Solução para o mercado de biogás é desenvolvida por meio do Programa Integração Universidade Empresa 

Produto desenvolvido na 3DI Engenharia, por meio do PIUE, promove a preservação da vida útil dos equipamentos e melhora a capacidade energética do biogás.  

 A demanda do mercado por utilização de energia limpa e renovável tem incentivado o desenvolvimento e a criação de novas soluções e tecnologias que atendam o setor. Um dos exemplos de fontes alternativas é o biogás, que vem ganhando a cada dia mais visibilidade por ser um combustível com alto potencial energético e de baixo custo.  

A 3Di Engenharia é uma das empresas participantes do Programa de Integração Universidade e Empresa (PIUE). Localizada em Foz. a 3DI atua no desenvolvimento de soluções que vão desde a pesquisa e desenvolvimento até a execução de obras de infraestrutura e aquisição de máquinas e equipamentos para arranjos de produção de biogás.  

O PIUE tem o objetivo de contribuir com o estimulo e a diversificação da economia da região e gerar oportunidades, integrando conhecimentos adquiridos na universidade com aplicação direta nas demandas das empresas participantes do programa. Por meio de sua participação no PIUE, a 3DI desenvolveu o equipamento Sulfer Tech, uma solução tecnológica que contribui com a purificação do biogás.   

Benefícios 

Ao falar sobre a importância da solução, a estudante de Engenharia Mecânica da UDC, Maysa Panzenhagen, explica que o processo de formação do gás é feito através da decomposição da matéria orgânica por microorganismos por meio de digestão anaeróbia (sem a presença de oxigênio) e após esse processo, tendo como resultado a formação de metano (CH4), dióxido de carbono (CO2), sulfeto de hidrogênio (H2S) e umidade. “O sulfeto de hidrogênio é um gás muito corrosivo, então para realizar a queima para geração de energia é necessário que esse gás seja removido, porque em contato com ele, as máquinas e equipamentos acabam sendo danificados e trazem um grande prejuízo”, explica. 

O projeto de dessulfurização biológica consiste na inserção de ar e oxigênio de maneira controlada, diretamente no biodigestor onde o biogás é produzido, sendo assim o H2S em contato com o ar/oxigênio acaba formando o enxofre. “O nosso equipamento fabricado facilita esse processo de remoção de H2S, porque é uma forma simples de execução, utilizando sensores capazes de fazer a leitura e de acordo com a demanda é realizado a inserção conforme necessidade”, destaca Maysa. 

O dessulfurizador passará a integrar a linha de produção da 3Di para que complemente outros equipamentos já fabricados na empresa para que possam entregar aos clientes um biogás com alto potencial energético sem trazer danos aos equipamentos. 

 Mercado de trabalho 

 Sobre a experiência de participar do PIUE, Maysa revela que o programa foi uma grande oportunidade e incentivo para o seu crescimento profissional. “A engenharia nos traz um leque de opções de áreas de atuação e com o andamento do projeto e as realizações de cada etapa, tive diversas experiências como o a realização do projeto, levantamento de custos, atividades relacionadas à parte financeira e administrativa e execução do projeto”. 

“E após duas edições do projeto, com o diploma próximo, finalizamos o projeto e posso dizer com total certeza que hoje eu estou preparada para entrar no mercado de trabalho, dar continuidade aos estudos e me dedicando ao máximo para ser uma grande profissional”, finaliza a estudante. 

 Novas soluções  

 Para o diretor técnico da 3DI, Lúcio Ricken o projeto promove e fortalece a integração entre empresa, universidade e instituições de Ciência e Tecnologia capazes de desenvolver conjuntamente novas soluções de mercado com agilidade, qualidade técnica e aceitabilidade mercadológica. “O apoio financeiro somado a integração de pesquisadores acadêmicos a projetos de P&D em empresas são os principais mecanismos para a viabilização de produtos inovadores que contribuem com a geração de riqueza e retenção de mão de obra qualificada no território”, destacou.  

 “O equipamento Sulfer Tech integra hoje o catálogo de produtos da 3DI a baixo custo aplicado ao mercado de biogás, com apelo em energia sustentável, capaz de gerar ganhos econômicos e socioambientais”, complementou o diretor técnico da 3Di.  

 Conexão  

Em visita a 3DI Engenharia, o diretor superintendente do Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR), general Eduardo Garrido, destacou a importância do programa para os estudantes, universidades e empresas. “A iniciativa promove a integração entre a academia e o mercado, resultando na melhoria nos processos das empresas, fortalecimento dos negócios locais, desenvolvimento da cultura da inovação, preparando os alunos para o mercado de trabalho com a utilização da metodologia hands one o incentivo à pesquisa com bolsas oferecidas aos alunos”, afirmou.  

Sobre o PIUE 

Desde 2020, criado por meio do Acelera Foz, o programa vem proporcionando oportunidades a estudantes de diferentes áreas, estimulando a inserção dos alunos de cursos de graduação e pós-graduação em atividades de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação, e a iniciarem suas carreiras profissionais, desenvolvendo soluções para pequenas e médias empresas. Contribui com a qualificação dos negócios de Foz do Iguaçu, o enriquecimento da experiência acadêmica a partir da aplicação dos conceitos teóricos, e com a redução de evasão dos universitários nas Instituições de Ensino.  

 A parceria envolve o PTI-BR, Itaipu Binacional, Sebrae, empresas e universidades da região. 

 Na primeira edição do programa, realizada entre 2020 e 2021, foram mais de 170 bolsista, 28 soluções tecnológicas e mais de 32 projetos com otimização nos serviços prestados, desenvolvidos em diversas empresas de Foz do Iguaçu. Já na 2ª edição, envolveu 11 empresas e 32 estudantes, que também tiveram a oportunidade de colocar em prática o que aprenderam em sala de aula, e se desenvolver profissionalmente. 

A terceira edição, que contempla os municípios: Guaíra, Terra Roxa, Marechal Cândido Rondon, Medianeira, Santa Helena e São Miguel do Iguaçu, está em andamento, e está contando com projetos executados em 6 empresas e 12 bolsistas, tendo como parceiros do edital, mais de 15 instituições de ensino. E a quarta edição, que também se encontra em andamento, contemplando além dos municípios selecionados para a terceira, o município de Cascavel, que também totaliza 6 empresas (projetos) sendo executados e 12 bolsistas participando do Programa Integração Universidade e Empresa. O SEBRAE oferece capacitações voltadas ao empreendedorismo e inovação em todas as edições do Programa, contribuindo ainda mais com o desenvolvimento das partes envolvidas. 

 

 

 

 

Parque Tecnológico Itaipu – Brasil lança edição especial do Hangar PTI Startups voltado a Cidades Inteligentes

As inscrições estarão abertas até o dia 30 de junho; São bem-vindos negócios inovadores que apresentem soluções voltadas para Cidades Inteligentes. 

Já estão abertas as inscrições para a edição especial do Hangar PTI Startups, mecanismo para capacitação e seleção de ideias inovadoras que recebem apoio e assessoria para ingressarem na Incubadora Santos Dumont – a incubadora do Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR).

Em edição especial, o Edital Hangar Cidades Inteligentes é direcionado a startups do eixo de Smart Cities. Dentre seus benefícios, o programa oferece aporte de até R$70 mil em recursos financeiros e econômicos para desenvolvimento da solução, acesso a infraestrutura do PTI-BR, capacitações e assessoria com analistas de negócios, mentorias com profissionais renomados do Programa PTI Mentor e incubação 100% online, permitindo que empresas passem pela jornada remotamente de qualquer lugar do Brasil. O Edital conta ainda com a possibilidade de testar e validar as soluções no primeiro Sandbox em bairro público do país, o Vila A Inteligente. 

Nos últimos anos, o Parque Tecnológico Itaipu tornou-se uma referência nacional em cidades inteligentes, tendo desenvolvido uma robusta plataforma de negócios que dá vida a programas como: Vila A Inteligente, Smart Vitrine, Hack4cities, Centro de Excelência em Smart Cities, entre outros mecanismos que se conectam e auxiliam no amadurecimento de negócios, projetando startups dentro da maior vitrine tecnológica em Smart Cities do país.   

O Hangar Cidades Inteligentes é uma união entre o Parque Tecnológico Itaipu e o programa Vila A Inteligente – uma iniciativa Itaipu Binacional, ABDI, PTI-BR e Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu – e conta com apoio do SEBRAE. Para saber mais informações e como se inscrever, acesse: www.pti.org.br/hangar.  

Escola Internacional para Sustentabilidade lança conteúdos especiais para o mês do meio ambiente  

A iniciativa educacional do PTI-BR e da Itaipu Binacional  tem como premissa promover o conhecimento sobre temáticas sustentáveis e do desenvolvimento sustentável com foco na visão sistêmica dos territórios. 

“Uma só Terra” é o tema da Organização das Nações Unidas (ONU) para o Dia Mundial do Meio Ambiente em 2022, comemorado em 5 de junho. Para contribuir com as ações e campanhas que acontecem ao redor do mundo, o Parque Tecnológico Itaipu-Brasil (PTI-BR) e a Itaipu Binacional, através da Escola Internacional para Sustentabilidade (EIS), prepararam uma série de conteúdos especiais que serão publicados ao longo do mês.  

Assuntos como “Pegada Ecológica”, “Sustentabilidade: conceito e prática” e “Serviços Ecossistêmicos” estão entre as produções audiovisuais que serão publicadas no canal da iniciativa educacional e tem como objetivo expandir a rede de conhecimento sobre alguns dos conceitos que são trabalhos nos diferentes cursos da EIS de forma descomplicada e acessível.  

Estreando a série de conteúdos, o foco é justamente o conceito da sustentabilidade, uma palavra que está em evidência nas diferentes mídias, mas que ainda gera algumas dúvidas sobre seu significado e suas aplicações. O vídeo já está disponível e pode ser visualizado aqui. 

O mês de junho foi instituído como referência para discussões ambientais após a Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento e Meio Ambiente Humano, em 1972. Na ocasião, a temática foi exatamente a mesma de 2022, ou seja, meio século depois, a pauta ainda demanda por amplos debates e a busca por soluções individuais e coletivas para garantir a construção de um futuro mais equilibrado. 

Essa é a premissa apresentada pelo segundo conteúdo. A animação “Pegada Ecológica ilustra como nossos hábitos e estilos de vida deixam “rastros” no planeta e nos seus recursos naturais. É possível, ainda, descobrir como fazer o cálculo da sua “pegada” e entender como pequenas mudanças no seu dia-a-dia podem contribuir com as questões coletivas ambientais. 

