Startup incubada no PTI-BR desenvolve aplicativo para o Parque Nacional do Iguaçu

A Fubá Educação Ambiental, startup incubada no Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR), lançou o aplicativo “Bora Parque Nacional do Iguaçu”, personalizado para cada espaço de visitação e ecoturismo do Parque Nacional do Iguaçu. 

Enquanto passeia, o turista recebe informações e curiosidades que o ajudarão a conhecer mais os atrativos do Parque Nacional do Iguaçu e sua biodiversidade. O aplicativo também serve como um guia pessoal em trilhas, áreas protegidas, zoológicos, aquários, parques urbanos, praças e museus sem precisar de conexão com a internet. 

De acordo com Mayla Valenti, doutora em Ciências e co-fundadora da Fubá Educação Ambiental, o BoRa foi criado para ampliar o acesso à educação ambiental em espaços de visitação, turismo, cultura e lazer. 

“O aplicativo tem uma linguagem simples e direta, possui localização por GPS e todo o conteúdo pode ser visto offline. Ele também foi estruturado com base em gamificação, tornando a experiência mais lúdica e atrativa. Além disso, todo o conteúdo foi pensado para ter acessibilidade: desenho universal, utilizando linguagem coloquial, contrastando cores; fontes de fácil leitura e imagens intuitivas. Os recursos de acessibilidade também incluem audiodescrição das imagens e vídeos com tradução em Libras”, explica Mayla. 

O app está disponível para Android na Play Store pelo link: bit.ly/bora-pni. Informações do aplicativo nas redes sociais: @bora.fuba – @fuba.ea. 

   

Incubadora Santos Dumont 

A Fubá Educação Ambiental conta com uma série de benefícios da incubadora Santos Dumont: Workshops, treinamentos, mentorias, acesso ao mercado e investidores; interação com a rede de parcerias do PTI-BR.  

Segundo o gerente do Centro de Empreendedorismo do PTI-BR e da Incubadora Santos Dumont, Regean Gomes, a missão do Parque Tecnológico é estimular a inovação e o empreendedorismo na região oeste do Paraná, acolhendo projetos que estejam em estágios iniciais ou mais avançados.  

“Nossa atuação visa promover o desenvolvimento de startups da região e a consolidação destes negócios no mercado. Nosso ecossistema cria condições para que os empreendimentos cresçam. Assim, conseguimos atingir nosso objetivo que é gerar riqueza e bem-estar para a sociedade. O exemplo do aplicativo BoRa mostra como uma solução pode beneficiar nossa região e, ao mesmo tempo, ser aplicada em outras regiões brasileiras”, explica Regean.

Hack4Cities desafia desenvolvedores para criação de soluções de conectividade para Cidades Inteligentes

Iniciativa une Claro, Embratel, Microsoft, PTI-BR e Sanepar e acontece entre os dias 11 e 13 de março, com foco em aplicações para o setor de saneamento

 

Entre os dias 11 e 13 de março, ocorrerá o Hack4Cities, o maior Hackathon de Cidades Inteligentes do Brasil, uma parceria do Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR) com a Claro e Embratel, por meio do seu hub de inovação, o beOn Claro se unem à Microsoft e à Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) para fomentar a inovação aberta no País.  Para participar do evento, totalmente online e gratuito, os interessados devem fazer inscrição, até o dia 07 de março, no site: https://hack4cities.com.

Serão dois desafios direcionados aos estudantes, startups e empresas, visando ao desenvolvimento de aplicações relacionadas ao setor de saneamento brasileiro, no contexto das cidades inteligentes. Buscam-se soluções baseadas em software, que otimizem a utilização dos recursos disponíveis, minimizando o desperdício. O primeiro desafio é o #Caça Vazamento, propondo a criação de aplicações que contribuam para identificar vazamentos, superficiais ou subterrâneos, na rede de distribuição até o ponto do medidor na propriedade do usuário. Já o segundo, #Suporte & Clima, traz uma provocação para o desenvolvimento de soluções que deem suporte para a tomada de decisões de prestadores de serviços de saneamento, relacionadas às mudanças climáticas e gestão de recursos hídricos.

