Inscrições para o Edital Hangar PTI Startups para Cidades Inteligentes são ampliadas 

A edição especial, que tem como objetivo capacitar empreendedores e alavancar negócios, tem prazo de inscrição estendido até 17 de julho. 

O edital, que tem como objetivo ser mecanismo para capacitação e seleção de ideias inovadoras que vão receber apoio e assessoria para ingressarem na Incubadora Santos Dumont do Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR), recentemente certificada como CERNE 4, foi ampliado e ficará aberto até o dia 17 de julho pelo site: https://www.pti.org.br/hangar/. Portanto, Startups interessadas que ainda não entraram no programa tem agora mais uma oportunidade para se inscreverem. 

A iniciativa oferece aporte de até R$70 mil em recursos financeiros e econômicos para o desenvolvimento de soluções na temática de Cidades Inteligentes e conta com benefícios tais como: acesso a infraestrutura do PTI-BR, capacitações e assessoria com analistas de negócios, mentorias com profissionais renomados do Programa PTI Mentor e incubação 100% online, permitindo que as empresas passem pela jornada remotamente de qualquer lugar do Brasil. 

Interessados de todo o Brasil que apresentem soluções inovadoras voltadas para Cidades Inteligentes poderão participar. O programa Hangar Cidades Inteligentes oferece ainda a possibilidade de as soluções selecionadas serem testadas e validadas no Vila A Inteligente, primeiro Sandbox em bairro público do País, trazendo a oportunidade de transformar uma ideia em um negócio inovador. 

O Hangar Cidades Inteligentes é uma união entre o Parque Tecnológico Itaipu e o programa Vila A Inteligente – uma iniciativa Itaipu Binacional, ABDI, PTI e Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu – e conta com apoio do SEBRAE.  

Todos os detalhes do edital e entre outras informações adicionais, podem ser conferidos no endereço: https://www.pti.org.br/hangar/. 

 

PTI-BR recebe NFT alusivo aos 108 anos de Foz do Iguaçu

O diretor superintendente, general Eduardo Garrido, foi homenageado pelo trabalho desenvolvido.

A coleção de NFT especial para celebrar os 108 anos de fundação de Foz do Iguaçu, criada pela Loumar e lançada dia 10/06, ainda está repercutindo. As peças de arte digitais foram presenteadas às pessoas que trabalham e fortalecem a comunidade local, como o diretor superintendente do Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR), general Eduardo Garrido, que recebeu a obra na segunda-feira, 4.

“Muitas pessoas ou coletivos estão criando, lançando ou comprando diferentes temas de NFTs. Em criar esta arte digital, nossa ideia foi de homenagear pessoas que fazem a cidade acontecer e que estão sempre inovando para que possamos crescer cada vez mais”, destacou o CEO da Loumar, Marcelo Valente.

Da esquerda para a direita: o CEO da Loumar Marcelo Valente, general Eduardo Garrido – diretor superintendente do PTI-BR, Marco Ciavaglia e o diretor de Inovação da Loumar, Rodrigo Ciavaglia, entregaram pessoalmente o NTF 108 anos de Foz do Iguaçu. Foto: arquivo Loumar

O diretor superintendente do PTI-BR, general Garrido, disse que ficou muito honrado em receber o NFT, pois admira o trabalho que a Loumar desempenha em prol do turismo, como as campanhas de marketing que desenvolveu durante todo o período que o setor estava parado por conta da pandemia.

“Admiramos o trabalho que a Loumar desenvolve para gradativamente retomar o movimento do turismo e, com isso, a cidade cresce e movimenta a economia. A empresa de turismo também é uma geradora de oportunidades e expertises, trazendo inovações do mundo da tecnologia e dando a oportunidade para a cidade também se inovar”, pontuou.

O diretor superintendente, general Eduardo Garrido recebeu a equipe da Loumar, Marcelo Valente, Marco Ciavaglia e Rodrigo Ciavaglia na manhã da segunda, dia 04. Foto: arquivo Loumar

“A cidade tem muitos valores e muitos profissionais com talentos que podem desenvolver bons trabalhos para empresas locais ou empresas mais distantes e o PTI gera muitas oportunidades para o desenvolvimento e capacitação dessas pessoas”. O comentário do diretor superintendente é sobre a formação e capacitação que o PTI-BR oferece à profissionais que estão iniciando uma carreira ou já estão no mercado desenvolvendo grandes projetos.

A equipe do PTI-BR, Jania Nunes (assessora), Renan Dittrich Tosetto (assessor DS), general Eduardo Garrido – diretor superintendente, e Angélica Caetano (comunicação), receberam, ainda, um chocolate personalizado com a embalagem do NFT 108 anos de Foz do Iguaçu. Foto: arquivo Loumar

Coleção é exclusiva e limitada

A coleção de 108 unidades do NFT (tokens não fungíveis) foi entregue à comunidade de funcionários da Loumar, autoridades locais e influenciadores digitais. Oito obras de arte foram vendidas e o valor foi destinado integralmente para o projeto social Um Chute para o Futuro que ajuda no contraturno escolar de crianças da região norte de Foz do Iguaçu. Um NFT foi leiloada por R$1.108,00, valor repassado para o Projeto Sopão Anjos da Madrugada, que beneficia a maior ocupação do Paraná, que fica na região do bairro Porto Meira.

