Biólogas do PTI integram o Fórum Consultivo de Apoio à UGD da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica

A participação da instituição no Fórum será através do Núcleo de Inteligência Territorial (NIT.IB), localizado no Centro de Competência em Inteligência e Gestão Territorial do PTI que possui ampla expertise com o tema.

Nos próximos quatro anos, as biólogas Angela Tischner e Juliana Lunkes estarão oficialmente representando o Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR) no Fórum Consultivo de Apoio à 1ª Unidade de Gestão Descentralizada (UGD) da Reserva da Biosfera do mundo. A iniciativa é liderada pela Itaipu Binacional e o Conselho Nacional da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica e conta com a chancela da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

Composto por 10 membros governamentais e 10 não-governamentais, o Fórum Consultivo de Apoio à UGD tem como objetivo prestar suporte na implementação das iniciativas previstas no plano de ação, formar câmaras temáticas e definir a continuidade de algumas ações.

A UGD da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica (UGD RBMA Itaipu) soma cerca de 860 mil hectares, compreendendo as áreas protegidas da binacional e matas ciliares de 29 municípios que fazem parte da Bacia Hidrográfica do Rio Paraná Parte 3, limitando-se com o Parque Nacional de Ilha Grande, ao norte, e com o Parque Nacional do Iguaçu, ao sul.

 

Para Angela, que é integrante titular do Fórum, será uma grande oportunidade para o PTI “poder contribuir no desenvolvimento de um plano de ação para o fortalecimento da conservação da Mata Atlântica no território em que atua, promovendo sua missão na região e, sobretudo, compartilhando seu knowhow em gestão para sustentabilidade territorial junto ao Fórum consultivo”, destacou. Angela e Juliana, titular e suplente, respectivamente, são integrantes do Núcleo de Inteligência Territorial (NIT.IB), localizado no Centro de Competência em Inteligência e Gestão Territorial do PTI. A ideia é aproveitar a ampla expertise do Núcleo no desenvolvimento de soluções – a partir do uso de diferentes tecnologias para construção de banco de dados – que agregam valor à tomada de decisão, visando garantir o desenvolvimento regional sustentável, visando à conversação.

Além do PTI-BR, outras instituições compõem o Fórum, como ICMBio-Parque Nacional do Iguaçu, Instituto Água e Terra (IAT), Conselho dos Municípios Lindeiros, Associação dos Municípios do Oeste do Paraná (Amop), Parque das Aves, Cataratas S/A, entre outros.

Como funciona

As áreas de Reserva da Biosfera são implementadas por governos e chanceladas pela Unesco. A gestão é exercida com apoio de colegiados de gestores compostos de forma paritária entre representantes governamentais e não governamentais. A UGD é uma nova instância no sistema e conta com certa independência para a condução dos trabalhos.

Os três principais atributos de uma Reserva da Biosfera são a conservação dos ecossistemas, o fomento ao desenvolvimento sustentável e a produção de conhecimento científico.

A atuação da UGD está alinhada com a promoção do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 11 da Organização das Nações Unidas (apoiar os vínculos econômicos, sociais e ambientais positivos entre as áreas urbanas, metropolitanas e rurais, fortalecendo o desenvolvimento nacional e regional) e de acordo com as premissas do programa A Humanidade e a Biosfera (antigo O Homem e a Biosfera).

Os municípios que fazem parte da iniciativa devem ser os principais beneficiários, uma vez que serão concentrados esforços para que elaborem seus Planos Municipais da Mata Atlântica, ferramenta importante para a conservação do bioma, prevista em lei, e pode facilitar o acesso a recursos financeiros de programas governamentais e de organismos internacionais.

PTI-BR coopera na implementação de microrrede que amplia a segurança elétrica em área rural

O Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR) está investindo cada vez mais em projetos inovadores e iniciativas que geram qualidade de vida. Pensando nesse objetivo, o PTI-BR em parceria com a Itaipu Binacional, o CIBiogás e a Copel, há 3 anos, participa do desenvolvimento de um projeto para a implementação de microrrede na Granja Colombari, em São Miguel do Iguaçu, que tem sido um case de sucesso.

A microrrede é um sistema elétrico que possui tecnologia de geração distribuída, armazenamento de energia e controle de cargas, que podem operar conectados ou ilhados da rede principal.

A parceria desenvolvida na Granja Colombari é pioneira em geração de energia. Ela produz eletricidade a partir do biogás oriundo de resíduos de suínos. Hoje, o local consegue produzir 900 kWh/dia, permitindo maior estabilidade na produção local a partir do armazenamento de energia.

“O trabalho desenvolvido permitiu aumentar a segurança energética do sistema. Em regiões rurais podem existir instabilidades que geram potenciais interrupções transitórias de energia. Implementamos uma solução que conseguiu mitigar esses efeitos, permitindo a continuidade no fornecimento em situações onde a rede principal não está presente”, explicou o engenheiro eletricista do Centro de Automação e Simulação de Sistemas Elétricos do PTI-BR, Dabit Sonoda.

De acordo com Sonoda, o know how obtido pela experiência no projeto ajudará futuramente em outros empreendimentos. “A solução que foi desenvolvida na Granja Colombari tem potencial para ser utilizada em outros contextos e locais. Por exemplo, onde há uma cadeia produtiva que precisa manter o fornecimento de energia para não haver prejuízo”, explicou.

Inovação com sustentabilidade

Para o diretor técnico do PTI-BR, Rafael Deitos, o Parque Tecnológico tem vasta experiência em projetos no setor elétrico e pretende investir ainda mais em iniciativas inovadoras e sustentáveis.

“O Parque possui infraestrutura e equipe técnica qualificada para o desenvolvimento de soluções de controle, monitoramento e execução para o setor elétrico. Além da experiência real, foi possível também testar em laboratório como essa microrrede suportaria condições adversas, graças a um simulador digital que, em tempo real, é capaz de executar testes que apresentam elevado grau de fidelidade às condições reais, disse.

PTI-BR conquista selo GPTW e comemora resultado com os colaboradores

Reconhecimento como uma ótima empresa para se trabalhar pelos seus colaboradores, de acordo com a pesquisa da Great Place to Work (GPTW), foi celebrado em evento híbrido nesta quarta-feira (04).

O ano de 2020 foi marcado por inúmeros aprendizados e desafios. Com a chegada da pandemia da Covid-19, diversos obstáculos surgiram, inclusive no ambiente corporativo. Isolamento social, home office, ambiente incerto e também novas oportunidades para inovar. Com a união e esforços de todos, o Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR) pode continuar avançando e conquistando excelentes resultados.

Uma das grandes conquistas é fruto da valorização das pessoas, do engajamento e do fortalecimento de vínculos entre a empresa e colaboradores no último ano: o PTI-BR obteve a certificação da Great Place To Work (GPTW) com o selo de um “Ótimo Lugar para Trabalhar”.

O evento de apresentação da conquista da certificação e dos resultados da pesquisa de clima ocorreu nesta quarta-feira (04), com a participação dos colaboradores de forma híbrida, online por transmissão ao vivo e presencial no Cine Teatro Barrageiros, seguindo todos os critérios de segurança.

Durante a ação o diretor-superintendente, general Eduardo Garrido; o diretor administrativo-financeiro, Flaviano Masnik; o diretor técnico, Rafael Deitos; e o diretor de negócios e inovação, Rodrigo Regis, deixaram suas mensagens para os colaboradores, compartilhando alegria e reconhecendo o resultado de todos.

Uma iniciativa interna também possibilitou que os colaboradores pudessem deixar suas mensagens, em formato de vídeo, sobre a razão de sentirem orgulho em trabalhar no PTI-BR. Todas as gravações recebidas foram apresentadas durante o evento.

Resultados para comemorar

Para o diretor superintendente do Parque Tecnológico, general Eduardo Garrido, a conquista do selo em um ano atípico simboliza o reconhecimento dos colaboradores e demonstra que os trabalhos e ações estão no caminho certo. “É um motivo de orgulho, saber que o conjunto de iniciativas internas desenvolvidas com foco no bem-estar dos colaboradores tiveram grande sucesso. E possibilitaram que o PTI-BR fosse reconhecido como um excelente lugar para se trabalhar”, destaca.

“Essa certificação nos motiva a continuar fazendo mais e melhor em nosso ambiente de trabalho, construindo um legado com base no respeito, apoio e cuidado, em busca de cada vez mais estarmos alinhados com a temática do ESG. Acreditamos também que a realização e o comprometimento de cada colaborador, que deu o melhor de si para gerar desenvolvimento e inovação para a sociedade, refletiu e continuará refletindo em melhores resultados”, complementa Garrido.

Valorização

Mesmo em um ano onde grande parte colaboradores estiveram atuando em home office, a instituição manteve um contato próximo com todo o time e pode desenvolver estratégias e projetos de retomada dos negócios, inovando e criando novas oportunidades. “Com mais de 530 colaboradores, dedicamos nossos esforços para manter a equipe unida no ambiente incerto trazido pela pandemia, investindo em comunicação e desenvolvimento. Ao mesmo tempo, nos destacamos em relação às boas práticas de gestão e qualidade do nosso ambiente de trabalho”, afirma o diretor superintendente.

Um olhar especial é direcionado aos colaboradores, começando desde a recepção de novos integrantes do time, ao envolvimento em lives com a diretoria para apresentação do planejamento estratégico, resultados e projetos fazendo com que a missão, visão, propósitos e valores sejam incorporadas ao cotidiano da equipe. O PTI-BR conta, ainda, com a realização de diversas ações de endomarketing, entre elas a caixa de sugestões física e online e as ações de clima, que envolvem de celebrações de datas comemorativas e outras atividades, enfatizando o orgulho dos colaboradores pela organização.

Além disso, o PTI-BR preza por reconhecer seus colaboradores no dia a dia, como a avaliação de desempenho, uma das principais ferramentas para troca de feedback e a constituição do Plano de Cargos e Salários que possibilitou a realização do calendário anual de promoções, desenvolvido em dois ciclos. Dentro desse contexto, uma votação é feita entre colaboradores para reconhecer os colegas das quatro diretorias do Parque como “Colaboradores Destaques Ano”.

Os colaboradores tem ainda à disposição ferramentas para comunicação interna que possibilitam bate papos descontraídos, promoção de insights, informar eventos, curtir e acompanhar o dia a dia dos diretores, gestores e equipes, bem como espaços, que fazem parte da infraestrutura, que permitem a integração presencial.

O que é Selo GPTW?

O selo GPTW é uma certificação digital concedida pela Great Place To Work, organização global especialista em transformar o ambiente de trabalho das empresas, impactando positivamente os colaboradores, os negócios e a sociedade.

Por meio da realização de pesquisa de clima com a participação dos colaboradores são analisados os níveis de satisfação dos colaboradores em relação ao ambiente de trabalho, a cultura de confiança e ao alto desempenho.

A partir disso, as empresas que conseguem obter uma alta pontuação – superior a 70% na média – em diversos aspectos como clima organizacional, remuneração, benefícios, oportunidade de crescimento, infraestrutura, transparência na gestão e autonomia dos colaboradores, são consideradas como ótimas para trabalhar.