“Cidades Inteligentes é um dos segmentos em que a inovação aberta, que se utiliza de sensores e IoT, tem um dos maiores potenciais de impacto positivo. Os diversos tipos de redes e tecnologias disponíveis atualmente proporcionam infinitas possibilidades de inovar. O beOn Claro busca oportunidades de colaborar com empreendedores, academia e agentes públicos para a desenvolver e escalar soluções que possam contribuir para a melhora na utilização de recursos naturais. O Hack4Cities representa mais um passo da Claro e Embratel, por meio do beOn, no sentido de se tornar um dos principais promotores da inovação aberta lançando mão de novos negócio baseados em tecnologia no País”, afirma Rodrigo Duclos, diretor de Inovação Digital da Claro e fundador do beOn Claro.

O diretor superintendente do PTI-BR, general Eduardo Garrido, reforça que as parcerias do Hack4Cities evidenciam o comprometimento dessas empresas com a inovação e o bem-estar social.

“O PTI-BR tem investido fortemente em ações com foco em Cidades Inteligentes, um exemplo disso é o Programa Vila A Inteligente, que se tornou uma referência nacional no Brasil nessa área. Por isso, estamos honrados em ter como parceiros a Claro, a Sanepar e a Microsoft nesse hackathon, buscando ampliar as iniciativas em cidades Smart Cities em todo o País. O Hack4Cities será um evento com desafios para a criação de soluções inovadoras que beneficiarão a sociedade brasileira. Isso mostra a preocupação de todos os parceiros desse evento com a inovação e o desenvolvimento social, a partir do empreendedorismo”, disse Garrido.

Este é o segundo hackathon promovido pela Claro em parceria com a Microsoft, a primeira iniciativa ocorreu no ano passado e foi voltada para o desenvolvimento de aplicações para o agronegócio. Assim como no desafio anterior, as startups participantes poderão contar com o apoio e consultoria da multinacional de tecnologia durante a participação no desafio.  “É gratificante para nós participar de iniciativas como essa, em parceria com a Claro, que tem o objetivo de fomentar a inovação e abrir espaço para as excelentes ideias das mentes brilhantes do nosso País, que podem contribuir com o crescimento econômico do Brasil por meio da tecnologia”, comenta Danni Mnitentag, vice-presidente de Parceiros e Canais da Microsoft Brasil.

A premiação do Hack4Cities será de R$ 10 mil para o primeiro lugar, R$ 6 mil para o segundo lugar e R$ 4 mil para o terceiro lugar (dividido entre os integrantes da equipe).

 

Vila A Inteligente: A Origem

O Hack4Cities nasceu da experiência do Programa Vila A Inteligente, o primeiro e maior bairro SandBox do Brasil. Com o foco em desenvolver e fortalecer a temática Smart Cities, no Bairro Itaipu A, em Foz do Iguaçu, são feitas experimentações, validações e aprimoramento de soluções, em ambiente real, onde as empresas interessadas tem a oportunidade de demonstrar suas tecnologias.

O Programa Vila A Inteligente é uma parceria do PTI-BR com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), a Itaipu Binacional, a Prefeitura de Foz do Iguaçu, com apoio do Inmetro e da Copel.

O Hack4Cities pretende inovar o modelo de Hackathon, já que além da premiação previstas para os vencedores, os projetos poderão ser implementados no Vila A Inteligente. Desse modo, os projetos terão a oportunidade de serem amadurecidos com o suporte do ecossistema dos parceiros do evento, visando validar a solução para o mercado.

O Programa Vila A Inteligente já instalou, no Bairro Itaipu A em Foz do Iguaçu, semáforos, luminárias, pontos de ônibus com tecnologias inteligentes e um Centro de Controle e Operações (CCO). Para o mês de fevereiro estão previstas a inauguração de mais 6 novas tecnologias para testes. Além disso, ainda esse ano será instalado o coworking inteligente em parceria com o EXOHUB, estimulando o empreendedorismo da região.

 

Hackathon

O Hackathon é um evento que reúne programadores e outros profissionais da área para uma maratona de programação, cujo objetivo é desenvolver um software, aplicativo ou plataforma tecnológica que atenda a um fim específico.

Nos hackathons os participantes são incentivados a pensar de maneira inovadora para desenvolver, em grupos, projetos com o objetivo de auxiliar no crescimento de algum fator que precisa ser mudado, solucionando assim problemas reais. No caso do Hack4Cities buscar soluções de conectividade para o setor de saneamento brasileiro.