A carteira digital escolhida para a manutenção do token é a My Wallet da NFtrend. Caso a pessoa queira vender, ela pode escolher qualquer marketplace do mundo, obviamente, que façam parte da mesma rede da blockchain.

Para entender

NFTs podem ser entendidos como objetos digitais únicos que são colecionados e transferidos de forma descentralizada de um usuário para outro através de uma rede de criptomoedas.

Fonte: Silvana Canal/Assessoria

 

Parque Tecnológico Itaipu – Brasil conquista selo GPTW pelo segundo ano consecutivo  

Certificação reitera o PTI-BR como uma ótima empresa para se trabalhar, de acordo com a pesquisa da Great Place to Work (GPTW) 2022. 

Com uma trajetória pautada no respeito, cooperação, excelência e valorização de pessoas, o Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR) comemora, pelo segundo ano consecutivo, a conquista da certificação Great Place to Work (GPTW) 2022, como um ótimo lugar para se trabalhar. 

O resultado foi celebrado em um evento especial, realizado nesta sexta-feira (1 de julho), com a temática de festa julina. A comemoração ocorreu em dois momentos: na parte da manhã os colaboradores participaram da iniciativa presencialmente no Cineteatro Barrageiros e virtual por transmissão ao vivo. A tarde a comemoração ocorreu no Complexo Turístico Itaipu (CTI). 

Durante a ação o diretor superintendente, general Eduardo Garrido; o diretor administrativo-financeiro, Flaviano Masnik; o diretor técnico, Rafael Deitos; e o diretor de negócios e inovação, Rodrigo Regis, destacaram em suas mensagens, o orgulho, reconhecimento e a confiança dos colaboradores na conquista do selo. 

O Great Place to Work (GPTW) é um instituto global presente em mais de 45 países que analisa a visão dos profissionais em relação às empresas em que trabalham. Entre os aspectos avaliados estão: clima organizacional, remuneração, benefícios, oportunidade de crescimento, infraestrutura, transparência na gestão e autonomia dos colaboradores.

De forma anônima, os colaboradores respondem 65 perguntas que abordam pontos como a credibilidade, respeito, imparcialidade, orgulho e camaradagem. As empresas que conseguem obter uma alta pontuação (superior a 70% na média) são consideradas como ótimas para trabalhar. 

Reconhecimento 

Para o diretor superintendente, general Eduardo Garrido, a conquista demonstra o compromisso diário da instituição com o bem-estar dos colaboradores, a valorização do capital intelectual e humano e o desenvolvimento de um ambiente de inovação. “É uma alegria muito grande para nós recebermos dos próprios colaboradores o reconhecimento de que estamos no caminho certo”, afirmou.  

Ainda, de acordo com o diretor superintendente, a conquista do selo também reflete o engajamento e o comprometimento das equipes com o propósito de gerar conhecimento e inovação em soluções para sociedade. “Somos honrados de saber que quem trabalha aqui tem orgulho de fazer parte da nossa história”, destacou Garrido. 

Uma ótima empresa para trabalhar   

Para alcançar esses resultados, o PTI-BR tem promovido um trabalho contínuo voltado para o cuidado, atenção e bem-estar dos colaboradores. Iniciativas voltadas para o reconhecimento, informação, autonomia, praticidade, agilidade, otimizações, descontração, conforto e o desenvolvimento de parcerias foram realizadas ao longo dos últimos anos. A realização de ações de clima organizacional, comemoração de datas especiais e de engajamento, também contribuíram para a conquista do selo. 

Na pesquisa, esteve entre os pontos fortes a forma pela qual os colaboradores e a instituição contribuem com a sociedade; o orgulho em contar com as pessoas; instalações com um bom ambiente de trabalho; local seguro para trabalhar; sentimento de boas-vindas; classificação das entregas como excelentes; honestidade e ética na condução dos negócios, entre outros. 

Segundo a gerente da área de Gestão de Pessoas, Maryana Gavioli, a certificação vai além de números: “ela diz respeito às pessoas e garante que juntos estamos no caminho certo”, comemorou. “Abraçamos com carinho o compromisso de ser um ótimo lugar para se trabalhar e a renovação do nosso selo é um trabalho contínuo de todos, para juntos continuarmos transformando o PTI-BR e a nossa sociedade”, destacou. 

Turismo Itaipu lança aplicativo e amplia dias e horários para a alta temporada

Visitante poderá comprar ingressos, verificar informações e usar ferramenta como guia para os passeios, que serão diários durante o mês de julho.