Além da série especial para o mês do meio ambiente, a Escola possui um verdadeiro acervo de materiais multimídia que trazem uma imersão nas temáticas sustentáveis. Em suas redes sociais, é possível encontrar informações sobre energias renováveis, gestão territorial, serviços ecossistêmicos, cidades inteligentes, gestão de resíduos sólidos e muitos outros conteúdos de relevância para enriquecer os debates e ampliar o alcance de tópicos sobre gestão para sustentabilidade. Acesse aqui os conteúdos.  

Também é possível acompanhar as oportunidades de inscrições em cursos gratuitos sobre diferentes temáticas tanto para o público externo quanto para técnicos e parceiros da Itaipu e do Parque Tecnológico. Já no podcast Diálogos Sustentáveis, são publicadas entrevistas com especialistas sobre questões globais de sustentabilidade e do território de abrangência da Itaipu. 

A Escola Internacional para Sustentabilidade   

A EIS é uma iniciativa educacional resultado de um convênio entre a Itaipu Binacional e o Parque Tecnológico Itaipu (PTI), sob gestão da Divisão de Educação Ambiental da Itaipu e do Núcleo de Inteligência e Gestão Territorial, que integra o Centro da Inteligência e Gestão Territorial do PTI.   

Governo do Paraná, por meio da Araucária e SETI, formaliza a criação da Cátedra Araucária para o Desenvolvimento Territorial Sustentável do Eixo Capricórnio

O Governo do Paraná, por meio da Fundação Araucária e com o apoio da Superintendência Geral da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (SETI) assinou nesta sexta-feira (03), o protocolo de intenções de criação da Cátedra Araucária para o Desenvolvimento Territorial Sustentável do Eixo Capricórnio, documento no qual simbolizou a adesão das mais de 30 instituições à iniciativa. A cerimônia foi realizada no Parque Nacional do Iguaçu e contou com a participação de diversas autoridades acadêmicas, governamentais os estados e países englobado pelo Eixo Capricórnio e parceiros da Araucária.

“Essa ação se insere no olhar futuro do Paraná para a região Oeste e consequentemente para o desenvolvimento socioeconômico do Estado. Portanto, essa Cátedra trata da chamada diplomacia da ciência que envolve instituições paranaenses, sul-mato-grossenses, catarinenses, paraguaias, argentinas e chilenas para trabalhar de forma integrada os estudos que são necessários para avançarmos no desenvolvimento sócio, econômico, político e regional”, disse o presidente da Fundação Araucária, Ramiro Wahrhaftig.

O evento encerrou a semana que contou com quatro dias de apresentações online de iniciativas e programas de instituições envolvidas na construção da Cátedra e que estão localizadas nos estados do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul, e em países como Argentina, Paraguai, Austrália, França, Moçambique e Chile, dentre outros. Nessas exposições puderam ser identificadas áreas afins para a construção da Cátedra. Em todos os quatro dias, os eventos contarão com a participação de aproximadamente 100 pessoas.

O presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc), Fábio Zabot Holthausen, também aderiu à Cátedra e participou da solenidade de assinatura. “Essa iniciativa é de extrema importância no sentido que irá proporcionar uma maior integração das Academias, dos pesquisadores, em prol de temas comuns, especialmente, o desenvolvimento territorial sustentável. Já que todos vivemos a partir de recursos escassos, em ambientes escassos, em que precisamos gerar o desenvolvimento dos nossos territórios, especialmente, ligados ao interior dos nossos estados. Por meio desta ação, e os estudos que irá nos proporcionar, vamos poder entender melhor as necessidades e tomar decisões mais assertivas”, finalizou.

Dentre as atividades que poderão ser executadas a partir deste protocolo de intenções são: intercâmbio institucional de docentes, técnico- administrativos e discentes de graduação e de pós- graduação;  desenvolvimento de atividades de ensino e/ou pesquisa, relacionadas às áreas de atuação dos partícipes e organização de simpósios, conferências, cursos de curta duração em áreas de pesquisa.

“A Cátedra de Desenvolvimento Territorial Sustentável é inédita, pois não existe hoje no país uma proposta que busque esse tipo de desenvolvimento da pesquisa, da ciência, da inovação e da tecnologia voltado para questões que são emergenciais. A Cátedra vai se dedicar em um primeiro momento às questões como a emergência climática, as novas organizações sociais que estão surgindo pós-pandêmicas, a toda necessidade que temos de capacitação e transformação digital, buscando promover os objetivos de desenvolvimento sustentável”, ressaltou o diretor científico, tecnológico e de inovação da Fundação Araucária, Luiz Márcio Spinosa.

Com a Cátedra também será possível a promoção: de atividades e eventos técnico- científicos e culturais abertos à população em geral, de formação de docentes e pesquisadores, mediante criação de cursos especializados de alto nível, de cursos de treinamento e reciclagem, bem como o incentivo à abertura de linhas de pesquisa interinstitucional associadas a programas locais de pós-graduação, de publicações conjuntas; de atividades de cunho social, mediante oferta de atividades de extensão; e, intercâmbio de informações pertinentes ao ensino e à pesquisa, em cada instituição.

“É cada vez mais evidente a importância que a pesquisa tem para o desenvolvimento de toda as regiões do mundo, e essa iniciativa da Fundação Araucária de criar uma Cátedra específica para o Eixo de Capricórnio, na qual agregará pesquisas, atividades de ensino, trabalho de cooperação em rede . Sem dúvida nenhuma é uma iniciativa relevante para a cooperação nacional e internacional que apresente alternativas e soluções para o desenvolvimento de todos esses países , colocando as melhores energias, as melhores inteligências e a capacidade da massa crítica dessas regiões em busca de alternativas de crescimento”, salientou o superintendente geral da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldo Bona.

De acordo com o diretor superintendente do Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR), general Eduardo Garrido, para a instituição, integrar a iniciativa, está alinhada a missão do Parque Tecnológico em desenvolver soluções, produtos e serviços que promovam riqueza e bem-estar para a sociedade. “Enquanto Instituição de Ciência e Tecnologia (ICT), possuímos competência e expertise na área de desenvolvimento territorial sustentável, com o levantamento de dados, geração de informação e tecnologia. Participar da construção da Cátedra Araucária está em consonância com os nossos objetivos de promover pesquisa e inovação em prol do desenvolvimento da sociedade”, destacou.

A Cátedra é uma iniciativa da Araucária e do Institute Mines Télécom d’Alés – IMT Mines Alès, na França e a iniciativa é fundamentada na teoria dos commons, engenharia e gestão do conhecimento e educação digital. Passa pela construção conjunta de formações inovadoras, por avanços dos conhecimentos sobre resiliência territorial, interoperabilidade, mudanças climáticas, cidades das próximas gerações, paradiplomacia, infraestrutura e logística sustentáveis (entre outros temas), até mesmo a constituição de clusters – de empresas, por exemplo e, também, de pesquisas aplicadas.

“É uma honra e um privilégio o Parque Nacional do Iguaçu fazer parte do nascimento da Cátedra Araucária. Essa articulação deve ser o ponto de virada, tornando o Eixo Capricórnio referência no desenvolvimento territorial sustentável. Gerar conhecimento, desenvolver capital humano e estimular a inovação voltados ao enfrentamento dos grandes desafios globais da atualidade são ações não somente importantes, mas sim essenciais”, comentou a chefe do Parque Nacional do Iguaçu, Cibele Munhoz Amato.

A presidente da Associação Paranaense das Instituições de Ensino Superior Público (Apiesp), Fátima Aparecida da Cruz Padoan, destacou que a escolha pela criação do dispositivo internacional de uma cátedra de pesquisa demonstra, desde já, o comprometimento com o propósito coletivo de gerar conhecimento e desenvolvimento. “Esse comprometimento está no cerne das atividades desenvolvidas pelas Universidades Estaduais, pois elas, distribuídas estrategicamente pelo Paraná, têm contribuído imensamente para o desenvolvimento não apenas local, mas também ultrapassando seus territórios e, neste momento, não se furtam a enfrentar o desafio de se conectarem aos demais agentes para pensar sobre os desafios estratégicos a serem enfrentados por esta rede nacional e internacional”, informou.

O vice-governador do Paraná, Darci Piana parabenizou a Fundação Araucária pela iniciativa.“Para o governo do Paraná é uma alegria presenciar uma iniciativa que irá estimular o desenvolvimento de pesquisas científicas integrando todos os países componentes do Eixo Capricórnio. O caráter multidisciplinar e intersetorial da Cátedra Araucária para o Desenvolvimento Territorial Sustentável do Eixo Capricórnio é a certeza de que discussões e soluções importantes serão construídas. Tenho certeza de que os representantes de todos os países envolvidos se empenharão ao máximo para encontrar inovações conjuntas para o desenvolvimento territorial sustentável. Saúdo especialmente o presidente da Fundação Araucária, Ramiro Wahrhaftig, por essa importante iniciativa”, afirmou.

Crédito texto: Comunicação/Fundação Araucária

Agência de Inovação de Ponta Grossa firma convênio com Parque Tecnológico de Itaipu – Brasil 

Parceria tem como objetivo promover o estímulo ao empreendedorismo e a inovação. 

Nesta quinta-feira (2), a Agência de Inovação e Desenvolvimento de Ponta Grossa e Parque Tecnológico de Itaipu – Brasil (PTI-BR) formalizaram convênio para o PTI Conecta Vale dos Trilhos. A assinatura aconteceu em Foz do Iguaçu entre a presidente da Agência de Inovação, Tônia Mansani de Mira, e o diretor superintendente do Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR), general Eduardo Garrido. 

Segundo Tônia, através do convênio, o Parque Tecnológico Itaipu será um parceiro da agência para o desenvolvimento de atividades que visem promover o ecossistema de empreendedorismo e inovação local por meio do Espaço de Empreendedorismo de Ponta Grossa. O objetivo, aponta Tônia, será ajudar no desenvolvimento de novas startups, além de oferecer suporte e know-how, conduzindo os alunos a tirarem suas ideias do papel e apresentar instituições de fomento à inovação e negócios. O PTI Conecta Vale dos Trilhos contará com a parceria de universidades e instituições através da governança de educação: Sesi/Senai, Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Unisecal, Unicesumar, Unopar, Marista, e, conforme Tônia, está aberto para novas parcerias.  

“Iniciamos esta gestão trabalhando intensamente para convergir nossos esforços para a construção de uma Ponta Grossa inteligente. Nesse sentido, foi criada da Agência de Inovação e Desenvolvimento de Ponta Grossa, elevando a inovação a um novo patamar, transversal a todas as secretárias, e, sendo o nosso vetor de desenvolvimento enquanto política pública. A parceria com o PTI vem contribuir de forma significativa para a construção de uma cidade inteligente, através da disseminação da cultura do Empreendedorismo inovador e assim ter a inovação em nosso DNA”, afirma Tônia.  

Segundo ela, neste sentido, o PTI Conecta Vale dos Trilhos marca um novo tempo de muito trabalho junto à governança de educação. “Será um trabalho bastante importante que trará uma entidade que tem expertise em ambiente de inovação como o PTI para contribuir com o nosso ecossistema”, completa.  

O diretor superintendente do PTI-BR, general Eduardo Garrido, destacou a importância da assinatura do Termo de Cooperação entre as instituições e disse que a parceria vem para contribuir com a transformação digital, o desenvolvimento e a inovação no estado do Paraná. “Temos a missão de gerir um ecossistema de inovação, desenvolvendo ciência, tecnologia e negócios como o objetivo maior que é o bem-estar do cidadão, a geração de emprego e renda. Com essa parceria vamos ter a oportunidade de contribuir com Ponta Grossa, levando nossas expertises, seja nas ações já desenvolvidas, soluções do Programa Vila A Inteligente, mas principalmente incentivando potencial dos jovens e universitários para o empreendedorismo”, afirmou.  

Saiba mais sobre o Parque Industrial 

Ponta Grossa é o maior parque industrial do interior do Paraná, abrangendo mais de 800 indústrias que influenciam diretamente na geração de empresas e empregos. A cidade também detém políticas públicas de inovação tecnológica de democratização e inovação digital de educação e empreendedorismo, e conta com mais de 98 cursos de graduação, sendo 47 em áreas tecnológicas e com número de alunos dentro da área em torno de 9 mil.  

 

PTI-BR encerra participação em evento sobre Cidades Inteligentes com novas conexões e oportunidades 

A presença do Parque Tecnológico Itaipu Brasil PTI-BR na exposição, teve como propósito apresentar, em cenário nacional, as expertises em Smart Cities presentes em Foz do Iguaçu. 

Conexões, inovação, tecnologia, empreendedorismo e negócios. Foi dessa forma que o Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR) encerrou, nesta última quinta-feira (26), a sua participação em um dos eventos mais estratégicos sobre Cidades Inteligentes, o Smart City Business Brazil Congress (SCBA). 

Com duração de três dias, o evento promovido pelo Instituto Smart City Business America (SCBA) em São Paulo, contou com a presença de prefeituras, empresas que trabalham com soluções tecnológicas e especialistas no objetivo de fomentar a discussão e apresentar de soluções em tecnologias para as cidades se tornarem cada vez mais inteligentes. 

Além da exposição no estande, o PTI-BR participou de uma série de reuniões estratégicas, painéis e apresentações, aproximando o público do evento com as ações desenvolvidas em Foz do Iguaçu por meio do hub de inovação,na busca de conexão e negócios na área de Smart Cities. A Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu, a Brasil Soberano, ABDI, INMETRO, ABNT, ABRAC e as empresas do Programa Smart Vitrine, também estiveram presentes com o PTI-BR no evento. 

Dentre as atividades desenvolvidas no SCBA, a participação do PTI-BR e dos parceiros esteve em destaque nas reuniões estratégicas: “O que se deve fazer para acelerar a implantação do 5G?”, “Quais são os desafios para se potencializar o mercado de IoT nas cidades e o que fazer para superá-los?”. 

Já nos painéis o PTI-BR esteve presente nos encontros sobre as temáticas: “Tecnologias de base para implantação das Cidades Inteligentes. Quais são e como escolher?” e “Soluções tecnológicas para a Mobilidade Inteligente”. 

Enquanto as apresentações foram sobre: “ISU: primeira metodologia de validação de tecnologias para cidades inteligentes sob a ótica do usuário no Brasil” e “Como o 1º Centro de Excelência em Smart Cities do Brasil pode integrar e capacitar municípios na temática de cidades inteligentes”. 

Conexões e oportunidades 

Para o diretor superintendente do PTI-BR, general Eduardo Garrido, participar deste importante evento foi uma imersão em Cidades Inteligentes. “Gestores de prefeituras, empresas e parceiros estiveram presentes no estande e conheceram os projetos em Smart Cities desenvolvidos e testados em Foz do Iguaçu pelo Parque Tecnológico Itaipu e seus parceiros – Itaipu Binacional, ABDI, COPEL, INMETRO, Brasil Soberano e Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu”, comentou. “Foi também uma oportunidade de apresentar, conectar, executar e possibilitar a replicação dessas iniciativas em outros municípios, promovendo o desenvolvimento, negócios, inovação e a melhoria da qualidade de vida e bem-estar do cidadão”, destacou o diretor superintendente. 

Sobre o evento 

O evento foi uma promoção do Instituto Smart City Business America (SCBA), entidade que trabalha pelo desenvolvimento das Cidades Inteligentes no continente latino-americano e constituída por empresas, organizações públicas e especialistas em Smart Cities. O instituto está presente em 11 países da América Latina, além de representação nos Estados Unidos e Espanha.  

 

Metodologia inédita: Índice de Sucesso do Usuário (ISU) é apresentado pelo PTI-BR no SCBA   

Desenvolvida pelo Parque Tecnológico Itaipu – Brasil, metodologia inédita que  avaliará tecnologias voltadas pra Smart Cities do ponto de vista do usuário e do cidadão, foi apresentada pela primeira vez ao mercado em evento nacional, o SCBA. 

O Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR), desenvolveu a primeira metodologia de validação de tecnologias para Cidades Inteligentes pela ótica do usuário, o Índice de Sucesso do Usuário (ISU).  

Própria do Programa Vila A Inteligente, a metodologia mensura a relação do usuário com a solução implantada. O objetivo é proporcionar as empresas um panorama sobre a satisfação, fidelidade e esforço de uso da tecnologia, além de trazer feedbacks sobre o produto ou serviço oferecido. 

A iniciativa foi apresentada pela primeira vez ao mercado nesta quinta-feira (26), durante o Smart City Business Brazil Congress, em São Paulo. 

A metodologia tem como premissa: ser replicável em qualquer cidade ou ambiente Sandbox; aplicável de forma rápida e dinâmica; adaptar-se às várias soluções apresentadas no Edital Smart Vitrine; comparável ao longo do tempo; pautado nas melhores práticas de gestão da experiência e sucesso do usuário; e apresentação dos resultados com fácil compreensão visual e com índice unificado. 

“Para o desenvolvimento da metodologia três pilares foram utilizados para dar sustentação ao cálculo do ISU: satisfação, fidelidade e esforço de uso da tecnologia”, explicou o analista de negócios do PTI-BR, Leonel Rodrigues, durante a apresentação do painel.  

Os indicadores do ISU são pautados em satisfação (Customer Satisfaction Score), métrica utilizada para mensurar o nível de satisfação dos clientes e usuários em relação à empresa e em diferentes etapas da jornada; esforço (Customer Effort Score), métrica que avalia quanto esforço um cliente/usuário deve fazer para realizar uma ação com a sua empresa; lealdade (Net Promoter Score), métrica utilizada para mensurar e prever o nível de lealdade e de fidelidade do cliente com os produtos e serviços adquiridos da sua empresa. 

O ISU, que está em fase de validação, será implementado inicialmente com as empresas do Sandbox do Vila A Inteligente. 

Parque Tecnológico Itaipu – Brasil participa em São Paulo do Smart City Business Brazil Congress 

Agenda do evento, que é um dos mais estratégicos sobre o setor, discute temas que ajudarão na criação e consolidação do mercado de Cidades Inteligentes no Brasil e no mundo.  

O Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR), está presente no Smart City Business Brazil Congress (SCBA), em São Paulo, apresentando projetos em Cidades Inteligentes desenvolvidos e testados em Foz do Iguaçu. Com mais de 100 palestras e painéis o evento tem como tema infraestruturas digitais e gestão de cidades. 

A programação teve início nesta última terça-feira (24), com cerimônia de abertura e seguirá até quinta-feira (26), conectando líderes, gestores e agentes governamentais e iniciativa privada por meio de exposições, palestras, painéis e plenárias.  

No estande do PTI-BR estão sendo apresentados para o público do evento, que pensa, planeja e estrutura a infraestrutura digital das cidades, o hub de inovação implantado em Foz do Iguaçu.  

Além da exposição de iniciativas e expertises como a do Programa Vila A Inteligente, Laboratório de Infraestrutura de Qualidade (IQ), Índice de Sucesso do Usuário (ISU), primeiro Centro de Excelência em Smart Cities do Brasil e todos os outros projetos que formam o hub de inovação, o Parque Tecnológico também está participando dos painéis e plenárias visando prospectar e fortalecer parcerias. 

Também estão presentes com o PTI-BR no evento, a Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu, a Brasil Soberano, ABDI, INMETRO, ABNT, ABRAC e as empresas do Programa Smart Vitrine. 

Programação 

No primeiro dia de exposição e agendas, o diretor de negócios e inovação do PTI-BR, Rodrigo Regis, participou do painel com o tema “O que se deve fazer para acelerar a implantação do 5G”. O objetivo da reunião estratégica foi discutir sobre como o 5G pode trazer grandes benefícios às empresas, cidadãos e governos, com a melhoria do acesso à internet, maior disponibilidade de serviços on-line e infraestrutura necessária para a implantação das soluções em Cidades Inteligentes. 

Em seguida, o diretor superintendente do PTI-BR, general Eduardo Garrido, esteve presente no painel sobre os “Desafios para potencializar o mercado de IOT nas cidades e o que fazer para superá-los”. A agenda reuniu CEO’s de empresas de tecnologias e soluções diversas, nos mais variados mercados, para discutir questões que vão permitir que o mercado para soluções de IoT possa crescer em várias frentes dentro das cidades. 

A agenda de participação do PTI-BR no evento tem continuidade amanhã (26), às 11h, quando o diretor de negócios e inovação do PTI-BR, Rodrigo Regis, volta a participar de uma agenda estratégica sobre “Tecnologias de base para implantação das Cidades Inteligentes. Quais e como escolher”. Às 11h40, será apresentado pelo analista de negócios, Leonel Rodrigues, o Índice de Sucesso do Usuário (ISU), primeira metodologia de validação de tecnologias para Cidades Inteligentes sob a ótica do usuário no Brasil. 

Na parte da tarde, às 14h, o engenheiro José Alberto Santos, participa do painel sobre “Soluções tecnologias para a mobilidade inteligente”, apresentando a plataforma MoVE, solução desenvolvida pelo PTI-BR que possibilita o monitoramento e compartilhamento de veículos elétricos. Às 15h, o 1º Centro de Excelência em Smart Cities do Brasil ganhará destaque no evento. O analista de negócios, Rafael Campos, abordará como a iniciativa pode integrar e capacitar municípios na temática de Cidades Inteligentes. 

Qualidade de vida 

Segundo o diretor superintendente do PTI, general Eduardo Garrido, o Parque Tecnológico Itaipu atua em pesquisa, desenvolvimento e inovação buscando soluções tecnológicas e oferecendo assessoramento à implementação de projetos na temática de Cidades Inteligentes. “Durante o SCBA estamos apresentando soluções de negócios e expertises voltadas para cidades inteligentes e inovação urbana implementadas em Foz do Iguaçu. Iniciativas que podem ser replicadas em outras cidades, contribuindo com melhorias em todas as áreas, especialmente na segurança, mobilidade urbana e sustentabilidade e na qualidade de vida”, destacou. 

De acordo com o diretor de negócios e inovação do PTI-BR, Rodrigo Regis, o Parque Tecnológico tem como propósito, em sua atuação voltada para Cidades Inteligentes, promover o desenvolvimento de produtos, serviços, gerar visibilidade e atração de novos negócios com a finalidade testar e validar soluções tecnológicas que visem melhorar a qualidade de vida das pessoas. “A participação do Parque Tecnológico no evento está alinhada com a missão de oferecer bem-estar e conforto ao cidadão e com o objetivo de consolidar Foz do Iguaçu como um polo de inovação e negócios”, explicou. “É mais uma oportunidade de fomentar esse tema e promover a conexão entre vários atores com atuação no desenvolvimento de cidades mais inteligentes, sustentáveis e humanas”, afirmou. 

Conheça o SCBA 

O evento é uma promoção do Instituto Smart City Business America (SCBA), entidade que trabalha pelo desenvolvimento das Cidades Inteligentes no continente latino-americano e constituída por empresas, organizações públicas e especialistas em Smart Cities. O instituto está presente em 11 países da América Latina, além de representação nos Estados Unidos e Espanha.  

Desafios e oportunidades do Novo Marco Legal Regulatório do Saneamento Básico são temas de evento entre prefeituras da região, AMOP e PTI-BR 

Durante o workshop realizado em Cascavel, o Parque Tecnológico Itaipu apresentou suas soluções para o setor, com foco no planejamento das cidades e na melhoria dos serviços prestados à população.  

A convite do Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR), representantes das 54 prefeituras que compõem a Associação dos Municípios do Oeste do Paraná (AMOP), além de Mundo Novo (MS) e Altônia (no Noroeste paranaense), reuniram-se, terça-feira (24), para um Workshop de apresentação e sensibilização sobre os desafios e oportunidades do Novo Marco Legal Regulatório do Saneamento Básico.   

Realizado na sede da AMOP, em Cascavel, o encontro contou com apoio da Itaipu Binacional, do Governo do Estado do Paraná e do Instituto Água e Terra (IAT).  

Sancionado em julho de 2020, o Novo Marco Legal trouxe definições importantes sobre a gestão dos serviços de saneamento, principalmente na questão da eficiência e equilíbrio econômico-financeiro. Os municípios devem se adequar para cumprir as metas de universalização dos serviços até 2033, como determina a legislação.   

Neste contexto, o PTI-BR atua, desde 2013, no planejamento público dos sistemas de manejo de resíduos e, a partir de 2018, apoia a operacionalização da reciclagem e da disposição final de rejeitos, através de investimentos feitos pela Itaipu Binacional e prefeituras.  

Segundo a assessora da diretoria técnica do PTI-BR, Tatiani Marcanzoni, que, na ocasião, representou o diretor técnico do Parque Tecnológico, Rafael Deitos o PTI-BR, enquanto instituição de ciência e tecnologia (ICT), possui uma série de soluções e metodologias estratégicas com foco no desenvolvimento de ações e no planejamento das cidades e seus serviços, entre eles os de saneamento.  

                        A assessora Tatiani Marconzoni, que na ocasião representou o diretor técnico do PTI-BR, Rafael Deitos.

“Temos uma vasta experiência consolidada na prestação de assessoria técnica em saneamento com ênfase na gestão de resíduos sólidos que, aliada a outras competências do PTI-BR, tornam-se verdadeiros braços tecnológicos que auxiliam os gestores públicos no desenvolvimento de seus municípios”, destacou Tatiani.   

Já a engenheira sanitarista do PTI-BR, Renata Dias, apresentou a relação entre a capacidade técnica e a manutenção da infraestrutura existente nas cidades. “É preciso entender como a legislação federal aborda as questões de capacidade econômico-financeira e a viabilidade de investimentos que possibilitam a implantação de novas tecnologias de tratamento de resíduos e a melhoria dos serviços prestados aos moradores”, explicou a engenheira.  

A prestação dos serviços de saneamento, seja de forma autônoma ou via companhias públicas ou privadas, passa por diferentes desafios “especialmente nos municípios menores que não possuem tanta infraestrutura técnica para elaboração de soluções. Por isso, esse evento é tão importante para gerar conexões e aprendizados”, agradeceu Leomar Rohden, que representou o presidente da AMOP no Workshop.  

                                                                 O representante da AMOP no workshop, Leomar Rohden

Durante o evento, os prefeitos puderam, ainda, esclarecer suas dúvidas sobre o Marco Legal do Saneamento com a consultora Laura Petri Geraldino, que apresentou as atualizações da legislação e os principais indicadores do ramo, além de cases do território nacional.   

Também esteve presente no encontro, o coordenador da gerência executiva de governo da Caixa Econômica Federal, Giovani Simon Oliveira, que apresentou as linhas de crédito da instituição financeira disponíveis para o setor de saneamento. 

Além disso, uma comitiva formada por especialistas técnicos e de negócios do PTI-BR também esteve presente para fomentar parcerias e propostas em conjunto com gestores públicos municipais.   

Conheça as soluções do PTI-BR para cidades em pti.org.br/solucoes

Armazém da agricultura familiar é inaugurado em São Miguel do Iguaçu 

O Armazém Boreal é o novo ponto atrativo para turistas e visitantes locais da cidade; Empreendimento foi inaugurado nesta última sexta-feira (20). 

O Centro de Comercialização da Agricultura Familiar de São Miguel do Iguaçu, o Armazém Boreal, é a nova vitrine para produtos da agricultura familiar de São Miguel do Iguaçu. O empreendimento, inaugurado nesta última sexta-feira (20), conta com centro de distribuição e administrativo, mercado, lanchonete e restaurante, tornando-se um ponto atrativo para turistas e visitantes locais. Com uma infraestrutura de 1.270m², o espaço está localizado na Avenida Iguaçu, 1997, às margens da BR 277, sentido Foz do Iguaçu.  

A iniciativa nasceu com o propósito de gerar emprego, renda e melhorar a qualidade de vida dos produtores rurais e da comunidade. E para que esse sonho se tornasse realidade grandes parcerias foram feitas: O BNDES, a Itaipu Binacional e a Fundação Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (Fundação PTI-BR) investiram mais de R$ 3 milhões. A Prefeitura de São Miguel do Iguaçu contribuiu com a doação de quatro terrenos que permitiu a construção do empreendimento. O Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR-Paraná) e a Secretaria da Agricultura e do Abastecimento (Seab), por meio do Projeto Coopera Paraná e Programa Renda Mais Campo, investiram mais de R$ 1 milhão. 

O armazém, que será gerido por intermédio da Cooperativa da Agricultura Familiar (Boreal), criada em 2015 pela Associação dos Produtores da Agricultura Familiar de São Miguel do Iguaçu (APROSMI), conta com dois pavimentos. No piso superior, direcionado ao consumidor final, estão localizados o mercado, lanchonete e restaurante. No piso inferior diferentes espaços planejados para a logística, armazenamento e preparo dos produtos da agricultura familiar destinados aos programas de Aquisição de Alimentos (PAA) e o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). 

Desenvolvimento regional 

Sobre a importância do empreendimento, o diretor superintendente do Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR), general Eduardo Garrido, afirmou que a inauguração do armazém é a materialização de um projeto que visa a inclusão social e o desenvolvimento territorial da região. “Temos a missão de gerir um ecossistema de inovação e buscar dar apoio para a ciência, tecnologia, inovação e negócios. Desejamos que os resultados desse projeto resultem na geração de riquezas, distribuição de renda, inclusão social e bem-estar para toda a região”, afirmou. 

O superintendente de gestão ambiental da Itaipu Binacional, Ariel Scheffer, destacou a importância e a representatividade dessa iniciativa. “Todo o sucesso socioambiental que a Itaipu possui também se deve as parcerias como essa. Temos a satisfação de ver essa obra sendo entregue, porque representa o apoio a esse segmento que nos ajuda a promover os nossos objetivos estratégicos, que são a produção de energia limpa e o desenvolvimento sustentável para a região”, disse. 

O presidente da Associação dos Produtores de Agricultura e Pecuária de São Miguel do Iguaçu (APROSMI), Sergio Luiz Panazzolo, agradeceu e destacou a importância de todas as parcerias que foram fundamentais para que esse sonho se torna-se realidade. “A inauguração do armazém representa a consolidação de uma jornada juntamente com todos os parceiros”, relembrou.  

Segundo Sergio, o armazém já está de portas abertas para atender os clientes das 07h até às 23h. Além da comercialização de itens de supermercado, frutas, verduras, bebidas e lanches, vão ser servidos no restaurante café da manhã, almoço, café da tarde e, no período da noite, porções. Com a inauguração, o empreendimento também já proporcionou a abertura de novas vagas de trabalho na cidade. “Já estamos com 28 colaboradores atuando com carteira assinada”, conta o presidente da APROSMI. 

Presenças 

Também estiveram presentes na inauguração, o prefeito de São Miguel do Iguaçu, Boaventura Manuel João Motta; o extensionista do IDR-PR, Alcedir Biesdorf; membros da APROSMI e representantes das instituições parceiras da iniciativa.