Português

Conectando educação, pesquisa,

 

 

inovação e negócios

Equipe do Exército instala Simulador de Operações de Guerra Cibernética no PTI

05/04/2017

A equipe do Centro de Estudos Estratégicos em Proteção de Estruturas Estratégicas (Ceape²), do Parque Tecnológico Itaipu (PTI), enfrentou ameaças e vulnerabilidades no cenário cibernético na última semana. Tudo em um ambiente simulado, mas garantindo a capacitação para enfrentar situações reais. O treinamento foi feito pelo Centro de Instrução de Guerra Eletrônica (Cige) do Exército Brasileiro por meio do Simulador de Operações de Guerra Cibernética (SIMOC).

 

O SIMOC é um programa de última geração, desenvolvido com tecnologia 100% nacional, que permite a reprodução exata de um cenário cibernético, com redes virtuais que simulam ameaças e vulnerabilidades a serem detectadas e solucionadas por pessoas em treinamento no programa. O simulador foi instalado no no Laboratório de Segurança Eletrônica, de Comunicações e Cibernética (Lasec²) do Ceape². ação fez parte de um acordo de cooperação assinado entre Fundação PTI, Itaipu e Exército em 2015.

 

“Essa expertise de simulação cibernética é fundamental para o nosso laboratório. O Simoc simula uma rede de Tecnologia da Informação (TI) e treina o pessoal para identificar vulnerabilidades, de modo que elas já possam ser evitadas antecipadamente, aumentando a segurança”, explicou o coronel Gilson Hermínio Rocha Junior, do Ceape². Ele disse que a capacitação foi iniciada na última semana, mas terá continuidade.

 

“Uma empresa como a Itaipu, que atende 17% da energia da energia demandada pelo Brasil, tem que garantir a continuidade do negócio”, reforçou o chefe de Assessoria de Informações da Itaipu, coronel Carlos Roberto Sucha. É nisso, segundo ele, que o Ceape² está trabalhando, “inclusive na parte cibernética”. “Vamos aprender a crescer junto com quem está fazendo, e amadurecemos mais rápido”, afirmou, sobre o acordo de cooperação com o Exército Brasileiro.

 

"Nós temos como uma das nossas missões proteger as infraestruturas críticas, e acreditamos que trocando experiências com o PTI e a Itaipu indiretamente estaremos realizando segurança, na minha área, por exemplo, que é a segurança cibernética”, comentou o General de Divisão Angelo Kawakami Okamura, comandante de Defesa Cibernética. “Acho que iniciativas como essa chegada da minha equipe com o Simulador de Operações Cibernéticas mostram coisas concretas acontecendo dentro dessa integração”, destacou.

 


Os generais de divisão Bráulio de Paula Machado e Angelo Kawakami Okamura estiveram no PTI. 

 

Ainda durante a semana passada, esteve no PTI também o General de Divisão Bráulio de Paula Machado, vice-chefe de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) do Departamento de Ciência e Tecnologia (DCT) do Exército. Ele participou de discussões de temas voltados para o cumprimento e ampliação dos instrumentos de cooperação firmados entre as instituições.