A 17ª edição do Festival das Cataratas envolve inovação, pesquisa e negócios em Foz do Iguaçu 

Festival das Cataratas
O evento acontece entre os dias 30 de novembro e 2 de dezembro no centro de Convenções do Rafain Palace hotel. 

O Festival das Cataratas já é um tradicional encontro de instituições públicas e empresas privadas que têm a melhoria do turismo como objetivo. Com o intuito de aumentar a visibilidade dos destinos turísticos, quem participa da 17ª edição do Festival das Cataratas busca vender sua região, conhecer novos serviços hoteleiros, realizar conexões inovadoras e empreendedoras.  

Esse ano acontecem diversas palestras, capacitações, rodadas de negócios, lançamentos de materiais e passeios. Tudo isso ao mesmo tempo que acontece a feira de turismo e negócios. 

O espaço do evento se divide em três espaços: No primeiro salão encontram-se exposições de diversos lugares. Há estandes de todas as partes do Brasil e, ainda, de países vizinhos. Participam da Feira, inclusive, representantes do Nepal. Há vários espaços instagramáveis. Por exemplo, o estande do Rio de Janeiro. Nele, trouxeram uma caixa enorme, espelhada, dentro da qual os visitantes visualizam atividades diversas, inclusive o carnaval no sambódromo.  

Da mesma forma, quem atravessa esse primeiro salão adentra o segundo espaço, dedicado às empresas que oferecem os mais diversos serviços, desde hotéis e serviços relacionados à hotelaria até passeios, cruzeiros, meios de locomoção, como teleféricos, para mencionar alguns. Nesse salão estão estandes de importantes parceiros do festival, como o Sebrae. Enfim, esse segundo espaço concentra os negócios voltados ao turismo.  

Por fim, chega-se ao último salão, onde se localizam o espaço inovação, no qual são gravados podcasts, a Arena das Instâncias Governamentais Regionais do Paraná – Arena IGR, onde cada região do estado mostra um pouco de seus produtos. Um espaço para rodadas de negócios e outro para o Fórum de Turismo. E também, o estande das vencedoras do Hackatour, que esse ano aconteceu em setembro. Como prêmio elas conseguiram apoio para criar a Ctur, que é uma startup de soluções em turismo. 

Abertura da 17ª edição do Festival das Cataratas

Apesar de o Festival ser no centro de convenções do Hotel Rafain Palace, a abertura aconteceu no Hotel Carimã, na última noite do mês (quarta-feira, 30). Estiveram presentes na mesa de honra representantes de nove instituições públicas e privadas, incluindo o vice-governador do Paraná, Darci Piana, e o diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, Anatalício Risden Junior, que propôs um tipo de desafio que seria tornar a cidade de Foz do Iguaçu o primeiro destino de turistas internacionais. Um dos acontecimentos importantes da noite também foi a entrega do troféu amigo do festival a alguns dos participantes da mesa de honra (imagem em destaque).

Antes da cerimônia de abertura, alguns participantes inscritos puderam participar da Imersão Smart Cities. Evento que foi promovido pelo Parque Tecnológico Itaipu – Brasil ou das reuniões institucionais, que aconteceram ao mesmo tempo, por aproximadamente cinco horas, durante à tarde. 

O Festival das Cataratas 

O evento ainda acontece nessa quinta (1/12) e sexta-feira (2/12), durante todo o dia. Veja a programação no site do evento e, abaixo, as fotos da cerimônia de abertura. 

Festival 2 Festival 3

PTI-BR e Itaipu Binacional comemoram dia Nacional da Onça-Pintada na Escola Municipal Padre Luigi

dia da onca

A ação ocorreu no dia (1) deste mês, e contou com várias oficinas de conscientização sobre a importância da conservação e preservação da biodiversidade. 

 

A iniciativa educacional em comemoração ao Dia Nacional da Onça-pintada, que é considerada símbolo da fauna brasileira e da conservação da biodiversidade, é uma parceria do Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR) com a Itaipu Binacional através do Convênio Educação Ambiental, Ciência e Sustentabilidade II. 

A ação aconteceu na Escola Municipal Padre Luigi Salvucci, localizada na Vila C, e tem como objetivo principal sensibilizar os alunos e mostrar de forma lúdica a importância da conservação desse animal para a biodiversidade. 

Através de uma exposição interativa e divertida, proporcionada a cerca de 400 estudantes do ensino fundamental I, os participantes conheceram um pouco mais sobre as características físicas da onça-pintada, a importância do seu papel ecológico para a conservação da natureza e como podemos, de forma prática, contribuir para que deixe de ser uma espécie vulnerável, conforme a classificação da União Internacional para Conservação da Natureza e IBAMA. 

Segundo a coordenadora pedagógica, Vera Lúcia Bueno, projetos e parcerias como esses, são de extrema importância, “as atividades são essenciais de serem mostradas na prática, pois os alunos interagem com muito mais entusiasmos e curiosidades”. 

Essa ação faz parte da agenda ambiental do convênio, sendo uma forma de fortalecer o vínculo com a comunidade e também de informar e divulgar as temáticas socioambientais junto ao entorno dos espaços educadores da Itaipu Binacional. 

“O evento contou com a colaboração e parceria da União Dinâmica de Faculdades Cataratas – UDC Vila A, e o Parque Nacional do Iguaçu (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade – ICMBio) com a disponibilização de materiais” destacou Janaina Matinc Claro, assistente educacional do PTI-BR. 

 

29 de novembro 

Considerado o maior felino das américas, a onça-pintada, tem sua maior população no Brasil, é símbolo da conservação da biodiversidade brasileira. 

Na Mata Atlântica é onde essa espécie corre o maior risco de extinção devido a perda de habitat natural, principalmente pela caça. Dona da mordida mais potente entre os felinos, a espécie é capaz de escalar e viver no alto das arvores. 

Dessa forma, com o objetivo de incentivar as reflexões sobre a conservação desse importante mamífero, o Ministério do Meio Ambiente instituiu o Dia Nacional da Onça-pintada, celebrado desde 2018 em 29 de novembro. 

Dia da onçaDia da onça

Dia da onça

PTI-BR desenvolve dashboard para monitoramento epidemiológico

Dashboard

 

O objetivo é monitorar as análises de águas residuais, gerados pelo projeto Remonar, para auxiliar no monitoramento da covid-19. 

 

A equipe do centro de competências TA.DT- Tecnologias Abertas e IoT do Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR), desenvolveu um dashboard para contribuir com o monitoramento da covid-19. O painel possibilita o monitoramento dos dados epidemiológicos, de esgoto sanitário, por meio de análise de águas residuais, gerados pelo projeto Remonar, que é uma parceria com a Universidade Federal do ABC. 

O objetivo do projeto é utilizar o dashboard como uma vitrine de resultados, sendo possível ampliar as medidas em prevenção e contribuir com órgãos de saúde pública no combate a covid-19. 

O painel foi construído utilizando a ferramenta Power BI, onde se pode implementar a etapa de tratamento de dados na Power Query. Contaram ainda com o suporte da equipe de UX/UI e Design durante as reuniões de alinhamento para o desenvolvimento de um layout que pudesse ser facilmente integrado ao site do projeto. 

A demanda atendida pela equipe de Analytics do Tecnologias Abertas e IoT, utilizou as ferramentas de BI da Microsoft (Power BI e Power Query), “foi um desafio no início, mas fiquei bastante satisfeita com o resultado que obtivemos, porque além do desenvolvimento também aplicamos um treinamento aos bolsistas demandantes. Hoje, já podemos observar que a equipe demandante acrescentou novas abas de visualizações e conseguiram incluir novos dados, o que valida as entregas da equipe” destacou a instrutora Thays Resende Achucarro. 

Segundo o desenvolvedor Gabriel Belo Dias, foi uma experiência incrível atuar no projeto Remonar, “foi possível aplicar nossos conhecimentos em uma nova ferramenta e uma base de dados que não é tão usual, estou muito feliz com a entrega do resultado final”, relatou. 

 

Criação do dashboard 

 

Com as extrações e visualizações de dados, a equipe de Analytics do centro TA.DT tem como objetivo principal orientar os usuários a extrair o real valor dos seus dados, produzindo as informações valiosas de artefatos que apresentam dados padronizados, de forma a permitir a identificação de padrões e tendências. 

Promoveram os treinamentos a fim de capacitar as equipes e usuários para que possam, de forma independente, aplicar na prática os dados e realizar tarefas de análise e visualização de dados.  

Segundo o professor Matheus Ribeiro Augusto da UFABC, foi fundamental a participação e a criação do dashboard para a divulgação dos dados adquiridos no projeto. “Estes dados são muitos úteis para as secretarias de saúde e vigilância epidemiológica, para concluir os dados clínicos, além de agregar informações dos diversos grupos participantes do projeto, facilitando o trabalho em rede”, relatou. 

Concluiu explicando a importância do dashboard para facilitar a visualização geral e a interpretação das referências, permitindo que os participantes do projeto e a população em geral, tenha acesso de forma rápida e clara sobre a presença viral nos esgotos das regiões monitoradas.  

“O dashboard passou a ser uma ferramenta central no nosso projeto, e isso contribui diretamente para a tomada de decisões das autoridades, com informações claras sobre aumento e diminuição da presença viral nessas regiões, finalizou. 

 

Sobre o projeto Remonar 

 

O projeto é uma parceria com a UFABC, juntos fazem o monitoramento epidemiológico, por meio de amostras de águas residuais (esgoto sanitário). Com início em junho de 2020 em plena pandemia, o projeto foi proposto para atender as necessidades de rastrear e antecipar a propagação da infecção por covid-19. 

As análises de águas residuais, são usadas para detectar precocemente a covid-19 em uma comunidade. O vírus pode ser detectado nas fezes, logo após serem infectados ou mesmo antes de apresentarem os sintomas. Ao testar as águas residuais, é possível medir a quantidade do vírus e identificar se os níveis estão aumentando ou diminuindo. Sendo um alerta precoce do aumento de casos. 

Ao chegar nos laboratórios, as amostras são analisadas através das técnicas de Biologia molecular para identificar a presença e variante do SARS-CoV-2 (vírus que causa covid-19). 

O monitoramento não substitui os testes tradicionais, mas pode fornecer uma visão mais ampla da covid-19. Com os testes e monitoramento, as autoridades locais de saúde pública podem usar essas informações para tomar as decisões necessárias para ajudar a retardar a propagação da doença em suas comunidades.  

Empresas do setor elétrico realizam testes na plataforma RTDS do Parque Tecnológico Itaipu

RTDS

Plataforma de simulação RTDS do Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR) é a segunda maior da América Latina. 

 

As empresas GI Energy e Chesf estão realizando uma série de testes no Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR) utilizando o RTDS (Real Time Digital Simulator), uma plataforma digital de simulação de sistemas elétricos em tempo real. 

A GI Energy atua na prestação de serviços de construção, montagem de subestações e linhas de transmissão de alta-tensão nos setores de energia (geração, transmissão, distribuição) e na indústria. A Chesf (Companhia Hidrelétrica do São Francisco) é concessionária de um dos maiores sistemas de geração e transmissão de energia elétrica do Brasil, especialmente na região nordeste do Brasil.  

As empresas buscaram o PTI-BR para desenvolvimento do Serviço Técnico Tecnológico (STT) para testes com a plataforma RTDS no sistema de proteção de barras da Subestação Campina Grande III, que é composto por 25 bay units e uma unidade central.  

De acordo com o engenheiro do Centro de Gestão Energética (GE.DT) do PTI-BR, Guilherme Justino explicou que “O objetivo da utilização da plataforma RTDS é colocar o sistema de proteção nas mesmas condições que ele estará submetido quando instalado em campo e, assim, realizar diversas perturbações como curtos-circuitos e verificar o desempenho do sistema de proteção”. 

 

Segundo maior da América Latina 

A infraestrutura de simulação do PTI recebeu, no ano passado, uma atualização por meio de um convênio com a Itaipu Binacional. Após o upgrade, o PTI-BR não só expandiu de forma significativa a capacidade da instalação original do simulador como o equipamento também passou a ser o segundo maior da América Latina.  

A atualização, além de permitir maior capacidade de processamento e uma representatividade mais fiel dos sistemas modelados, dando mais confiança aos resultados dos testes realizados, também possibilitou a ampliação do atendimento de demandas realizadas as demais empresas do setor elétrico. “A execução do STT com GI Energy e Chesf só foi possível devido a essa expansão. Com a nova plataforma de simulação o PTI-BR tem uma capacidade de executar novos ensaios, os quais demandam a validação de uma grande quantidade de equipamentos”, contou Guilherme. 

