Transformar conhecimentos e tecnologias em

 

soluções para o progresso da sociedade

Monitoramento das tecnologias do Vila A Inteligente será feito a partir da Concha Acústica do Gramadão

Monitoramento das tecnologias do Vila A Inteligente será feito a partir da Concha Acústica do Gramadão

09/10/2020

O Centro de Controle de Operações (CCO) das tecnologias que serão instaladas pelo Programa Vila A Inteligente já tem um local pré-definido de funcionamento: a Concha Acústica do Gramadão da Itaipu. Ali as informações de todos os equipamentos serão monitoradas e integradas a outros sistemas, assegurando aos moradores e visitantes do bairro maior sensação de segurança e maior agilidade nas atividades do dia a dia. 

 

Esta melhoria na qualidade de vida dos cidadãos é que motiva a iniciativa que tornará a Vila A o primeiro bairro público inteligente do País. O projeto reúne o Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR), a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), a Itaipu Binacional e a Prefeitura de Foz do Iguaçu. 

 

A instalação do CCO na Concha Acústica foi um dos temas da primeira reunião do Comitê Gestor do Vila A Inteligente, realizada na última quarta-feira, 7, de forma virtual. A partir deste mês, o Gramadão passa por um processo de revitalização administrado pela Itaipu, com previsão de conclusão em dez meses. O terreno ficará interditado para a agilidade da obra.

 

Neste intervalo de tempo, já terão sido instaladas as primeiras tecnologias previstas para o Vila A Inteligente: semáforos, pontos de ônibus e iluminação pública inteligente; e câmeras com reconhecimento facial e de placas de veículos. Estes equipamentos serão implementados nos próximos dois meses. 

 

Atuação do Comitê     

 

A instalação das primeiras soluções de Cidades Inteligentes recebeu o aval do Comitê Gestor. Integram o grupo representantes do PTI-BR, Prefeitura, Associação Comercial de Foz do Iguaçu e da Associação de Moradores da Vila A. 

 

O comitê é responsável por decisões estratégicas sobre o projeto, como a definição dos temas prioritários para o bairro e das tecnologias a serem implementadas, além do monitoramento e a avaliação das ações em andamento.

 

No primeiro encontro foram definidos o presidente do Comitê, que será o diretor técnico do Parque Tecnológico, Rafael José Deitos, e o secretário do grupo, cargo pelo qual o analista de negócios do PTI, Rodrigo Luiz Cardoso, ficará responsável. 

 

A partir de então, o Comitê Gestor deverá se reunir todos os meses  para tomar decisões sobre o projeto-piloto, como prevê decreto da Prefeitura que instituiu na Vila A um sandbox, ou seja, um espaço para demonstração e validação de tecnologias que podem ser aproveitadas por empresas de todo o País. 

 

De acordo com Rafael Deitos, o Comitê tem como uma de suas atribuições ser um mecanismo para o estímulo da inovação, viabilizando estratégias que sejam atrativas para os empreendedores. Ele lista a redução de custos e prazos para o desenvolvimento de produtos e serviços, como exemplo.

 

Consultoria

 

Na quinta-feira, 8, o Programa Vila A Inteligente iniciou também um processo de regulamentação, com o apoio de uma consultoria especializada em Cidades Inteligentes. A intenção é que o modelo implementado no bairro de Foz do Iguaçu possa ser replicado em outras cidades de todo o País.

Especial: