Transformar conhecimentos e tecnologias em

 

soluções para o progresso da sociedade

Especial Foz 107 Anos: PTI-BR estimula a geração de empregos em Foz do Iguaçu

Especial Foz 107 Anos: PTI-BR estimula a geração de empregos em Foz do Iguaçu

11/06/2021

O Parque Tecnológico Itaipu - Brasil (PTI-BR) está  empenhado em ajudar à recuperação econômica de Foz do Iguaçu através da geração de emprego e renda.

 

Estamos no segundo ano de pandemia da Covid-19 e uma das consequências foi a retração de toda a economia global.

 

Em Foz do Iguaçu, o desafio passa pela implementação de projetos que incentivem a diversificação da economia, desenvolvendo outros pilares econômicos no município para além do turismo.

 

Por essa razão, o PTI-BR participa de várias iniciativas que estimulam o empreendedorismo e a inovação em Foz do Iguaçu.

 

Foi pensando no desafio da recuperação econômica que 8 instituições de Foz do Iguaçu somaram esforços para criar o Programa Acelera Foz: Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social de Foz do Iguaçu (Codefoz), Itaipu Binacional, PTI-BR, Prefeitura de Foz do Iguaçu, Sebrae, Programa Oeste em Desenvolvimento (POD), Associação Comercial e Empresarial (ACIFI) e Conselho Municipal de Turismo (Comtur).

 

Desafio Inova Oeste

Com objetivo de desenvolver e implementar soluções tecnológicas em micro, pequenas empresas e startups, gerando alto impacto na economia da região Oeste do Paraná, o Desafio Inova Oeste é uma das iniciativas do Acelera Foz, ancorada pelo PTI-BR em parceria com a Fundação Araucária, Sebrae-PR, Itaipu Binacional, Iguassu Valley e Programa Oeste em Desenvolvimento, por meio do Sistema Regional de Inovação (SRI).

 

O edital do Desafio Inova Oeste foi lançado em junho de 2020. Foram recebidas mais de 30 propostas, destas, foram selecionadas 10 empresas nas áreas de saúde, logística, varejo, tecnologia da informação e comunicação, inteligência artificial, cidades inteligentes e agronegócio.

 

Cada empresa receberá, até o final do Programa, R$ 58 mil reais para o desenvolvimento dos projetos, mentorias, bolsas de pesquisa, compra de equipamentos, consultorias tecnológicas, entre outros. Ao todo serão investidos mais de R$ 1 milhão em todo o Programa. O PTI-BR, com sua equipe e espaço qualificados, aplica métodos consagrados em gestão de startups que facilitam o desenvolvimento e validação dos negócios.

Uma vez que os empreendedores adquirem novas habilidades e conhecimentos, as empresas alavancam seus negócios, o mercado ganha novas parcerias, a sociedade usufrui das soluções desenvolvidas e a economia local se fortalece.

 

O salto de qualidade

De acordo Samuel Behling, CEO da Acqua Fish, startup que desenvolveu um equipamento que traz maior eficiência para os produtores peixes de cultivo, a incubação no Parque Tecnológico está sendo muito importante para o crescimento da empresa.

 

“O apoio, as mentorias, os cursos de qualificação estão sendo fundamentais. Mas o mais importante é que temos pessoas no PTI que trabalham conosco. O PTI não é um mero participante, ele vive com a gente este projeto, ele quer que esse projeto dê certo tanto quanto nós queremos. Isso é fantástico! Esses primeiros meses não poderiam ter sido melhores”, ressaltou.

Samuel Behling, CEO da Acqua Fish, startup que desenvolveu um equipamento que traz maior eficiência para os produtores peixes de cultivo.

 

O papel social das startups

A empresa Um Bom App é uma das incubadas do PTI-BR acredita que é possível aliar empreendedorismo e tecnologia para finalidades sociais.

 

Um Bom App desenvolveu um aplicativo de celular (sistema IOS e Android), que conecta empresas interessadas em vender o excedente de produção para pessoas que desejam comprar. Os clientes podem fazer suas compras por meio do aplicativo, no perfil comercial mais próximo ao seu endereço, com descontos que variam de 50% a 80% sobre os preços normais praticados.

 

Em menos de 1 ano de atividades, o aplicativo já realizou 2.500 transações, em 4 cidades (Foz do Iguaçu, Medianeira, Rio de Janeiro e Niterói), totalizando mais de 1 tonelada de alimentos excedentes vendidos, evitando o desperdício.

 

“Atualmente, trabalhamos com confeitarias, padarias e restaurantes. Mas temos o objetivo de incluir, futuramente, mercados e centros de distribuição. Mais de 100 estabelecimentos comerciais já se cadastraram no aplicativo, nos últimos 8 meses”, explicou Marcelo Toledo, cofounder da startup Um Bom App.

 

Um Bom App promove a redução do desperdício de alimentos e estimula o consumo sustentável.