População de Foz do Iguaçu conhece projetos inovadores do Parque Tecnológico Itaipu – Brasil 

Exposição PTI-BR Shopping Catuaí
Exposição no Shopping Catuaí Palladium aproximou a comunidade aos projetos desenvolvidos pelo PTI-BR, o Parque Tecnológico de Foz do Iguaçu.  

As iniciativas e projetos do Parque Tecnológico Itaipu-Brasil (PTI-BR) em tecnologia, inovação e pesquisa ganharam protagonismo, entre os dias 15 e 17 de dezembro, com a realização de uma exposição no Shopping Catuaí Palladium.  

A iniciativa aproximou a comunidade de Foz do Iguaçu, visitantes e turistas os projetos e trabalhos desenvolvidos pelo ecossistema transformador do Parque Tecnológico, que desenvolve tecnologias, impulsiona negócios e conecta pessoas. 

Exposição PTI-BR Shopping Catuaí

Educação, empreendedorismo, tecnologia, turismo geração de emprego e renda   foram alguns temas que tiveram em destaque durante os três dias da exposição. O público pôde conhecer as soluções em inteligência artificial, incubadora, drones, turismo, educação, cursos, segurança de barragens, segurança cibernética, entre outros.  

A programação foi encerrada com um bate-papo sobre ecossistemas de inovação. Os participantes tiveram a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre o que é um Parque Tecnológico e quais são os seus benefícios para a sociedade. A atividade foi conduzida pelo gestor da área de Assessoria de Planejamento e Gestão do PTI-BR, Jonhey Nazario Lucizani, que destacou a importância da ação. “Foi um importante evento para buscar a aproximação com a população e entusiastas sobre as temáticas de inovação e desenvolvimento tecnológico. Divulgamos o PTI-BR como um importante mecanismo para o município e região e o seu ambiente onde funcionam diversas organizações, parceiros, empresas e universidades”, explicou.  

Exposição PTI-BR Shopping Catuaí

“Que cada vez mais a comunidade e a sociedade vejam o Parque Tecnológico como um grande ativo para Foz do Iguaçu e região e de referência nacional e internacional”, destacou Jonhey. 

Ecossistema inovador 

Para o diretor superintendente do PTI-BR, general Eduardo Garrido, a iniciativa representa a proposta da instituição em se aproximar da comunidade de Foz do Iguaçu, apresentando os conhecimentos e as expertises adquiridas ao longo de 19 anos de atuação. “Promovemos esse momento de interação e conexão para levar à população o nosso ecossistema inovador que desenvolve tecnologias para o progresso e bem-estar da sociedade e promove o desenvolvimento econômico e regional”, afirmou. 

Exposição PTI-BR Shopping Catuaí

Novas instalações de tecnologias no sandbox “Vila A Inteligente” consolidam sucesso do Smart Vitrine para Foz do Iguaçu  

vila a inteligente
Quatro novas soluções tecnológicas foram instaladas no bairro e, nos próximos meses, mais 17 novas empresas se juntam para participar da maior vitrine tecnológica em smart cities do Brasil. 

Criado em 2021, o Smart Vitrine tornou-se o principal mecanismo de atração de empresas e soluções tecnológicas em smart cities. Essas empresas buscam, principalmente, testar e validar suas tecnologias no 1º e maior sandbox em bairro público do País, o Vila A Inteligente.   

Fundado pelo Parque Tecnológico Itaipu Brasil (PTI-BR), Itaipu Binacional, Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu, o programa é considerado por todos um grande case de sucesso. Realizou, até agora, 4 ciclos de convocação, buscando, dessa forma, soluções nas mais diversas áreas: meio ambiente, urbanismo, saúde, educação e outros eixos temáticos.  Ao todo, mais de 65 empresas e startups já se inscreveram para fazer parte do ecossistema de Foz do Iguaçu em cidades inteligentes, sendo duas internacionais (França e Paraguai).   

Estima-se, até fevereiro de 2023, 26 soluções sendo testadas e validadas dentro do Vila A Inteligente. Isso resultará não só na democratização do acesso às infraestruturas tecnológicas, como também em investimentos por parte destas empresas em Foz do Iguaçu que, ainda em outubro de 2022, já ultrapassavam os R$600mil.  

Para Tiago Faierstein, gerente da ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial): “O Smart Vitrine ajuda a mostrar que o sandbox é um instrumento regulatório. Dessa maneira é importante para atração de empresas, desenvolvimento de negócios e, principalmente, qualificação de soluções para melhoria da qualidade de vida. É um edital que foi um sucesso! Várias empresas aderiram. Logo iniciarão outros ciclos e mais empresas vão aderir. Como resultado, vai trazer maior desenvolvimento econômico para Foz do Iguaçu, além de mais atração de empresas, geração de empregos e fomento a empreendedores e startups.”  

Novas instalações de tecnologias no Vila A Inteligente  

Das soluções já instaladas e testadas pela população, algumas tornaram-se queridinhas. É o caso, por exemplo, da Icehot, dispenser de água quente e fria, que inclui oferta de água para animais e, ainda, tem um dispositivo que refresca e hidrata os que por ela passam. Poucos meses após sua instalação, ainda em abril/22, a tecnologia já havia sido utilizada mais de 138.000 vezes. E isso resultou, então, na economia de, em média, 39.800 novas garrafas plásticas de água.  