Julho será cheio de novidades para o Complexo Turístico Itaipu (CTI), que lançará na próxima sexta-feira (1º) o aplicativo “Itaipu Turismo”. A ferramenta, disponível em português, inglês e espanhol, permite obter informações e comprar passeios, além de avaliar, acessar curiosidades e experiências sobre as atrações.

Para marcar a data o complexo fará inserções de comunicação sobre como utilizar o aplicativo. A ideia é que a experiência do visitante na maior hidrelétrica em geração de energia limpa e renovável do planeta seja ainda mais memorável. “Com avanço das tecnologias vimos a necessidade de inclusão de novas formas de experiência e interação entre nosso atrativo e os visitantes, que esperam mais tecnologia”, destacou o gerente geral do CTI, Yuri Benites. Segundo ele, o aplicativo é parte de um projeto maior de inovação tecnológica e servirá como guia de visitação virtual do complexo.

Nesta sexta-feira, quem utilizar a ferramenta durante o seu passeio poderá concorrer a brindes exclusivos do Turismo Itaipu. O aplicativo já está disponível para celulares Android e IOS.

Saídas diárias com horários ampliados

E para atender a demanda das férias do meio do ano o Complexo Turístico Itaipu ampliará dias e horários. Já a partir da sexta-feira (1º), o turismo passará a atender todos os dias da semana e com horários ampliados para os principais atrativos. A mudança seguirá até o dia 31.Com a ampliação da operação o Refúgio Biológico terá de seis a oito saídas diárias, entre 8h30 e 15h30, de quarta a segunda-feira. A partir do dia 11 de julho, a Itaipu Panorâmica terá ampliação de horário com saídas a cada 30 minutos das 8h30 às 16h30.

Além destes, o passeio Itaipu Especial, que leva os visitantes para conhecerem a parte interna da Usina e como funciona a produção de energia, também terá aumento no número de saídas.
Mais informações sobre o Turismo Itaipu podem ser encontradas no site www.turismoitaipu.com.br ou pelo telefone (45) 3576-7000.

Parque Tecnológico Itaipu recebe visita dos Conselheiros da Fundação PTI-BR   

Visita possibilitou aos conselheiros a oportunidade de conhecer in loco o ecossistema de inovação e ações promovidas pelo Parque Tecnológico em suas temáticas de atuação. 

Os integrantes dos Conselhos Curador e Fiscal da Fundação Parque Tecnológico Itaipu (Fundação PTI-BR), estiveram nesta quarta-feira (29), em visita ao Parque Tecnológico para conhecer in loco os projetos e iniciativas que estão sendo desenvolvidas pela instituição em tecnologia, ciência e pesquisa para Foz do Iguaçu, região oeste do Paraná e Brasil.  

A visita incluiu os novos conselheiros, que tomaram posse no dia 3 de maio e exercerão seus mandatos na gestão 2022-2025, e teve como objetivo ampliar conexões, conhecimentos e sinergias visando a promoção do desenvolvimento institucional e alcance da missão da instituição.  

 

A função do Conselho de Curador é deliberar assuntos relativos ao Estatuto e ao Planejamento Estratégico da Fundação e o Conselho Fiscal de deliberar sobre os assuntos contábeis relacionados à Fundação PTI-BR. 

Na visita, os conselheiros foram recebidos pelo diretor superintendente, general Eduardo Garrido; o diretor administrativo-financeiro, Flaviano Masnik; o diretor técnico; Rafael Deitos; e o diretor de negócios e inovação, Rodrigo Regis. Em seguida, o grupo acompanhou uma apresentação sobre a atuação do Parque Tecnológico em projetos que buscam o desenvolvimento, a geração de emprego e renda e os eixos de atuação no mercado: agronegócio, energias, cidades inteligentes, turismo e segurança de infraestruturas críticas. 

Além disso, o grupo também teve a oportunidade de conhecer o Laboratório Vivo de Tecnologias; a Planta de Hidrogênio Verde; o Centro de Estruturas de Barragens; Centro de Gestão Energética; Centro de Segurança Cibernética e o Complexo Turístico Itaipu (CTI). 

Alcance dos objetivos 

 Segundo o conselheiro curador, representante da Itaipu Binacional, Fabricio Rocha, a visita ao PTI-BR possibilitou uma discussão das necessidades e visões futuras do Parque Tecnológico. “A dinâmica de unir os dois conselhos para as apresentações foi muito interessante para que a gente trocasse essa ideia de uma forma aberta entre a diretoria, a equipe gerencial e os conselhos. A colocação de algumas necessidades da diretoria como um todo e o alinhamento de pensamentos possibilitou uma discussão de complementação e de interesse de todas as partes”, comentou. 

Para o conselheiro curador, Antonio Marcos Massao Hachisuca (o Shiro), representante da Unioeste como setor de ensino e pesquisa, a participação no conselho é “importante para o conhecimento das estratégias que o PTI-BR está tomando e que influenciam diretamente nas ações da universidade”. “A visita foi interessante para saber quais são os projetos que atualmente estão sendo desenvolvidos e em quais destes os alunos estão fazendo parte de alguma forma”, complementou. 