 

Sobre a Claro

A Claro é líder em Telecomunicações na América Latina e uma das maiores operadoras de multisserviços do Brasil, presente em todas as regiões do país. Está em mais de 4200 municípios brasileiros e suas redes disponibilizam serviços a mais de 96% da população. A Claro oferece soluções integradas de conectividade, entretenimento, produtividade e serviços digitais de forma verdadeiramente convergente, em várias plataformas fixas e móveis. É líder em TV por Assinatura, banda larga e a operadora que mais cresce em serviços móveis. Por meio da Embratel, lidera também o segmento de serviços corporativos, que incluem ofertas em nuvem, telecom, TI e segurança de redes e aplicações. Foi pioneira na implantação de todas as gerações de internet móvel no Brasil, inclusive o 4.5G, que permite navegar 10x mais rápido que a rede 4G tradicional, e também na implantação do 5G DSS que, por meio de um recurso de compartilhamento de frequências que permite a utilização do espectro atual já alocado, oferece conexões até 12 vezes mais velozes que o 4G convencional. É líder em velocidade de conexão, tanto no celular como na banda larga residencial, com ultravelocidades. A Claro faz parte da América Móvil, com presença em 25 países, na América Latina e também na Europa e Estados Unidos. www.claro.com.br

 

Contatos para a imprensa
In Press Porter Novelli

imprensaclaro@inpresspni.com.br

imprensa@pti.org.br

Vila A Inteligente: Conheça as 5 soluções tecnológicas que estão sendo testadas e validadas no Bairro Itaipu A

Equipamentos inteligentes já estão em fase de testes e devem atrair mais startups interessadas no Programa Vila A Inteligente

 

As 5 soluções tecnológicas que foram selecionadas, em setembro de 2021, através do edital Smart Vitrine, já estão em funcionamento no Bairro Itaipu A, e agora serão testadas e validadas. 

A startup Icehot, de Bento Gonçalves (RS), desenvolve estações de hidratação inteligente para espaços públicos que disponibilizam água quente e fria para pessoas e pets. Um dos equipamentos instalados em Foz também possui um vaporizador, proporcionando bem-estar nessa época do ano, em espaço para caminhadas e corridas em uma das avenidas do bairro Itaipu A. 

“O equipamento foi instalado há 3 dias e o fluxo de uso do equipamento está muito grande. A receptividade está sendo muito positiva e temos recebido muitos feedbacks da população. Percebemos que algumas pessoas já começaram a mudar o hábito de carregar a garrafa de água durante a caminhada. Um dos benefícios ambientais dessa tecnologia é evitar o excesso de consumo de garrafas plásticas, uma vez que o acesso gratuito de água de qualidade, permite a reutilização de garrafas”, explicou Marcelo Polo, da IceHot. 

Outra startup, a Óleoponto, de Campo Grande (MS), disponibiliza solução tecnológica para resolver o problema do descarte incorreto do óleo de cozinha no meio ambiente. O equipamento da Óleoponto permite qualquer pessoa levar em garrafa plástica o óleo de cozinha usado que será coletado pelo equipamento. Isso gera uma bonificação para o usuário que, ao atingir uma quantidade de pontos, consegue trocar por um óleo de cozinha novo. 

Segundo Zadrik Mendonça, CEO da Óleoponto, a missão da empresa é contribuir com a preservação do meio ambiente. “O descarte inadequado de óleo de cozinha é um grande problema. Para se ter uma ideia, 1 litro de óleo de cozinha pode contaminar 25 mil litros de água. Isso sem falar na contaminação do solo. Atualmente são mais de 3 bilhões de litros de óleo de cozinha produzidos todos os anos e apenas menos 4% é reciclado”, explicou. 

A startup Automa Vision, de Curitiba (PR), busca modernizar a gestão de cidades através de gêmeos digitais inteligentes que permitem a simulação dos espaços públicos em ambiente virtual. 

“Os gêmeos digitais são uma réplica viva da cidade, fornecendo para o gestor o presente, o passado e o futuro do município. Não é como um modelo 3D, mas sim uma réplica digital que possibilita a interatividade, através da realidade virtual, onde pode se ver, por exemplo, todo o fluxo e a dinâmica do trânsito da cidade. São inúmeras possibilidades de aplicação dos gêmeos digitais para melhorar a qualidade de vida da população”, explicou Charles Stempniak, CEO da Automa Vision. 

A Bohnen+Messtek, de São Paulo (SP), oferece soluções padronizadas de monitoramento para redes elétricas de maneira inteligente. Nesse momento, um estabelecimento comercial do bairro Itaipu A está utilizando essa tecnologia. 

A Topa Facto, de Assunção (Paraguai) dispõe de totem inteligente que disponibiliza: acesso à internet, carregamento de celular, câmera de monitoramento, horário de ônibus, temperatura, cartão braile e sistema de áudio para PCDs. 