Para Alex Oliveira, Fundador da IceHot, “o programa foi a porta de entrada no Estado do Paraná. Desde que instalamos o nosso produto no Vila A Inteligente em fevereiro de 2022, nos conectamos com outros municípios do estado. Assim, até o final desse ano, estaremos presentes em mais 8 cidades do Paraná”. 

oleoponto

Já a ÓleoPonto, tecnologia desenvolvida para estimular o descarte correto de óleo vegetal, oferecendo em troca um clube de benefícios, coletou, em cerca de 6 meses, mais de 1.176 litros de óleo. Isso evitou, portanto, que mais de 29,4 milhões de litros de água fossem contaminados. A máquina encontra-se instalada no estacionamento do Supermercado Líder que, por meio de seu Diretor Administrativo, José Carlos Lin, ressalta: “consideramos uma iniciativa relevante com um sistema viável, eficiente, tecnológico e ecologicamente correto, contribuindo, enfim, para a preservação do meio ambiente. Estamos felizes em poder fazer parte deste projeto!” 

Agora, mais 4 novas tecnologias foram instaladas em Foz do Iguaçu. Com o objetivo de testar suas soluções e, junto às demais, impulsionarem o desenvolvimento de novos negócios na cidade, melhorando a qualidade de vida da população. 

Conheça mais sobre cada uma:
  • Piipee: Equipamentos alimentados com produtos químicos desenvolvidos para reagir com a urina e dispensar o uso de descarga em sanitários. Essa tecnologia está instalada e sendo testada pelos alunos e professores da Escola Municipal Prof. Josinete Holler Alves Santos. 
  • DriveOn: Aplicativo que avalia o comportamento de motoristas e remunera informações geradas, com cryptomoedas. Os alunos da Universidade Estadual do Oeste do Paraná – UNIOESTE testam a aplicação. 
  • Juganu: Equipamentos de sanitização de ambientes com luz LED modificada que eliminam microrganismos, por meio do espectro de luz UVA e UVC. Essa tecnologia encontra-se instalada em espaços da UPA João Samek. 
  • Bot From Bot: Plataforma automatizada para criação de chatbots poliglotas usando Inteligência Artificial, sem demanda de técnicos. A empresa Solius Energia Solar usa a solução para testá-la. 

Para o Secretário Municipal de Tecnologia da Informação de Foz do Iguaçu, Rafael Sanches, “a cidade encontra-se em pleno desenvolvimento. Captou investimentos para obras estruturantes que vão dar uma nova dinâmica à cidade. Atrelado a isso, está o atual desafio dos gestores em modernizar os serviços públicos e melhorar a qualidade de vida dos munícipes.  Neste sentido, o programa Vila A inteligente materializa a entrega de soluções tecnológicas, inovadoras e sustentáveis diretamente aos munícipes, permitindo também que gestores da prefeitura possam fazer uma avaliação dos produtos e criar estratégias de replicá-las por toda a cidade.” 

Nos próximos meses, mais 17 novas tecnologias selecionadas e que estão em fase de formalização e instalação, aterrissam em Foz do Iguaçu para integrar essa vitrine que, em menos de dois anos, já recebeu mais de 200 prefeituras do Brasil todo, colocou a cidade no mapa como referência em cidades inteligentes e, ainda, é uma das responsáveis por movimentar e diversificar a economia da cidade, estimulando, principalmente, o empreendedorismo inovador. 

Acompanhe tudo sobre o Smart Vitrine e saiba mais sobre as 26 startups selecionadas acessando o Instagram @ptibrasil.

PTI-BR, o Parque Tecnológico de Foz, apresenta iniciativas e projetos para a comunidade  

Registro do desenvolvimento de hardware aplicado em gestão de bateria (BMS) no PTI-BR.
Iguaçuenses, visitantes e turistas estão convidados a conhecer o ecossistema de inovação do Parque Tecnológico. Exposição será realizada entre 15 e 17 de dezembro no Shopping Catuaí Palladium.

O que é um Parque Tecnológico? Qual a sua importância? É com a proposta de responder essas perguntas para a comunidade que o Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR) promoverá, entre os dias 15 e 17 de dezembro, no Shopping Catuaí Palladium, uma exposição e bate-papo sobre inovação e tecnologia.  

Durante a programação, que ocorrerá durante os três dias, das 10h às 21h, estarão em destaque temas como educação, empreendedorismo, tecnologia, geração de renda e turismo.  

Durante a exposição, serão apresentados: o projeto Parque das Aves e Somare; cursos de educação; monitoramento da Barragem de Itaipu; Labmaker; Segurança Cibernética; drones; incubadora; Cidades Inteligentes; Vila A Inteligente; Turismo Itaipu; programa de estágio e bolsas de pesquisa.

Bebedouro automático, uma das tecnologias do Programa Vila A Inteligente.
Bebedouro automático, uma das tecnologias do Programa Vila A Inteligente disponíveis para utilização da população de Foz do Iguaçu e região. 