De acordo com a conselheira fiscal, Alicia Graciela Alvarez Armadá, representante da Itaipu Binacional, a participação no conselho é importante para apoio na parte financeira, balanços, conhecer o que a Fundação PTI está realizando e como está o desempenho financeiro e estratégico dos trabalhos. “Essa interação foi muito importante e as informações que os diretores e os colaboradores apresentaram foi fundamental para conhecer a Fundação e tudo o que ela pode trazer para a região e para o Brasil”, destacou.  

Presenças  

Também estiveram presentes na visita, os membros do Conselho Curador, representando a Itaipu Binacional, Aldry Lucena; Henrique Masson Vidal; Marcia Aparecida Tontini; Joni Madruga; Olímpio dos Santos Filho e representando a Prefeitura de Foz do Iguaçu, Edinardo Antonio Borba de Aguiar. Do Conselho Fiscal, também estiveram presentes Cristiano Bublitz e Sabrina Aparecida Xavier Boer, ambos representantes da Itaipu Binacional. 

Saiba mais sobre os conselhos 

 O Conselho Curador é o órgão superior de deliberação quanto aos temas relacionados ao orçamento anual e suas revisões, demonstrações contábeis, administração de recursos, alçadas de aprovação sobre o plano plurianual e anual da auditoria da Fundação PTI-BR, inventário de bens, relatório de resultados anual, dentre outros, e também é responsável pela eleição e posse do Conselho Diretor e eleição do Conselho Fiscal. 

 Já o Conselho Fiscal é o órgão de fiscalização interna, com foco nos temas relacionados às demonstrações contábeis, inventário anual, relatórios do Conselho Diretor, planos anuais da auditoria interna e acompanhamento dos pontos de auditoria. 

 

Inscrições abertas: Férias Maker do PTI-BR une diversão e aprendizado

 Até o dia 06 de julho, pais podem inscrever participantes de 10 a 14 anos para as oficinas que promovem a cultura maker através de abordagens lúdicas e muita “mão na massa”.  

Com as férias escolares chegando, a busca por programas especiais para essa época do ano aumenta entre os responsáveis. Uma boa pedida para pré-adolescentes de Foz do Iguaçu e região é a iniciativa “Férias Maker” do Parque Tecnológica Itaipu- Brasil (PTI-BR), que traz uma programação recheada de atividades compostas por situações reais e fictícias, que promovem a criatividade, o desafio, o engajamento e muita aprendizagem. 

Ao todo, são oito oficinas abordando os temas: Des-Montaí e Circuito em papel; motorizando e meu primeiro circuito impresso; criando uma CNC e modelagem virtual e meus primeiros códigos e luz, câmera, edição. Todas serão desenvolvidas de forma presencial em um dos principais laboratórios do PTI-BR, o Labmaker Iguaçu. 

A trilha de aprendizagem elaborada para a ação está em consonância com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), mesmo não se tratando de um processo de ensino formal. Além disso, a equipe responsável pela construção das oficinas possui uma ampla experiência com estruturação de ações educacionais e atendimentos pedagógicos com diferentes públicos.  

De acordo com a analista educacional do PTI, Kamila Duarte, essa é uma oportunidade para que os “makers” coloquem em prática suas ideias e potencializem habilidades como resolução de problemas, trabalho em equipe, liderança e inovação.  

“Será uma verdadeira imersão no universo da cultura maker em um ambiente inovador, com estrutura única na região e acompanhamento de profissionais com capacidade para conduzir o atendimento de acordo com as particularidades de cada integrante”, explicou a especialista.  

Se a geração anterior buscava se aperfeiçoar em datilografia, informática básica e outros cursos atualmente em desuso, hoje, fomentar o raciocínio lógico, a manipulação de ferramentas, o desenvolvimento de invenções é a nova “pegada” para quem quer investir na formação dos futuros profissionais, “sem perder o entretenimento e a descontração características para a faixa etária”, finalizou Kamila.  

Os ingressos podem ser adquiridos no formato individual por oficina ou um pacote completo com todas as atividades, através do endereço https://bit.ly/3bljxJL 

LABMAKER IGUAÇU  

O Labmaker Iguaçu é um espaço que dispõe de ferramentas, maquinários e uma equipe especializada para modelagem e amadurecimento de ideias para desenvolvimento de soluções que podem ser aplicadas em nosso dia-a-dia nos mais variados. O objetivo do laboratório é se tornar um espaço de uso compartilhado e multidisciplinar dedicado ao desenvolvimento de projetos e promover a cultura de criatividade e inovação, através do incentivo à educação ativa e integração de competências entre os atores de Foz do Iguaçu e região 

 SERVIÇO  

O que: Férias Maker PTI-BR  

Inscrições e valores: https://bit.ly/3bljxJL.  

