Mercado público: comunidade ganha mais tempo para participar da consulta aberta pelo PTI

Implantação do espaço foi debatida em reunião do Programa Acelera Foz com gestores de instituições públicas e privadas, empresários e vereadores.

A gestão do Mercado Público de Foz do Iguaçu foi discutida em reunião do Programa Acelera Foz, nessa sexta-feira, 2. O projeto foi apresentado pela direção do Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR), que está com consulta pública aberta e esclarece dúvidas sobre o edital que será lançado para concessão dos serviços de implantação, manutenção e melhor aproveitamento econômico do espaço.

Na plenária do Acelera Foz, representantes de instituições públicas e privadas, empresários e vereadores deram contribuições sobre o funcionamento do mercado, a ser inaugurado no endereço da antiga Cobal, na Vila A, e fizeram perguntas sobre a sua implantação. Todas as propostas serão analisadas por uma equipe técnica que atua no processo.

A partir desse diálogo, o PTI-BR decidiu prorrogar até 19 de julho o prazo da consulta pública on-line, que estava prevista para terminar neste dia 5. Usando o formulário disponível em: https://bit.ly/3jelM3w, toda pessoa interessada pode propor modificações na minuta ou mesmo dar sugestões sobre as futuras atividades do Mercado Público.

Fotos: Divulgação

“O espaço está na fase final das obras, sendo mais uma ação do Acelera Foz que estamos cumprindo”, destacou o diretor-superintendente do PTI-BR, general Eduardo Garrido. “É um investimento que tem tudo para movimentar a economia de Foz do Iguaçu, atrair mais investimentos e gerar renda para nossos produtores e empreendedores”, ressaltou.

Ele explicou que o edital de concessão do mercado somente será lançado após a análise técnica das sugestões recolhidas na consulta pública. “Nosso objetivo na reunião do Acelera Foz foi alcançado, que foi escutar as instituições, o setor empresarial e os vereadores. Todos temos o mesmo interesse: somar esforços para o bem de Foz do Iguaçu”, sublinhou Garrido.

Integração das pessoas

Diretor administrativo do PTI-BR, Flaviano da Costa Masnik explicou que o modelo de mercado público segue experiências de outras cidades do país. Ele frisou que os 72 boxes serão locados após a escolha da empresa que vai gerir o espaço. O mix de atividades comerciais deverá abranger gastronomia, empórios, serviços, hortifrutigranjeiros e suvenires, entre outros.

“O mercado está sendo pensado para a integração da sociedade, com os boxes conectados à área externa para contemplar eventos e atividades culturais”, expôs. “Além do atrativo, o objetivo é trazer empregos e desenvolvimento. É um trabalho árduo de muitas instituições parceiras para a cidade de Foz do Iguaçu”, enfatizou Flaviano.

O presidente do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (Codefoz), Felipe Gonzalez, enalteceu o diálogo em busca dos melhores resultados para a população. “Foram propostas muito ricas e de conteúdo. O conselho tem esse papel de reunir as instituições públicas e privadas, a representação política e o setor empresarial para conversar, debater e avançar juntos”, ponderou.

Contribuições

Na reunião, o presidente da Câmara Municipal, vereador Ney Patrício, defendeu que o mercado tenha um modelo “sustentável e apropriado para o momento”. Ele também agradeceu à Itaipu Binacional, empresa que fez o investimento de R$ 14,5 milhões na obra. “É um legado que a Itaipu está deixando de grande relevância para a cidade”, declarou.

A minuta do Termo de Referência e demais anexos, para quem deseja participar da consulta pública, estão disponíveis no site do PTI-BR: https://www.pti.org.br/avisos-de-editais/.

Informações: Programa Acelera Foz