 

Sobre o Smart Vitrine

O Smart Vitrine é o edital destinado às empresas que oferecem tecnologias em cidades inteligentes, com soluções que possam ser testadas, validadas e implementadas no ambiente de testes (Sandbox) do Vila A Inteligente, ou Bairro Itaipu A, que é o primeiro e maior bairro público Sandbox do Brasil. 

As soluções tecnológicas que estão sendo apresentadas nas propostas para o Smart Vitrine devem ser enquadradas em um dos seguintes eixos temáticos: Meio Ambiente; Tecnologia e Inovação; Segurança; Economia; Finanças ou Empreendedorismo; Governança; Urbanismo; Saúde; Educação; Energia; Habitação; Esporte, Cultura ou Recreação; Telecomunicações; Mobilidade e Acessibilidade; Agricultura; Saneamento; ou Turismo.  

O Smart Vitrine é uma iniciativa do PTI-BR, da ABDI, da Itaipu Binacional, da Prefeitura de Foz do Iguaçu, com parceria do Inmetro, Sebrae e da Copel. 

 

 

Vila A Inteligente: Novas soluções tecnológicas começam a ser experimentadas pela população no Bairro Itaipu A

Ainda em 2022 mais empresas serão selecionadas para testar, validar e certificar suas soluções tecnológicas em Foz do Iguaçu 

 

Cinco soluções tecnológicas foram apresentadas nessa quinta-feira, 24, em coletiva de imprensa, pelo Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR). Representantes de diversos veículos de comunicação da região participaram de um tour com detalhamento técnico sobre o funcionamento dessas soluções e quais os benefícios podem trazer à população. 

Entre as soluções apresentadas estão: duas estações de hidratação com água quente e fria; um equipamento que coleta óleo de cozinha usado, favorecendo o meio ambiente; dois totens inteligentes que oferecem internet wireless, carregamentos de celular e informações do transporte público; gêmeos digitais que avaliam pontos de melhoria no trânsito; um equipamento de medição e monitoramento da energia do comércio local. 

De acordo com o diretor superintendente do PTI-BR, general Eduardo Garrido, esta é mais uma etapa cumprida no planejamento do Programa Vila A Inteligente.  

“Nós estamos hoje finalizando mais uma etapa. Tivemos na primeira fase o suporte da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) para a instalação de tecnologias; a segunda fase teve o aporte da Itaipu Binacional; contamos com a prefeitura municipal de Foz do Iguaçu, sem a qual não existiria esse projeto; além disso, temos também nesse projeto, a parceria com a Copel e o Inmetro. O bairro Sandbox é um local para a experimentação, a validação e a certificação de tecnologias voltadas para Cidades Inteligentes”, explicou Garrido. 

A próxima fase agora buscará atrair mais empresas interessadas em validar suas soluções tecnológicas no bairro Itaipu A. “Esse é um programa que gera movimento para a cidade, com empresas nos procurando e submetendo suas soluções para avaliação. Com isso, vamos contribuindo para que Foz do Iguaçu seja cada vez mais uma referência em Cidades Inteligentes, atraindo empresas, negócios, movimentando a economia da cidade e melhorando a qualidade de vida da população”, disse Garrido. 

 

Estratégico para Foz 

Para Rafael Sanches, secretário municipal de Tecnologia da Informação de Foz do Iguaçu, o Programa Vila A Inteligente é estratégico para o desenvolvimento da cidade. 

“Estou aqui hoje representando o prefeito Chico Brasileiro, pois é um privilégio para nós contar com um programa dessa magnitude. O benefício vai além da tecnologia utilizada pela população ou pelo poder público. O Programa Vila A Inteligente vai atrair cada vez mais investimentos para Foz do Iguaçu”, afirmou o secretário. 

 

Qualidade de Vida 

Rafael Deitos, diretor técnico do PTI-BR, destacou a maturidade do Programa Vila A Inteligente e as oportunidades que devem surgir a partir desse momento. 

“O conceito de Cidades Inteligentes parte da premissa que a tecnologia é um meio para trazer melhorias para a qualidade de vida da população. Agora, o espaço está muito mais preparado, o que deve acelerar ainda mais a quantidade de empresas interessadas em submeter suas soluções tecnológicas para avaliação. Essa avaliação ocorre não apenas do ponto de vista técnico, mas também da percepção das pessoas, pois é a população que deve ser a maior beneficiária da Cidade Inteligente”, disse Deitos. 