Fale com a equipe: cursoseducacao@pti.org.br | WhatsApp: (45) 3576-7148 

Solução para o mercado de biogás é desenvolvida por meio do Programa Integração Universidade Empresa 

Produto desenvolvido na 3DI Engenharia, por meio do PIUE, promove a preservação da vida útil dos equipamentos e melhora a capacidade energética do biogás.  

 A demanda do mercado por utilização de energia limpa e renovável tem incentivado o desenvolvimento e a criação de novas soluções e tecnologias que atendam o setor. Um dos exemplos de fontes alternativas é o biogás, que vem ganhando a cada dia mais visibilidade por ser um combustível com alto potencial energético e de baixo custo.  

A 3Di Engenharia é uma das empresas participantes do Programa de Integração Universidade e Empresa (PIUE). Localizada em Foz. a 3DI atua no desenvolvimento de soluções que vão desde a pesquisa e desenvolvimento até a execução de obras de infraestrutura e aquisição de máquinas e equipamentos para arranjos de produção de biogás.  

O PIUE tem o objetivo de contribuir com o estimulo e a diversificação da economia da região e gerar oportunidades, integrando conhecimentos adquiridos na universidade com aplicação direta nas demandas das empresas participantes do programa. Por meio de sua participação no PIUE, a 3DI desenvolveu o equipamento Sulfer Tech, uma solução tecnológica que contribui com a purificação do biogás.   

Benefícios 

Ao falar sobre a importância da solução, a estudante de Engenharia Mecânica da UDC, Maysa Panzenhagen, explica que o processo de formação do gás é feito através da decomposição da matéria orgânica por microorganismos por meio de digestão anaeróbia (sem a presença de oxigênio) e após esse processo, tendo como resultado a formação de metano (CH4), dióxido de carbono (CO2), sulfeto de hidrogênio (H2S) e umidade. “O sulfeto de hidrogênio é um gás muito corrosivo, então para realizar a queima para geração de energia é necessário que esse gás seja removido, porque em contato com ele, as máquinas e equipamentos acabam sendo danificados e trazem um grande prejuízo”, explica. 

O projeto de dessulfurização biológica consiste na inserção de ar e oxigênio de maneira controlada, diretamente no biodigestor onde o biogás é produzido, sendo assim o H2S em contato com o ar/oxigênio acaba formando o enxofre. “O nosso equipamento fabricado facilita esse processo de remoção de H2S, porque é uma forma simples de execução, utilizando sensores capazes de fazer a leitura e de acordo com a demanda é realizado a inserção conforme necessidade”, destaca Maysa. 

O dessulfurizador passará a integrar a linha de produção da 3Di para que complemente outros equipamentos já fabricados na empresa para que possam entregar aos clientes um biogás com alto potencial energético sem trazer danos aos equipamentos. 

 Mercado de trabalho 

 Sobre a experiência de participar do PIUE, Maysa revela que o programa foi uma grande oportunidade e incentivo para o seu crescimento profissional. “A engenharia nos traz um leque de opções de áreas de atuação e com o andamento do projeto e as realizações de cada etapa, tive diversas experiências como o a realização do projeto, levantamento de custos, atividades relacionadas à parte financeira e administrativa e execução do projeto”. 

“E após duas edições do projeto, com o diploma próximo, finalizamos o projeto e posso dizer com total certeza que hoje eu estou preparada para entrar no mercado de trabalho, dar continuidade aos estudos e me dedicando ao máximo para ser uma grande profissional”, finaliza a estudante. 

 Novas soluções  

 Para o diretor técnico da 3DI, Lúcio Ricken o projeto promove e fortalece a integração entre empresa, universidade e instituições de Ciência e Tecnologia capazes de desenvolver conjuntamente novas soluções de mercado com agilidade, qualidade técnica e aceitabilidade mercadológica. “O apoio financeiro somado a integração de pesquisadores acadêmicos a projetos de P&D em empresas são os principais mecanismos para a viabilização de produtos inovadores que contribuem com a geração de riqueza e retenção de mão de obra qualificada no território”, destacou.  

 “O equipamento Sulfer Tech integra hoje o catálogo de produtos da 3DI a baixo custo aplicado ao mercado de biogás, com apelo em energia sustentável, capaz de gerar ganhos econômicos e socioambientais”, complementou o diretor técnico da 3Di.  

 Conexão  

Em visita a 3DI Engenharia, o diretor superintendente do Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR), general Eduardo Garrido, destacou a importância do programa para os estudantes, universidades e empresas. “A iniciativa promove a integração entre a academia e o mercado, resultando na melhoria nos processos das empresas, fortalecimento dos negócios locais, desenvolvimento da cultura da inovação, preparando os alunos para o mercado de trabalho com a utilização da metodologia hands one o incentivo à pesquisa com bolsas oferecidas aos alunos”, afirmou.  