Em especial, no sábado (17), a programação contará com um bate-papo sobre quais os benefícios de um ecossistema de inovação. A atividade terá início às 18h e trará assuntos como ambientes de inovação e empreendedorismo; cooperação entre universidade, empresa e governo; relação entre inovação, ciência e tecnologia; centros de competência e excelência; parques tecnológicos e núcleos de inovação tecnológica, entre outros. 

Ecossistema inovador 

Segundo o diretor-superintendente do PTI-BR, general Eduardo Garrido, a comunidade de Foz do Iguaçu, visitantes e turistas terão a oportunidade de conhecer o ecossistema transformador do Parque Tecnológico, que desenvolve tecnologias, impulsiona negócios e conecta pessoas. “O PTI-BR é um ecossistema de inovação que integra entidades como instituições de ensino, empresas e órgãos governamentais e promove a sinergia e a troca de conhecimentos em prol do desenvolvimento de soluções para a sociedade”, disse.  

“O evento, que demonstrará as ações e projetos desenvolvidos pela instituição, também está alinhado com a missão do PTI-BR no desenvolvimento de ciência, tecnologia, inovação e negócios, resultando em riqueza e bem-estar à sociedade”, complementou o diretor-superintendente. 

Montagem de células de bateria
              Desenvolvimento de tecnologia: registro da montagem de células de bateria em um dos laboratórios do PTI-BR.

 

Diretor-geral brasileiro de Itaipu visita obra da estrada de acesso independente ao PTI-BR 

Nova estrada de acesso independente ao PTI-BR
Nova via possibilitará o acesso ao Parque Tecnológico Itaipu – Brasil diretamente pela Avenida Tancredo Neves, com portal de acesso e controle de entrada independentes. 

O diretor-geral brasileiro de Itaipu, Anatalicio Risden Junior, visitou, na tarde desta quarta-feira (07), a nova estrada de acesso independente ao Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR). A via possui 2,6 quilômetros de extensão e conecta diretamente o Parque Tecnológico a Avenida Tancredo Neves, em Foz do Iguaçu.  

Com um investimento de mais de R$ 20 milhões, financiados pela Usina, a obra da estrada de acesso independente está concluída. Estão ainda, em execução, a obra do portal de acesso, entre outras estruturas complementares que vão possibilitar o início da utilização do novo acesso.  

Atualmente a entrada ao PTI-BR é realizada por meio da barreira de controle da Usina Hidrelétrica de Itaipu, considerada uma área de segurança nacional, e o percurso entre a barreira e o Parque Tecnológico conta com aproximadamente 6 quilômetros de extensão. Com a construção do novo acesso, essa distância será reduzida em cerca de 3,4 quilômetros.  

Durante a visita, o diretor-geral brasileiro de Itaipu, acompanhado pelo diretor técnico do PTI-BR, Rafael Deitos, pôde conhecer in loco a nova via que aproximará a instituição da comunidade de Foz do Iguaçu e região, trazendo ainda mais segurança à usina, redução do trajeto diário e consequentemente, o tempo com deslocamento e consumo de combustível. 

Benefícios 

Segundo Rafael Deitos, o novo acesso terá ainda, entre os seus benefícios, o aumento da atratividade do Parque Tecnológico, o fortalecimento do ecossistema já existente e o desenvolvimento social e econômico de Foz e região.  

“A iniciativa, alinhada com o plano de expansão do PTI-BR, também proporcionará melhores condições para segurança institucional da Itaipu Binacional, com redução da circulação de pessoas em sua área prioritária, bem como, reduzirá a distância percorrida diariamente pelos mais de 500 colaboradores da instituição e mais de 6.000 habitantes/dia do Parque”, afirmou Deitos.  

“A obra era uma demanda antiga da comunidade do PTI e da Segurança Empresarial de Itaipu e faz parte do legado que estamos deixando para a comunidade de Foz”, avaliou o diretor-geral brasileiro de Itaipu, Anatalicio Risden Junior. 

Portal de acesso 

Para o gestor de Infraestrutura, Segurança e Serviços do PTI-BR, Rudi Paetzold, a iniciativa contribuirá com todos que se deslocam diariamente à instituição. “Certamente é uma obra importante e que todos serão beneficiados”, disse. 

Projeto de novo portal de entrada e controle de acesso ao PTI-BR.
                                                    Projeto de novo portal de acesso e controle de entrada ao PTI-BR.

Sobre o portal de entrada, o gestor destacou a utilização de uma arquitetura moderna, com elementos tecnológicos. “O portal contará com sistemas de monitoramento e controle, quatro vias de acesso (2 de entrada e 2 de saída) e ciclovia. A estrutura contará ainda com iluminação monumental dinâmica e toda a arquitetura foi pensada para transmitir a imagem de tecnologia, solidez e inovação do Parque, já ao passar pelo portal”, explicou. 

Projeto Estrada 4 Projeto Estrada 6

Incubadora do PTI-BR recebe certificado Cerne 4 e apresenta nova metodologia de incubação durante a 32ª Conferência Anprotec

incubadora santos dumont recebe cerne 4
A entrega da certificação evidencia que a Santos Dumont, incubadora do PTI-BR, alcançou maturidade suficiente para consolidar seu sistema de gestão da inovação.