 

Geração de empregos 

Segundo o diretor de negócios e inovação do PTI-BR, Rodrigo Régis, o Programa Vila A Inteligente trabalha com foco na diversificação da economia da cidade através do empreendedorismo. As empresas novas tem grandes dificuldades para testar rapidamente as tecnologias em ambientes reais e isso é possível no Bairro Itaipu A.  

“Essas tecnologias instaladas aqui são de startups que participaram do edital do programa Smart Vitrine para testar e validar suas soluções. Uma vez validadas essas tecnologias, com a participação da população, isso também valida um modelo de negócios, que pode ser replicado em outros espaços. Com isso conseguimos ampliar o número de empresas em Foz do Iguaçu. Só no ecossistema do PTI-BR, as startups incubadas já geraram 358 empregos diretos. Essa é a semente que está sendo plantada para transformar nossa região”, explicou Régis. 

 

PTI-BR apresenta case do Programa Vila A Inteligente em debate online

O Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR) apresentou, nessa quinta-feira, 17, o case do Programa Vila A Inteligente em debate online promovido pelo Instituto Kapok. 

Willbur Souza, gerente do Centro de Tecnologias Abertas e IoT do PTI-BR, apresentou sobre os desafios na implementação de Cidades Inteligentes, integrando as necessidades municipais, gestão pública, planejamento urbano e a participação de empresas. Para isso, apresentou os resultados no Sandbox Vila A Inteligente, no bairro Itaipu A, para validação de tecnologias e geração de negócios. 

De acordo com Willbur, é crescente o interesse de prefeitos brasileiros em tornar suas cidades cada vez mais inteligentes. Para isso, são diversos desafios: modernizar a gestão pública, conectar os serviços públicos em tecnologias acessíveis, gerar dados para a tomada de decisões, investimento em infraestrutura para atração de investimentos e geração de empregos. 

“Mais de 100 comitivas de gestores públicos já visitaram nossos ambientes de experimentação, seja no Living Lab, seja no bairro Itaipu A para conhecer o Programa Vila A Inteligente. Estamos buscando atrair startups para a cidade que tragam soluções, em ambiente de teste, soluções para demandas reais da sociedade que melhorem a qualidade de vida através da inovação tecnológica”, explicou Willbur. 

Willbur lembrou ainda que o PTI-BR atua com outras competências técnicas como energias renováveis, inteligência territorial, automação e simulação de sistemas elétricos, entre outras, que podem ser disponibilizadas em consultorias para os municípios interessados em Cidades Inteligentes. 

 

Novas Tecnologias 

No dia 24 de fevereiro, serão apresentadas novas tecnologias instaladas no bairro Itaipu A, viabilizadas pelo Programa Vila A Inteligente através do Smart Vitrine. 

Com foco em desenvolver e fortalecer a importância da temática Smartcities, o Vila A inteligente, através do Smart Vitrine, permite experimentação, validação e aprimoramento de soluções em ambiente real (sandbox), onde as empresas interessadas tem a oportunidade de demonstrar suas tecnologias por um período determinado.  

O Smart Vitrine é uma iniciativa do Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR), Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Itaipu Binacional, Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu, com parceria do Inmetro e da Copel. As empresas interessadas e selecionadas têm a oportunidade de demonstrar suas tecnologias por um período determinado. 

No dia 24, serão apresentadas as seguintes soluções tecnológicas: estação de hidratação com água quente e fria; totens inteligentes que oferecem internet wireless, carregamentos de celular, entre outros; equipamento que facilita a coleta de óleo de cozinha usado, gerando benefícios no comércio local; equipamento de medição e monitoramento da energia em residências e comércios; gêmeos digitais que avaliam pontos de melhoria no trânsito e que  facilitam a mobilidade urbana. 

PTI-BR participa de debate online sobre “Os Desafios das Cidades Inovadoras e Inteligentes”

O Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR) participará no dia 17 de fevereiro, quinta, das 9:30 às 11:00, do debate online com o tema “Os Desafios das Cidades Inovadoras e Inteligentes”. 

 

O evento está sendo promovido pelo Instituto Kapok e trará uma reflexão sobre a inovação aplicada à nova relação econômica dos serviços e à gestão das cidades inteligentes, onde a aplicação das tecnologias devem manter o cidadão como o principal beneficiário destas transformações. 

 

Willbur Souza, gerente do Centro de Tecnologias Abertas e IoT do PTI-BR, foi convidado para apresentar o case do Programa Vila A Inteligente. “O evento é uma oportunidade importante para que possamos falar sobre nossas ações e resultados no Programa Vila A Inteligente, tanto em aspectos técnicos, evidenciando nossas expertises em cidades inteligentes, quanto das oportunidades e novos negócios que o programa vem gerando”, explicou Willbur. 

 

Também participarão do debate Ludovino Lopes, presidente da Câmara de Comércio Eletrônico; Regiane Relva Romano, Head de smart cities da Facens; e Wagner Denys, presidente do conselho de inovação da Kapok. 

 

O evento é 100 % online e aberto ao público. Para assistir as redes sociais do Instituto Kapok ou pelo link: https://www.youtube.com/channel/UCXwBXfYrGuwK5Bw64DvB7zw 

 

Comitiva do governo da Dinamarca e do Ministério de Minas e Energia conhecem ações em energias renováveis de Itaipu e PTI-BR

Uma comitiva formada por membros do Ministério de Minas e Energia (MME), da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e da Danish Energy Agency visitaram, nessa terça-feira, 08, Foz do Iguaçu para conhecer as ações em energias renováveis que são referência nacional.

 

Na ocasião, a comitiva conheceu os projetos e a infraestrutura da Itaipu Binacional, do Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR) e do Centro Internacional de Energias Renováveis (CIBiogás).

 

Segundo o diretor do centro para cooperação global da Danish Energy Agency, Ole Emmik Sorensen, a visita faz parte de um intercâmbio de experiências, entre Dinamarca e Brasil, em relação as práticas do setor energético.

 

“Temos aprendido muito com a experiência de outros países, não estamos aqui no Brasil para dizer o que fazer, mas para conhecer as ações em energias renováveis, regulamentações e experiências. Aprendemos muitas lições na Dinamarca para desenvolver um sistema energético de excelência. Temos em média 20 minutos de apagões por ano, o que ainda é alto, mas uma boa média em comparação ao resto do mundo. Então, temos lições a oferecer também”, disse Ole Emmik Sorensen.

 

Para Marcelo Cabral, secretário adjunto do Ministério de Minas e Energia, a visita à Foz do Iguaçu para conhecer os projetos da Itaipu Binacional, PTI-BR e CIBiogás busca aproximar Brasil e Dinamarca para parcerias no setor energético.

 

“A ideia aqui é que eles conheçam ações de referência nacional nas áreas de energias renováveis, transição energética, descarbonização, entre outras. Desse modo a cooperação entres os dois países se torna mais rica e produtiva para buscar soluções sustentáveis”, explicou Cabral.

 

O diretor técnico do PTI-BR, Rafael Deitos, foi um dos responsáveis pela recepção da comitiva e por apresentar um dos projetos desenvolvidos no Parque Tecnológico: a planta experimental para a produção de hidrogênio verde, através da eletrólise da água, em parceria com a Itaipu Binacional e a Eletrobras.

“O PTI tem experiência na área de hidrogênio há muitos anos. Somos muito procurados por empresas e parceiros que querem desenvolver projetos nessa área. Estamos estruturando uma rede de hidrogênio verde para colocar o Paraná na ponta da cadeia produtiva do Brasil”, disse Deitos.

 

A comitiva da Dinamarca segue ainda nessa terça-feira, 8, para Brasília, onde terá encontros com o Ibama, Aneel e Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

 

Empresa de tecnologia de ponta para agronegócio intensifica parceria com PTI-BR em 2022

O Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR) está preparando uma programação intensa, em 2022, com o Grupo Fienile, de Minas Gerais, que atua em vários estados, e é especializada em tecnologia para lavoura. 

A parceria será destaque em dois grandes eventos do Agronegócio: o Dia de Campo Copagril, entre os dias 19 e 21 de janeiro, em Marechal Cândido Rondon (PR), com mais de 170 empresas inscritas. Neste período, ocorrerá a 1ª edição do AgroInova, espaço especialmente voltado para inovações e tecnologias aplicadas ao agronegócio.  

Além disso, em fevereiro, o PTI-BR e o Grupo Fienile participarão do Show Rural Digital, que faz parte da 33ª edição do Show Rural Coopavel, em Cascavel (PR). 

O Grupo Fienile desenvolveu a Tecnologia Irriluce, que utiliza iluminação artificial na lavoura em equipamentos de irrigação, visando otimizar o trabalho do agricultor. São módulos de led que estimulam as plantas a fazer o processo da fotossíntese, mesmo durante a noite, melhorando a fertilidade do solo e reduzindo a necessidade de fungicidas. 