Sobre o PIUE 

Desde 2020, criado por meio do Acelera Foz, o programa vem proporcionando oportunidades a estudantes de diferentes áreas, estimulando a inserção dos alunos de cursos de graduação e pós-graduação em atividades de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação, e a iniciarem suas carreiras profissionais, desenvolvendo soluções para pequenas e médias empresas. Contribui com a qualificação dos negócios de Foz do Iguaçu, o enriquecimento da experiência acadêmica a partir da aplicação dos conceitos teóricos, e com a redução de evasão dos universitários nas Instituições de Ensino.  

 A parceria envolve o PTI-BR, Itaipu Binacional, Sebrae, empresas e universidades da região. 

 Na primeira edição do programa, realizada entre 2020 e 2021, foram mais de 170 bolsista, 28 soluções tecnológicas e mais de 32 projetos com otimização nos serviços prestados, desenvolvidos em diversas empresas de Foz do Iguaçu. Já na 2ª edição, envolveu 11 empresas e 32 estudantes, que também tiveram a oportunidade de colocar em prática o que aprenderam em sala de aula, e se desenvolver profissionalmente. 

A terceira edição, que contempla os municípios: Guaíra, Terra Roxa, Marechal Cândido Rondon, Medianeira, Santa Helena e São Miguel do Iguaçu, está em andamento, e está contando com projetos executados em 6 empresas e 12 bolsistas, tendo como parceiros do edital, mais de 15 instituições de ensino. E a quarta edição, que também se encontra em andamento, contemplando além dos municípios selecionados para a terceira, o município de Cascavel, que também totaliza 6 empresas (projetos) sendo executados e 12 bolsistas participando do Programa Integração Universidade e Empresa. O SEBRAE oferece capacitações voltadas ao empreendedorismo e inovação em todas as edições do Programa, contribuindo ainda mais com o desenvolvimento das partes envolvidas. 

 

 

 

 

Parque Tecnológico Itaipu – Brasil lança edição especial do Hangar PTI Startups voltado a Cidades Inteligentes

As inscrições estarão abertas até o dia 30 de junho; São bem-vindos negócios inovadores que apresentem soluções voltadas para Cidades Inteligentes. 

Já estão abertas as inscrições para a edição especial do Hangar PTI Startups, mecanismo para capacitação e seleção de ideias inovadoras que recebem apoio e assessoria para ingressarem na Incubadora Santos Dumont – a incubadora do Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR).

Em edição especial, o Edital Hangar Cidades Inteligentes é direcionado a startups do eixo de Smart Cities. Dentre seus benefícios, o programa oferece aporte de até R$70 mil em recursos financeiros e econômicos para desenvolvimento da solução, acesso a infraestrutura do PTI-BR, capacitações e assessoria com analistas de negócios, mentorias com profissionais renomados do Programa PTI Mentor e incubação 100% online, permitindo que empresas passem pela jornada remotamente de qualquer lugar do Brasil. O Edital conta ainda com a possibilidade de testar e validar as soluções no primeiro Sandbox em bairro público do país, o Vila A Inteligente. 

Nos últimos anos, o Parque Tecnológico Itaipu tornou-se uma referência nacional em cidades inteligentes, tendo desenvolvido uma robusta plataforma de negócios que dá vida a programas como: Vila A Inteligente, Smart Vitrine, Hack4cities, Centro de Excelência em Smart Cities, entre outros mecanismos que se conectam e auxiliam no amadurecimento de negócios, projetando startups dentro da maior vitrine tecnológica em Smart Cities do país.   

O Hangar Cidades Inteligentes é uma união entre o Parque Tecnológico Itaipu e o programa Vila A Inteligente – uma iniciativa Itaipu Binacional, ABDI, PTI-BR e Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu – e conta com apoio do SEBRAE. Para saber mais informações e como se inscrever, acesse: www.pti.org.br/hangar.  

Escola Internacional para Sustentabilidade lança conteúdos especiais para o mês do meio ambiente  

A iniciativa educacional do PTI-BR e da Itaipu Binacional  tem como premissa promover o conhecimento sobre temáticas sustentáveis e do desenvolvimento sustentável com foco na visão sistêmica dos territórios. 

“Uma só Terra” é o tema da Organização das Nações Unidas (ONU) para o Dia Mundial do Meio Ambiente em 2022, comemorado em 5 de junho. Para contribuir com as ações e campanhas que acontecem ao redor do mundo, o Parque Tecnológico Itaipu-Brasil (PTI-BR) e a Itaipu Binacional, através da Escola Internacional para Sustentabilidade (EIS), prepararam uma série de conteúdos especiais que serão publicados ao longo do mês.  

Assuntos como “Pegada Ecológica”, “Sustentabilidade: conceito e prática” e “Serviços Ecossistêmicos” estão entre as produções audiovisuais que serão publicadas no canal da iniciativa educacional e tem como objetivo expandir a rede de conhecimento sobre alguns dos conceitos que são trabalhos nos diferentes cursos da EIS de forma descomplicada e acessível.  

Estreando a série de conteúdos, o foco é justamente o conceito da sustentabilidade, uma palavra que está em evidência nas diferentes mídias, mas que ainda gera algumas dúvidas sobre seu significado e suas aplicações. O vídeo já está disponível e pode ser visualizado aqui. 