Na segunda semana de dezembro, parte da equipe do Centro de Empreendedorismo do Parque Tecnológico Itaipu-Brasil (PTI-BR) voltou de Salvador (BA) com um importante resultado em mãos: o certificado que atesta o mais alto selo de maturidade na gestão de incubadoras: a certificação Cerne 4, entregue pela Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), durante a 32ª conferência realizada pela Associação. O resultado já havia sido revelado simbolicamente em julho desse ano, de forma virtual.

O reconhecimento consolidou a atuação do programa de incubação do PTI-BR, sendo o primeiro no Paraná a receber a certificação Cerne 4; no Brasil, somente quatro incubadoras já alcançaram esse resultado.

Durante o Workshop Cerne, que integrou a programação do evento, os analistas de negócios do PTI, Ederson Melo e Wilmar Ribeiro, apresentaram a trajetória da Santos Dumont e destacaram que a conquista da certificação é resultado de uma série de iniciativas que, como explicou Wilmar, vão “desde as ações do hub de Smart Cities e o de agronegócio, conectando todos os atores da região oeste do Paraná e compartilhando as iniciativas”.

Santos Dumont, a incubadora do PTI-BR

A Incubadora de empresas do PTI foi criada em 2006 e, desde então, vem desenvolvendo um papel fundamental na aceleração e desenvolvimento de novos negócios no ecossistema de inovação do Parque Tecnológico Itaipu-Brasil, movimentando a economia e o empreendedorismo inovador em Foz do Iguaçu e região. Atualmente, a incubadora conta com 72 empresas em seu portfólio, gerando 379 empregos diretos e faturamento de 49,6 milhões em 2021, além de contar com parceiros estratégicos do setor público e privado para iniciativas de inovação aberta.

Ainda durante a programação da Conferência, o diretor de negócios e inovação do PTI-BR, Rodrigo Régis, apresentou as iniciativas da instituição em prol do desenvolvimento econômico e geração de bem-estar para a sociedade. Régis destacou, ainda, que a diversificação da economia com o incentivo à criação de novos negócios é essencial para o enfrentamento de situações adversas, citando o Programa Acelera Foz – que reúne diversos atores municipais, incluindo o Parque Tecnológico Itaipu-BR, como exemplo de inovação que deu certo durante o período de enfrentamento aos desafios econômicos impostos pela pandemia de Covid-19.

“Concentramos nossos esforços em setores que foram menos afetados pela crise, como agronegócio e energia, focando em tendências tecnológicas e trabalhando fortemente com a diversificação de produtos e serviços através do empreendedorismo na região”, detalhou.

Nova metodologia de incubação – Cerne 4

Outra novidade anunciada, durante o evento, foi a apresentação do artigo “Do avião de papel ao foguete: a nova metodologia de incubação e aceleração da Incubadora Santos Dumont do Parque Tecnológico Itaipu”, de autoria dos analistas de negócios, Gabriel Caus e Wilmar Ribeiro, que determina as próximas diretrizes para quem está buscando uma oportunidade para tirar sua ideia do papel e participar dos próximos editais da instituição.

Entre as principais atualizações estão a definição dos requisitos de entrada e saída de cada fase, o descritivo de cada etapa, o direcionamento do foco do analista de negócios e a disponibilização de ferramentas e frameworks de trabalho. Essas alterações permitiram a melhor distribuição das etapas que cada empreendimento irá passar, o aumento da qualidade dos serviços prestados e a separação do processo de incubação e aceleração.

Sobre a 32ª conferência Anprotec

A Conferência Anprotec trata-se de um grande encontro de ambientes de inovação que acontece anualmente, com o objetivo de promover temas relacionados à ciência, tecnologia e inovação. O evento já aconteceu em mais de 15 cidades ao redor do País.

A edição de 2022 aconteceu entre os dias 5 e 7 de dezembro, com o tema “200 Anos de Independência: Inovação e Tecnologia no Brasil”. Durante o evento os participantes abordaram a história e o contexto imprescindíveis para a criação de uma identidade brasileira no cenário de Tecnologia e Inovação, desde a independência do país até a atualidade. Além disso, também trataram dos próximos passos, oportunidades e desafios para o setor tecnológico.

Veja as imagens da 32ª Anprotec, em Salvador/BA:

O Centro de Arquitetura e Engenharia é mais uma referência das soluções do PTI

soluções do centro de arquitetura e engenharia

O Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR) criou, em 2021, uma vertente de soluções voltadas à construção civil. Assim, o Centro de Competência em Arquitetura e Engenharia (AE.ISS), formado por profissionais com mais de 10 anos de experiência na construção civil, atua de maneira multidisciplinar na captação de recurso, gerenciamento e elaboração de projetos, além da contratação e supervisão de obras. 

Uma vez que a equipe é formada por profissionais de arquitetura e urbanismo, engenharia civil, elétrica e mecânica, conseguimos realizar um trabalho integrado, com gerenciamento ágil e com utilização de processos BIM (Leia o que é BIM). 

Com o propósito de criar soluções para edificações mais inteligentes, tecnológicas e sustentáveis, o AE.ISS oferece soluções completas para o sucesso de empreendimentos, do início do planejamento à supervisão das obras. 

Em suma, é possível afirmar que o sucesso do empreendimento compreende desde suas fases iniciais, com um direcionamento adequado da ideia, até a supervisão que cumprirá a função de monitorar e garantir a execução do que foi projetado. Além disso, também atravessa as fases de desenvolvimento de projetos com boas técnicas, soluções inteligentes e aplicação de materiais adequados. O êxito, então, só pode ser garantido a partir de um contrato para execução de obra bem definido e adequado ao que se quer executar. 

Portanto, oferecemos, de forma abrangente, projetos de arquitetura, urbanismo e engenharia, além de maquete eletrônica (imagens estáticas, vídeos e realidade virtual), supervisão de obra, regularização de edificação e assessoria ou consultoria. 

Conheça a equipe do Centro de Arquitetura e Engenharia do PTI – Arquitetura e Urbanismo

Equipe do Centro de Arquitetura e Engenharia

Alice Abelha | Arquiteta e Urbanista. Primeiramente, graduada pelo Centro Universitário União das Américas Descomplica, também é especialista em Engenharia de segurança contra incêndio e pânico (Faculdade única), em Projeto de paisagismo (FAMEESP) e em Design de interiores, conforto ambiental e Luminotécnica Aplicada (FAMEESP). 

Vanessa Wodzik | Arquiteta e Urbanista, graduada pelo Centro Universitário União Dinâmica das Cataratas (UDC).  

Ambas atuam como projetistas na elaboração, em BIM, de projetos de arquitetura e complementares. 

Julia Granzotto | Arquiteta e Urbanista. Graduada pelo Centro Universitário Fundação Assis Gurgacz (FAG), especialista em Planejamento de Cidades (Unyleya), Engenharia de Tráfego (Anhanguera) e em Gestão Pública, com ênfase em cidades inteligentes pela mesma universidade.  

Lauane Amaral | Arquiteta e Urbanista. Graduada pelo Centro Universitário União Dinâmica das Cataratas (UDC), especialista em Gerenciamento e Execução de Obras (UDC) e em plataforma BIM (INBEC).  Possui conhecimento em LEED GA (preparatório a todos os sistemas de certificações), LEED BD+C (novas construções) e LEED O+M (operação e manutenção de edifícios existentes).  

Lucas Borges Lied | Arquiteto e Urbanista. Graduado pelo Centro Universitário União Dinâmica das Cataratas (UDC), especialista em plataforma BIM pelo INBEC. Possui conhecimento principalmente em LEED GA (preparatório a todos os sistemas de certificações), LEED BD+C (novas construções) e LEED O+M (operação e manutenção de edifícios existentes).  

Luiz Gustavo Grzybowski | Arquiteto e Urbanista. Graduado pelo Centro Universitário União Dinâmica das Cataratas (UDC), especialista em Arquitetura e Iluminação (IPOG) e em Ferramentas e Processos BIM (IPOG). Possui conhecimento em LEED GA (preparatório a todos os sistemas de certificações), LEED BD+C (novas construções) e LEED O+M (operação e manutenção de edifícios existentes).  

Mariele Chiele Decezere | Arquiteta e Urbanista. Graduada pela Centro Universitário União Dinâmica das Cataratas (UDC) e especialista em gestão e coordenação de projetos em BIM pelo IPOG.   

Todos atuam, enfim, na elaboração e coordenação, em BIM, de projetos de arquitetura.  

Conheça a equipe do Centro de Arquitetura e Engenharia do PTI – Engenharia civil

Daniele Gotardo Martinez Broetto| Engenheira Civil. Graduada pelo Centro Universitário Dinâmica das Cataratas e especialista em Gerenciamento de Projetos no Centro Universitário Senac-SP. Certificada pela Exin em Agile Scrum Foundation – Gerenciamento ágil.  Possui conhecimento em LEED GA (preparatório a todos os sistemas de certificações), LEED BD+C (novas construções) e LEED O+M (operação e manutenção de edifícios existentes). Além disso, atua como coordenadora do Centro de Competências em Arquitetura e Engenharia.  

Dayse Almeida | Engenheira Civil. Graduada pelo Centro Universitário União das Américas Descomplica, especialista em projetos de arquitetura de interiores (FAMEESP) e Gestão de Projetos (Facuminas).  Por isso, atua como projetista na elaboração, em BIM, de projetos de arquitetura e complementares.   

Heloisa Lemuchi Zambaldi | Engenheira Civil. Graduada pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Possui conhecimento em gestão da qualidade, com treinamento e certificação em Lean Six Sigma pela Green Belt. Atua na fiscalização das obras. 

Karson Duarte | Engenheiro Civil, graduado pelo Centro Universitário União Dinâmica das Cataratas (UDC). Possui conhecimento em LEED GA (preparatório a todos os sistemas de certificações), LEED BD+C (novas construções) e LEED O+M (operação e manutenção de edifícios existentes). Atua como projetista na elaboração, em BIM, de projetos de arquitetura e complementares.  