O CEO do Grupo Fienile, Gustavo Grossi, explica que o trabalho não se resume só a luz, tendo um eficiente aparato tecnológico desde o pivô à utilização da vazão de água. Além disso, é necessário um trabalho de nutrição e de recuperação de estrutura de solo, incluindo o manejo de tecnologias que remineralizam o solo para que o resultado do agricultor seja o melhor possível.  

Ele também enfatiza a importância das pesquisas durante o processo. “Nós sempre deixamos bem claro no momento em que chegamos até o agricultor que não é somente investir na Tecnologia Irriluce, ou adquirir o pivô de irrigação, ou mesmo adaptar o pivô de irrigação de água que ele já possui com a tecnologia de irrigação de luz, é preciso muito mais do que isso. É preciso estar disposto a contribuir com a pesquisa, receber pesquisadores na sua propriedade para avaliar o desenvolvimento do projeto pelo menos nos três primeiros anos”, disse Gustavo Grossi, CEO do Grupo Fienile. 

  

Gerar novos negócios 

Essa disposição para contribuir com a pesquisa contará agora com o suporte do Parque Tecnológico, que possui o agronegócio como uma de suas quatro linhas temáticas – energia, segurança de infraestruturas, turismo e cidades inteligentes são as demais – e tem a tecnologia, inovação, pesquisa e empreendedorismo como objetivos que permeiam todos os seus projetos. 

Para o diretor de negócios e inovação do PTI-BR, Rodrigo Régis, a parceria com o Grupo Fienile renderá frutos já que ambas as organizações buscam inovação tecnológica, no agronegócio, com foco em gerar negócios. 

“Um parque tecnológico tem a missão de contribuir com o desenvolvimento da região onde está inserido. Ele tem o papel e o dever de trabalhar na diversificação da economia, estimulando a inovação por meio de soluções tecnológicas e através do empreendedorismo. E esse empreendedorismo tecnológico é de alto valor agregado. Por isso, a parceria com o Grupo Fienile é muito importante”, destacou Régis. 

 

Mais empregos 

O diretor superintendente do PTI-BR, general Eduardo Garrido, considera que a parceria com o Grupo Fienile vai gerar um grande incremento para agronegócio paranaense e de todo o Brasil. 

“O agronegócio representa mais de 26% de todo o Produto Interno Bruto do Brasil (PIB). No Paraná, o agronegócio corresponde a mais de um terço do PIB estadual. Por isso, a parceria com o grupo Grupo Fienile é fundamental. O caminho é a tecnologia e a inovação para gerar cada vez mais empregos, renda e bem-estar social. Essa é a missão que o PTI-BR quer ajudar a concretizar”, disse Garrido. 

 

PTI-BR e Casa da Moeda avaliam Termo de Cooperação Técnica na área de energias sustentáveis

Uma comitiva do Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR), formada pelo diretor superintendente, general Eduardo Garrido, pelo diretor técnico, Rafael Deitos, e pelo gerente de projetos de energias renováveis, Tales Jahn, visitou a sede da Casa da Moeda do Brasil (CMB), no Rio de Janeiro (RJ), com o objetivo de conhecer a estrutura energética da sua sede, com vistas a discussão de um futuro Termo de Cooperação Técnica (TCT). 

O TCT é um instrumento em que instituições distintas buscam cooperar em prol de um objetivo comum, mediante a troca de experiências com vistas ao desenvolvimento de novas tecnologias, ações e metodologias que permitam alcançá-lo. Esse instrumento deverá fazer parte na implantação do Programa de Gestão e Eficiência Energética (PGEE) da Casa da Moeda. 

Nas últimas décadas, a Casa da Moeda do Brasil rompeu fronteiras ao atender o mercado internacional e ao oferecer aos seus clientes soluções de segurança inovadoras com tecnologia para captura dos dados biométricos e biográficos. Além disso, disponibiliza soluções que englobam hardware, software, bem como a operacionalização destes serviços nos locais remotos, além do desenvolvimento de sistema para armazenagem e tratamento dos dados. 

Para atender todas essas demandas, a instituição investe cada vez mais em fontes de energia limpas (gerada sem emitir poluentes) como a energia solar, energia eólica e hídrica, por exemplo. Suas iniciativas no meio ambiente contemplam o Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa, reflorestamento, coleta seletiva solidária, reuso da água e gestão de resíduos sólidos.  

