É uma porta de entrada para a lógica da programação. O projeto tem o potencial de tornar as aulas mais dinâmicas e interessantes aos estudantes, fazendo com que os conteúdos possam ser melhor assimilados e compreendidos.  

Estações Agrometereológicas são protótipos desenvolvidos para se obter dados climáticos em áreas rurais com o intuito de realizar cálculos e auxiliar o agricultor na tomada de decisão, resultando em aumento da produtividade e auxílio no planejamento do plantio. Entre os vários sensores, destaca-se o monitoramento de solo, índice pluviométrico, monitoramento do ar e vento.  

Já o SIMA é um sistema de recebimento e integração de dados para monitoramento ambiental, onde é possível armazenar, analisar e gerar diferentes tipos de gráficos para as diferentes informações coletadas. Entre seus benefícios ressalta-se a otimização de tempo com a coleta e análise de dados, automatização de relatórios, integração de tipos variados de estações, além de ser uma tecnologia validada em ambiente real por clientes de grande porte. 

O MoVE é uma solução de monitoramento e compartilhamento de veículos elétricos. Na plataforma, além da identificação de motoristas e trajetos, os operadores da solução conseguem verificar a distância dados relevantes do veículo como autonomia, hodômetro, status de bateria e velocidade. 

Os Drones de Pulverização possibilitam a pulverização localizada, de acordo com a necessidade do produtor rural. Além disso, a partir de missões automatizadas, tal atividade dispensa uso de pessoas para manipulação do equipamento durante a tarefa, reduzindo assim os riscos de falha e melhor aproveitamento dos recursos disponíveis.  

SmartOffice é uma solução que possibilita a gestão eficiente de ambientes corporativos. O projeto considerou o desenvolvimento de uma Plataforma de Monitoramento e Controle que permita a visualização de diferentes dados e sensores em um sistema integrado, resultando em maior conforto e praticidade do usuário, além da redução de custos. O SmartOffice unifica dispositivos através de uma plataforma e tem compatibilidade com dispositivos disponíveis no mercado.  

Para mais informações, entre em contato com o Núcleo de Inovação Tecnológica do PTI pelo e-mail: nit@pti.org.br.