Rudi Eduardo Paetzold | Engenheiro Civil. Graduado pelo Centro Universitário Dinâmica das Cataratas e especialista em Liderança, Inovação e Gestão 4.0 pela PUC-RS. Possui conhecimento em LEED GA (preparatório a todos os sistemas de certificações), LEED BD+C (novas construções) e LEED O+M (operação e manutenção de edifícios existentes). Atua como gerente do Centro de Competências em Arquitetura e Engenharia.

Vitor Hugo Oligini Wessling | Engenheiro Civil. Graduado pelo Centro Universitário União Dinâmica das Cataratas (UDC). Especialista em Estruturas de Concreto e Fundações (INBEC) e em Plataforma BIM pelo INBEC. Por fim, atua na elaboração e coordenação, em BIM, de projetos de estrutura metálica, concreto e pré-fabricada, fundação, projetos hidrossanitários e orçamento de obras. 

Conheça a equipe do Centro de Arquitetura e Engenharia do PTI – Engenharia elétrica e mecânica

Fabrício Fasolo | Engenheiro Mecânico. Graduado pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), especialista em Tecnologia Mecânica do Setor Sucroalcooleiro pela Universidade Estadual de Maringá (UEM), em Gestão de Projetos (UNOPAR), em Educação Hibrida (Uniamérica) e em Inovação da Aprendizagem em Docência da Educação Superior (Uniamérica). Mestre em Engenharia Mecânica pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Ele então atua como engenheiro mecânico na elaboração e coordenação, em BIM, de projetos de climatização, exaustão, renovação de ar, câmaras frias, elevadores.  

Paulo Ricardo Perez | Engenheiro Eletricista. Graduado pelo Centro Universitário Assis Gurgacz (FAG), é especialista em Engenharia Elétrica – Eletrotécnica pela Universidade Anhanguera UNIDERP e em Administração Financeira, Contábil e Controladoria pela Faculdade Assis Gurgacz (FAG). Atua, portanto, como engenheiro eletricista na elaboração e coordenação, em BIM, de projetos de elétrica e supervisão de obras. 

Acompanhe as publicações do AE.ISS no blog PTI.

Fundação PTI-BR, Itaipu e ABIN celebram Programa de Proteção do Conhecimento Sensível 

Pti e itaipu participam de evento proteção do conhecimento sensível
O evento aconteceu na primeira semana de dezembro de 2022 e uniu as três instituições em Brasília. 

Na última terça-feira (6 de dezembro), a Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) celebrou os 25 anos do Programa Nacional de Proteção do Conhecimento Sensível (PNPC). O evento aconteceu em Brasília/DF, ocasião na qual a Itaipu Binacional e a Fundação PTI-BR representaram mais de cem instituições parceiras do PNPC. 

Durante o evento, o diretor superintendente do PTI, general Eduardo Garrido, apresentou uma palestra com o tema “O PNPC e a Fundação Parque Tecnológico Itaipu-Brasil: 7 anos de desafios e conquistas”, focando na proteção de conhecimentos sensíveis junto ao PTI-BR.  

A parceria entre as duas instituições iniciou-se em 2015, portanto, durante todos esses anos verificou-se a importância da proteção de determinadas informações. Dessa forma, durante a apresentação, o general Garrido afirmou que “difundir essa cultura de proteção é muito importante para todos que trabalham em áreas críticas. Se não protegermos nosso conhecimento, estaremos vulneráveis”.  

Na foto: o diretor-superintendente da Fundação Parque Tecnológico de Itaipu, general Eduardo Castanheira Garrido Alves; o chefe da Assessoria de Informações da Itaipu Binacional, contra-almirante Paulo Sérgio Castello Branco Tinoco Guimarães; juntamente com o diretor-adjunto da ABIN, o Sr Victor Felismino Carneiro. 

Unioeste abre inscrições para o Vestibular 2023

Inscrições vestibular unioeste
A prova acontece no início de fevereiro e as inscrições estão abertas até dezembro. 

O vestibular Unioeste 2023 será no dia 05 de fevereiro e o edital oferece desconto para quem antecipar a inscrição até às 23h59 do dia 07 de dezembro (para isso o boleto deve ser pago até 08 de dezembro de 2022).

E agora que o vestibular já tem data garantida, os estudantes já podem dar esse primeiro passo rumo ao futuro que tanto desejam. Portanto, é necessário realizar a inscrição que acontece até 19 de dezembro de 2022 pelo site: www.unioeste.br/vestibular.

A Universidade Estadual do Oeste do Paraná está presente em cinco cidades: Cascavel, Foz do Iguaçu, Francisco Beltrão, Marechal Cândido Rondon e Toledo. Dessa forma, são 64 cursos distribuídos nos cinco campi, o que aumenta a possibilidade de escolha dos candidatos. No campus de Foz do Iguaçu os cursos oferecidos são: Administração, Ciência da Computação, Ciências Contábeis, Direito, Enfermagem, Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica, Hotelaria, Letras – Português/Espanhol, Letras – Português/Inglês, Matemática, Pedagogia e Turismo. 

Em Foz do Iguaçu, uma parte dos cursos é ministrada no Parque Tecnológico Itaipu – Brasil, onde são disponibilizados diversos laboratórios de pesquisa. Além disso, tanto no campus da Unioeste quanto no PTI, os estudantes dispõem de vários espaços. Tais como biblioteca, laboratórios de informática, enfermaria e, ainda, restaurante universitário, que oferece alimentação acessível durante o horário do almoço.

Conheça os cursos oferecidos, assim como os docentes de cada centro e as novidades relacionadas à vida acadêmica acessando o site www.unioeste.br  

Economia circular é tema de debate iniciado pelo PTI-BR durante Festival das Cataratas

Apresentação economia circular
Representantes do Parque Tecnológico Itaipu – Brasil apresentaram as iniciativas da instituição relacionadas à gestão de resíduos sólidos e oportunidades de novos negócios. 

Na primeira semana de dezembro, os principais players do turismo no Brasil reuniram-se em Foz do Iguaçu. O objetivo foi discutir as oportunidades do setor durante o Festival das Cataratas. Atendendo às demandas do mercado e tendo o turismo como uma das temáticas de atuação, o PTI-BR levou suas soluções tecnológicas e startups do ecossistema. Dessa forma, esteve presente em importantes discussões no evento. 

O Festival contou com uma série de eventos paralelos que complementaram a programação da Feira. Entre eles, o “3º Inovacities hall” e “8° Iguassu Conecta”. Tais atividades trouxeram a temática da sustentabilidade nas cidades, a partir da ótica de iniciativas e cases já implementados.  

Durante o painel “Economia Circular”, a engenheira sanitarista do PTI-BR, Renata Dias, apresentou o histórico da instituição na prestação de assessoria técnica em saneamento com ênfase na gestão de resíduos sólidos, incluindo a atuação conjunta com o Instituto Paranaense de Reciclagem (InPAR), no cenário da logística reversa.   

O PTI-BR atua, desde 2013, no planejamento público dos sistemas de manejo de resíduos e, a partir de 2018, apoia a operacionalização da reciclagem e da disposição final de rejeitos, através de investimentos feitos pela Itaipu Binacional e prefeituras.   

“Todo esse conhecimento acumulado resultou em uma importante consultoria que é prestada ao InPAR, no qual já temos 7 contratos consolidados de logística reversa em andamento”, destacou Renata,  salientando, ainda,  que essas ações trazem inúmeros benefícios sociais, ambientais e econômicos aos municípios e para os atores envolvidos.  

Em suma, a Logística Reversa tem como premissa reinserir os resíduos ou materiais do pós-consumo em novos ciclos produtivos, formatando a sustentabilidade nessa cadeia. O objetivo é aumentar a vida útil dos aterros sanitários, além de reduzir a extração de matérias-primas para produção de novos insumos.  

Geração de ideias e oportunidades de negócios relacionados à economia circular 

O Centro de Empreendedorismo do PTI-BR, por sua vez, foi representado pelo analista de negócios, Ederson Melo, e pela startup “Um bom App”, incubada na Santos Dumont (a incubadora do PTI), que apresentaram as oportunidades de inovação e geração de novos negócios sob o contexto da sustentabilidade.  

A Um Bom App desenvolveu uma tecnologia para logística reversa. Ou seja, criou um mapeamento de ponto de geração de resíduos, instalou centrais de recebimentos e, ainda, desenvolveu um mecanismo de cashback. Posteriormente, os materiais são enviados a cooperativas de reciclagem. Assim, a empresa pode realizar o rastreamento digital de todo o processo via blockchain gerando indicadores sustentáveis.   

A startup integra o programa de incubação do PTI-BR, certificado pela Anprotec com Cerne 4, sendo, portanto, a única incubadora do Paraná a possuir tal nível de maturidade na gestão de incubadoras. 

apresentadora Renata

Sanepar Startups inicia nova fase com cinco empresas selecionadas 

sanepar startups 1
Essas cinco startups participam da etapa nomeada Prova de Conceito, durante a qual se testam, aprimoram e validam as tecnologias produzidas.  

Em outubro de 2021, uma parceria entre Sanepar, Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR), Finep, BID, Sebrae-PR e o governo do Paraná lançou o edital Sanepar Startups, um programa de inovação aberta no setor de saneamento ambiental. Foram mais de 80 startups inscritas na primeira fase e, agora, o programa já está na fase final, de validação dos produtos das cinco startups escolhidas para testar suas tecnologias implementadas em ambientes reais. Dessa forma, cada solução pode ser avaliada no ambiente mais apropriado para teste, aprimoramento e validação. De acordo com Gustavo Posseti, gerente de pesquisa e inovação da Sanepar, a partir dessa etapa será possível ter certeza da aplicabilidade e replicabilidade das tecnologias, tanto na Sanepar, quanto em qualquer outra infraestrutura sanitária disponível no Brasil. 

Posseti ainda afirma que “a partir dessa aproximação, esperamos fortalecer laços interinstitucionais e, mais que isso, prospectar soluções criativas, sustentáveis e, realmente, inovadoras para que possamos, no menor intervalo de tempo possível, solucionar importantes desafios que o setor de saneamento nos apresenta”. As soluções terão aproximadamente oito meses para serem implantadas e validadas. 