Nesse sentido, o PTI-BR foi convidado para as primeiras tratativas e intercâmbio de experiências na área de energia sustentável. “A Casa da Moeda do Brasil tem feito um grande esforço, ao longo de muitos anos, para garantir eficiência energética. Por isso, buscou o PTI, através da Itaipu Binacional, para pensar em parcerias que auxiliem essa grande instituição pública na missão implantar a responsabilidade socioambiental em suas atividades”, explicou o diretor técnico do PTI-BR, Rafael Deitos. 

Para o diretor superintendente do PTI-BR, general Eduardo Garrido, a visita à Casa da Moeda representa um dos focos do Parque Tecnológico em 2022. “Para nós, será uma honra poder contribuir com projetos que auxiliem na sustentabilidade ecológica, garantindo um futuro para as próximas gerações, e também na eficiência energética da Casa da Moeda. O PTI está investindo cada vez mais em parcerias com grandes instituições brasileiras, com foco nas áreas energia, agronegócio, cidades inteligentes e turismo”, disse Garrido. 

 

Casa da Moeda 

Fundada em 8 de março de 1694, a Casa da Moeda é uma das mais antigas instituições públicas do Brasil. Suas atividades remontam ao período colonial, tendo se dedicado, originariamente, a recunhar as moedas portuguesas e espanholas em circulação. Um ano após a fundação, iniciou-se a cunhagem das primeiras moedas brasileiras. 

 

 

PTI-BR participa do maior evento de Inovação e Tecnologia da América Latina

O Rio Innovation Week deve receber cerca de 40 mil pessoas em 4 dias do evento 

 

O Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR) participa entre os dias 13 e 16 de janeiro do Rio Innovation Week, maior evento de Inovação e Tecnologia da América Latina, que espera receber cerca de 40 mil pessoas, incluindo mais de 500 palestrantes, 1.000 startups e 190 expositores. 

O Rio Innovation Week terá diversos espaços com foco em diferentes segmentos do mercado que hoje utilizam a tecnologia como base para crescimento dos negócios, entre os quais o Sociedade 5.0, o Conecta e o AgroRio Tech. 

O espaço Sociedade 5.0 objetiva a convergência de todas as inovações que possibilitam maior qualidade de vida para o cidadão, em especial as cidades inteligentes. O Conecta reforça como o Varejo 4.0 foca na convergência de dois mundos: o varejo tradicional e o varejo digital. O AgroRio Tech apresenta a agricultura do futuro, através das tecnologias, fomentando negócios, e promovendo a inovação.  

  

Smart Vitrine 

A participação do PTI-BR no evento tem como objetivo divulgar as iniciativas e soluções realizadas no Programa Vila A Inteligente, prospectar empresas para o Smart Vitrine e parceiros estratégicos para o Hub Iguassu. Além disso, serão apresentados também os projetos nas áreas de energia e inovação aberta. 

Para o diretor superintendente do PTI-BR, general Eduardo Garrido, o Rio Innovation Week é uma excelente oportunidade para buscar parcerias, investimentos e conectar empresas e startups. “O evento vai promover e dar visibilidade nacional aos projetos do Parque Tecnológico Itaipu. Nossos centros de competências e startups incubadas apresentarão uma amostra das soluções inovadoras que temos a oferecer para todo o Brasil”, disse Garrido. 

Para isso, estão programadas pelo menos 4 conferências que serão ministradas pelo diretor de negócios e inovação, Rodrigo Régis, e pelo diretor técnico, Rafael Deitos. Além de contar com a participação das empresas selecionadas no Smart Vitrine, Topa e Automa, que apresentarão, no estande do PTI, as soluções que serão testadas no Bairro Itaipu A, maior bairro sandbox do Brasil, em 2022. 

As startups incubadas Maker Soluções, WestCob, Manfing, Lolita, Daga Agrinavi e Um bom App, estarão em espaços variados apresentando suas soluções para o mercado.  

  

Segurança 

O Rio Innovation Week seguirá todos os protocolos de segurança indicados pelos órgãos competentes, incluindo a exigência do uso de máscara, a disponibilização de álcool gel e o distanciamento social. Será exigido na entrada do evento, de visitantes moradores ou não do Rio de Janeiro, o comprovante de vacinação contra a Covid-19. Serão aceitos comprovantes digitais, como o aplicativo do Conecte SUS, ou físicos, como a carteira de vacinação ou o comprovante assinado emitido no momento da vacinação.