O mês de junho foi instituído como referência para discussões ambientais após a Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento e Meio Ambiente Humano, em 1972. Na ocasião, a temática foi exatamente a mesma de 2022, ou seja, meio século depois, a pauta ainda demanda por amplos debates e a busca por soluções individuais e coletivas para garantir a construção de um futuro mais equilibrado. 

Essa é a premissa apresentada pelo segundo conteúdo. A animação “Pegada Ecológica ilustra como nossos hábitos e estilos de vida deixam “rastros” no planeta e nos seus recursos naturais. É possível, ainda, descobrir como fazer o cálculo da sua “pegada” e entender como pequenas mudanças no seu dia-a-dia podem contribuir com as questões coletivas ambientais. 

Além da série especial para o mês do meio ambiente, a Escola possui um verdadeiro acervo de materiais multimídia que trazem uma imersão nas temáticas sustentáveis. Em suas redes sociais, é possível encontrar informações sobre energias renováveis, gestão territorial, serviços ecossistêmicos, cidades inteligentes, gestão de resíduos sólidos e muitos outros conteúdos de relevância para enriquecer os debates e ampliar o alcance de tópicos sobre gestão para sustentabilidade. Acesse aqui os conteúdos.  

Também é possível acompanhar as oportunidades de inscrições em cursos gratuitos sobre diferentes temáticas tanto para o público externo quanto para técnicos e parceiros da Itaipu e do Parque Tecnológico. Já no podcast Diálogos Sustentáveis, são publicadas entrevistas com especialistas sobre questões globais de sustentabilidade e do território de abrangência da Itaipu. 

A Escola Internacional para Sustentabilidade   

A EIS é uma iniciativa educacional resultado de um convênio entre a Itaipu Binacional e o Parque Tecnológico Itaipu (PTI), sob gestão da Divisão de Educação Ambiental da Itaipu e do Núcleo de Inteligência e Gestão Territorial, que integra o Centro da Inteligência e Gestão Territorial do PTI.   

Governo do Paraná, por meio da Araucária e SETI, formaliza a criação da Cátedra Araucária para o Desenvolvimento Territorial Sustentável do Eixo Capricórnio

O Governo do Paraná, por meio da Fundação Araucária e com o apoio da Superintendência Geral da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (SETI) assinou nesta sexta-feira (03), o protocolo de intenções de criação da Cátedra Araucária para o Desenvolvimento Territorial Sustentável do Eixo Capricórnio, documento no qual simbolizou a adesão das mais de 30 instituições à iniciativa. A cerimônia foi realizada no Parque Nacional do Iguaçu e contou com a participação de diversas autoridades acadêmicas, governamentais os estados e países englobado pelo Eixo Capricórnio e parceiros da Araucária.

“Essa ação se insere no olhar futuro do Paraná para a região Oeste e consequentemente para o desenvolvimento socioeconômico do Estado. Portanto, essa Cátedra trata da chamada diplomacia da ciência que envolve instituições paranaenses, sul-mato-grossenses, catarinenses, paraguaias, argentinas e chilenas para trabalhar de forma integrada os estudos que são necessários para avançarmos no desenvolvimento sócio, econômico, político e regional”, disse o presidente da Fundação Araucária, Ramiro Wahrhaftig.

O evento encerrou a semana que contou com quatro dias de apresentações online de iniciativas e programas de instituições envolvidas na construção da Cátedra e que estão localizadas nos estados do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul, e em países como Argentina, Paraguai, Austrália, França, Moçambique e Chile, dentre outros. Nessas exposições puderam ser identificadas áreas afins para a construção da Cátedra. Em todos os quatro dias, os eventos contarão com a participação de aproximadamente 100 pessoas.

O presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc), Fábio Zabot Holthausen, também aderiu à Cátedra e participou da solenidade de assinatura. “Essa iniciativa é de extrema importância no sentido que irá proporcionar uma maior integração das Academias, dos pesquisadores, em prol de temas comuns, especialmente, o desenvolvimento territorial sustentável. Já que todos vivemos a partir de recursos escassos, em ambientes escassos, em que precisamos gerar o desenvolvimento dos nossos territórios, especialmente, ligados ao interior dos nossos estados. Por meio desta ação, e os estudos que irá nos proporcionar, vamos poder entender melhor as necessidades e tomar decisões mais assertivas”, finalizou.

Dentre as atividades que poderão ser executadas a partir deste protocolo de intenções são: intercâmbio institucional de docentes, técnico- administrativos e discentes de graduação e de pós- graduação;  desenvolvimento de atividades de ensino e/ou pesquisa, relacionadas às áreas de atuação dos partícipes e organização de simpósios, conferências, cursos de curta duração em áreas de pesquisa.

“A Cátedra de Desenvolvimento Territorial Sustentável é inédita, pois não existe hoje no país uma proposta que busque esse tipo de desenvolvimento da pesquisa, da ciência, da inovação e da tecnologia voltado para questões que são emergenciais. A Cátedra vai se dedicar em um primeiro momento às questões como a emergência climática, as novas organizações sociais que estão surgindo pós-pandêmicas, a toda necessidade que temos de capacitação e transformação digital, buscando promover os objetivos de desenvolvimento sustentável”, ressaltou o diretor científico, tecnológico e de inovação da Fundação Araucária, Luiz Márcio Spinosa.

Com a Cátedra também será possível a promoção: de atividades e eventos técnico- científicos e culturais abertos à população em geral, de formação de docentes e pesquisadores, mediante criação de cursos especializados de alto nível, de cursos de treinamento e reciclagem, bem como o incentivo à abertura de linhas de pesquisa interinstitucional associadas a programas locais de pós-graduação, de publicações conjuntas; de atividades de cunho social, mediante oferta de atividades de extensão; e, intercâmbio de informações pertinentes ao ensino e à pesquisa, em cada instituição.

“É cada vez mais evidente a importância que a pesquisa tem para o desenvolvimento de toda as regiões do mundo, e essa iniciativa da Fundação Araucária de criar uma Cátedra específica para o Eixo de Capricórnio, na qual agregará pesquisas, atividades de ensino, trabalho de cooperação em rede . Sem dúvida nenhuma é uma iniciativa relevante para a cooperação nacional e internacional que apresente alternativas e soluções para o desenvolvimento de todos esses países , colocando as melhores energias, as melhores inteligências e a capacidade da massa crítica dessas regiões em busca de alternativas de crescimento”, salientou o superintendente geral da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldo Bona.

De acordo com o diretor superintendente do Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR), general Eduardo Garrido, para a instituição, integrar a iniciativa, está alinhada a missão do Parque Tecnológico em desenvolver soluções, produtos e serviços que promovam riqueza e bem-estar para a sociedade. “Enquanto Instituição de Ciência e Tecnologia (ICT), possuímos competência e expertise na área de desenvolvimento territorial sustentável, com o levantamento de dados, geração de informação e tecnologia. Participar da construção da Cátedra Araucária está em consonância com os nossos objetivos de promover pesquisa e inovação em prol do desenvolvimento da sociedade”, destacou.

A Cátedra é uma iniciativa da Araucária e do Institute Mines Télécom d’Alés – IMT Mines Alès, na França e a iniciativa é fundamentada na teoria dos commons, engenharia e gestão do conhecimento e educação digital. Passa pela construção conjunta de formações inovadoras, por avanços dos conhecimentos sobre resiliência territorial, interoperabilidade, mudanças climáticas, cidades das próximas gerações, paradiplomacia, infraestrutura e logística sustentáveis (entre outros temas), até mesmo a constituição de clusters – de empresas, por exemplo e, também, de pesquisas aplicadas.

“É uma honra e um privilégio o Parque Nacional do Iguaçu fazer parte do nascimento da Cátedra Araucária. Essa articulação deve ser o ponto de virada, tornando o Eixo Capricórnio referência no desenvolvimento territorial sustentável. Gerar conhecimento, desenvolver capital humano e estimular a inovação voltados ao enfrentamento dos grandes desafios globais da atualidade são ações não somente importantes, mas sim essenciais”, comentou a chefe do Parque Nacional do Iguaçu, Cibele Munhoz Amato.

A presidente da Associação Paranaense das Instituições de Ensino Superior Público (Apiesp), Fátima Aparecida da Cruz Padoan, destacou que a escolha pela criação do dispositivo internacional de uma cátedra de pesquisa demonstra, desde já, o comprometimento com o propósito coletivo de gerar conhecimento e desenvolvimento. “Esse comprometimento está no cerne das atividades desenvolvidas pelas Universidades Estaduais, pois elas, distribuídas estrategicamente pelo Paraná, têm contribuído imensamente para o desenvolvimento não apenas local, mas também ultrapassando seus territórios e, neste momento, não se furtam a enfrentar o desafio de se conectarem aos demais agentes para pensar sobre os desafios estratégicos a serem enfrentados por esta rede nacional e internacional”, informou.

O vice-governador do Paraná, Darci Piana parabenizou a Fundação Araucária pela iniciativa.“Para o governo do Paraná é uma alegria presenciar uma iniciativa que irá estimular o desenvolvimento de pesquisas científicas integrando todos os países componentes do Eixo Capricórnio. O caráter multidisciplinar e intersetorial da Cátedra Araucária para o Desenvolvimento Territorial Sustentável do Eixo Capricórnio é a certeza de que discussões e soluções importantes serão construídas. Tenho certeza de que os representantes de todos os países envolvidos se empenharão ao máximo para encontrar inovações conjuntas para o desenvolvimento territorial sustentável. Saúdo especialmente o presidente da Fundação Araucária, Ramiro Wahrhaftig, por essa importante iniciativa”, afirmou.

Crédito texto: Comunicação/Fundação Araucária