Para marcar essa conquista, os parceiros da Sanepar Startups convidaram os representantes das cinco startups finalistas para participarem de dois dias de capacitação, networking e imersão em smart cities. “Nesse momento estamos passando por uma etapa de capacitação, que coloca frente a frente mentores (profissionais da Sanepar, que atuam em parceria com as startups) e representantes dessas, para que exista uma convergência de interesses e, mais que isso, para que seja possível extrair e otimizar, cada vez mais, os importantes resultados que esse programa traz para a sociedade”, comenta Gustavo Posseti. 

1º meetup Sanepar Startups 

A terça-feira (29) começou cedo para os representantes da Pull Up, Maxbot, O2Eco, Stattus4 e Radioforce. Foram recepcionados às 10h30 com as boas vindas dos organizadores do curso e café da manhã. E logo deu-se início ao curso de capacitação em líderes para inovação aberta com uma visita aos Centros de Competência do PTI. Após intervalo para almoço iniciou-se a segunda parte do curso, com explicações sobre mentoria, treinamento, consultoria e coaching. 

O dia acabou com o 1º Meetup Saneamento e Água no Ecossistema de Inovação que teve início às 18h30, no Exohub Cita. Nesse momento os representantes tiveram oportunidade de apresentar pitches dos seus negócios. O evento iniciou com uma apresentação do diretor de negócios e inovação do PTI, Rodrigo Régis, que afirmou que “o grande objetivo desse programa, que se iniciou com a Sanepar, não foi somente resolver o problema da Sanepar, mas criar as capacidades para que as empresas consigam escalar suas soluções para outras regiões e outros locais. Consequentemente, gerando emprego e renda, porque não existe projeto que atinge mais a sociedade do que investir no empreendedorismo” finaliza. 

Os sócios da Pull Up explicaram um pouco sobre o produto que criaram “Nosso projeto consiste em sensores que monitoram motores e motobombas. A ideia é fazer manutenção preditiva, ou seja, acompanhar vibração, temperatura e acústica desses motores, assegurando a operação dentro da normalidade”, afirmou Conrado De Vitor. Sua sócia, Paula Gomez continua “o pessoal da manutenção da Sanepar monitora a rede de maneira online. Portanto, se algum sensor começar a sair do padrão, é possível realizar a manutenção”. De acordo com eles essa tecnologia traz como benefício a redução de paradas técnicas, de custos e, em última instância, de desabastecimento de água nas cidades. 

Graduação das startups incubadas no PTI 

A noite também foi de comemoração para três startups que fizeram parte da Santos Dumont, a incubadora do PTI. Isso porque foi momento de registrar a graduação dessas empresas, ou seja, delas alçarem voos mais altos, mesmo sabendo que ainda podem contar com a Santos Dumont, uma vez que a partir de agora BZS, STAC e Brexbit fazem parte do rol de parceiras do PTI.  

Conforme afirma Adriana Bayer, CEO da BZS, “as mentorias, assessorias, cursos, imersões, análise de mercado, planejamento e ambiência fazem o resultado exponenciar”. Ela ainda afirma que já está pensando em novos negócios para continuar a empreender. Nesse mesmo sentido, Mahuan Abdala, CEO da Stac, também compreende a importância da incubadora Santos Dumont para a startup. “O PTI foi muito importante em toda a jornada da empresa, pois nos proporcionou a oportunidade e toda a sua estrutura e apoio. A incubação é um passo importantíssimo para estruturação e modelagem do negócio antes de ir para o mercado”, afirma.

Sobre os planos para o futuro, Abdala comenta: “continuamos com a parceria com o PTI para apoiar o desenvolvimento de nossa região e do país. Estamos trabalhando para expandir a empresa, e levar tecnologia e inovação para o setor avícola. Dessa maneira, levaremos aos produtores e agroindústrias melhores resultados, além da redução de custos”. 

Imersão em Smart Cities 

Na quarta-feira, aconteceu a terceira etapa do curso em Capacitação de Líderes para Inovação Aberta, durante o qual foi trabalhado alguns detalhes em relação a mentorias. Por exemplo, como planejar a mentoria, com objetivos, metas e indicadores, como avaliar o cliente e, ainda, algumas ferramentas práticas. Essa última parte do curso teve três horas e meia de duração. De acordo com Dyego Felix da Radioforce “o curso de capacitação e liderança oferecido pelo PTI foi muito importante, porque a gente conseguiu não apenas reforçar o que já aprendeu, mas também desenvolver novas habilidades para o dia a dia”. Ele comenta ainda que as atualizações em relação aos programas e eventos também são muito necessários e precisam ser colocados em prática. 

À tarde, os representantes das startups permaneceram no PTI produzindo materiais audiovisuais para suas empresas. Enquanto isso, os colaboradores da Sanepar visitaram o Bairro Vila A Inteligente e conheceram as tecnologias instaladas ali. Depois participaram do evento Imersão em Smart Cities, que fez parte do primeiro dia do Festival das Cataratas. 

Confira como foram os dois dias de programação: