Conectando educación, pesquisa,

 

 

innovación y negocios

Acelera Foz: para o PTI, crescimento da cidade passa pela atração de empresas e investimentos em tecnologia

Acelera Foz: para o PTI, crescimento da cidade passa pela atração de empresas e investimentos em tecnologia

14/05/2020

A atração de grandes empresas e também de novas startups, o investimento em tecnologias como a Inteligência Artificial e a capacitação do turismo são algumas das propostas do Parque Tecnológico Itaipu (PTI-PR) no Programa Acelera Foz. A ideia é tornar Foz do Iguaçu, já reconhecida por sua vocação turística, como um polo de empreendedorismo e de inovação no País.

 

O diretor superintendente do Parque Tecnológico, general Eduardo Garrido, e o diretor de Inovação e Negócios do PTI, Rodrigo Régis de Almeida Galvão, falaram sobre a participação da instituição no Programa Acelera Foz na tarde desta quinta-feira, 14, em live promovida pela Loumar Turismo. 

 

A iniciativa integra um plano de retomada econômica e tem a coordenação estratégica do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social de Foz do Iguaçu (Codefoz), Itaipu Binacional, PTI, Prefeitura de Foz, Sebrae, Programa Oeste em Desenvolvimento, Associação Comercial e Empresarial de Foz do Iguaçu (Acifi) e Conselho Municipal de Turismo (Comtur).

 

O Acelera Foz, que está dividido em sete eixos e envolve oito instituições representativas da cidade, tem como objetivo movimentar a economia de Foz do Iguaçu com mais de R$ 900 milhões. O Parque Tecnológico, conforme explicaram os diretores, terá um papel fundamental neste processo. 

 

"O Acelera Foz propõe resultados audaciosos para fazer com que Foz do Iguaçu saia na frente e, assim, criarmos um ambiente de otimismo para nossa população, com a geração de novos empregos, a dinamização da economia e a criação de novas opções", afirma o diretor superintendente do Parque Tecnológico, general Eduardo Garrido. 

 

Um dos eixos de atuação do Parque será o incentivo a grandes tendências mundiais em tecnologia, como a Inteligência Artificial e as Cidades Inteligentes. A expectativa é que, no segundo semestre do ano, seja implantado no PTI um Laboratório de Inteligência Artificial para atender demandas do setor do agronegócio. 

 

Na área de Cidades Inteligentes, de acordo com o diretor de Negócios e Inovação, a intenção é fazer com que a Vila A seja um grande laboratório de tecnologias. “Não dá para falar de desenvolvimento econômico municipal sem falar de Cidades Inteligentes, que são produtos e serviços que têm como foco a qualidade de vida dos cidadãos”, explicou. Essas soluções atendem, por exemplo, as áreas de mobilidade urbana, segurança e coleta de lixo, e o objetivo é fazer com que as empresas validem suas tecnologias na Vila A, que pode tornar-se também mais um atrativo aos visitantes da cidade. 

 

O incentivo à vinda de novas empresas a Foz do Iguaçu, desde empresas-âncoras a novas startups,  é outro esforço do Parque Tecnológico no Acelera Foz. A proposta é unir as demandas das empresas, que visem aumentar a competitividade dos negócios, com o incentivo ao desenvolvimento de soluções para esses desafios por parte dos novos empreendedores. 

 

Ainda visando esse aumento de competitividade, será feita a ligação entre empresas e universidades locais, com a criação de bolsas de pesquisas para que estudantes possam dar apoio na resolução de problemas dos negócios e, assim, também reduzir a evasão estudantil. 

 

As ações do Programa incluem ainda a divulgação de Foz do Iguaçu, com o objetivo de fortalecer não somente o destino turístico, mas projetar a cidade como um polo de inovação. Em relação ao turismo, o Programa prevê a capacitação dos profissionais, a modernização de atrativos do Complexo Turístico Itaipu (CTI) e o apoio ao setor, trazendo startups para a resolução de demandas.