 

Expertise 

Um dos diferenciais que o Parque Tecnológico conta é a experiência e expertise da equipe, somada a infraestrutura e capacidade do RTDS. Segundo o gestor do GE, Tales Jahn, o desenvolvimento de todas as etapas do serviço é realizada sempre em conjunto com o cliente. “Durante os testes em laboratório, o centro oferece todo o suporte para a conexão dos equipamentos ao RTDS e executa os testes previstos conforme a solicitação. As etapas de delimitação de escopo, desenvolvimento do modelo, e definição da lista de eventos, são sempre apresentadas e definidas em conjunto com nossos clientes”, destacou.  

 

Parque Tecnológico Itaipu – BR promove o “Novembro da Segurança da Informação e da Proteção dos Dados Pessoais” 

Parque Tecnológico Itaipu - BR entrega kits contendo materiais sobre Segurança da Informação
Os colaboradores foram conscientizados e tiveram acesso, ao longo de todo mês de novembro, à numerosas recomendações e boas práticas voltadas para a segurança da informação. Tais recomendações contemplaram, ainda, a proteção de dados pessoais. 

Mês passado aconteceu o “Novembro da Segurança da Informação e da Proteção dos Dados Pessoais”. As palavras do diretor superintendente, general Eduardo Garrido marcaram a abertura das atividades no Parque Tecnológico Itaipu – BR. Dessa forma, ele convidou todos “a refletirem quanto a necessária conscientização voltada à adoção de condutas pessoais e de boas práticas de segurança da informação”. 

Primeiramente, foram apresentadas as conclusões do Relatório de Tratamento de Dados Pessoais da Fundação para diretores e colaboradores. Assim, a partir dessa atividade, vídeos, cartilhas e outros materiais orientativos, tratando de variado tema ligado à segurança da informação e proteção de dados pessoais, foram diariamente publicados nas mídias sociais internas. A atividade finalizou-se então com a entrega de kits contendo materiais impressos, distribuídos, propositalmente, no dia 30 de novembro, data em que se comemora o “Dia Internacional da Segurança da Informação”.  

Nesse mesmo dia, realizou-se o lançamento da página “Segurança da Informação e Proteção de Dados Pessoais” junto à plataforma SharePoint da Fundação. E isso possibilitará que todos os colaboradores possam ter permanente acesso ao variado acervo de normas, boas práticas e dicas sobre o tema. 

Participação do Parque Tecnológico Itaipu – BR na SegInf 2022

Por fim, o Centro de Competência de Segurança Cibernética (SC.DT) contribuiu apoiando a 5ª edição da Semana da Segurança da Informação (SegInf 2022). O Centro elaborou e coordenou a realização da competição de hacker ético chamada Capture The Flag (CTF). Esse verdadeiro desafio aos participantes, que devem desvendar problemas de segurança da informação, marcou o encerramento do mês.  

Ao mesmo tempo, realizaram, também, uma demonstração de um caso real de evento cibernético em ambiente industrial. A atividade resultou de estudos e pesquisas desenvolvidas, contribuindo com medidas de prevenção.  

A SegInf 2022 é uma atividade inserida no calendário anual da ITAIPU, por ela organizada, mediante execução pela Superintendência de Informática, com o apoio das Assessorias de Compliance, de ambas as margens, e da SC.DT. 

Veja algumas imagens das ações:

X Workspot reúne especialistas internacionais para falar sobre produção de energia

X Workspot cigre Brasil
O evento acontece entre os dias 27 e 30 de novembro, no hotel Bourbon em Foz do Iguaçu. 

No mês que a Cigré-Brasil completa 51 anos, acontece a segunda parte do X Workspot, em Foz do Iguaçu. A primeira foi online, em novembro de 2021, marcando, portanto, o cinquentenário da empresa. Uma vez que a 10ª edição foi preparada desde 2019, e, nesse ínterim, o vírus SARS-CoV-3 impediu muitas coisas, o evento foi dividido para que não deixasse de acontecer.  

Sendo assim, o Workspot, evento que já acontece desde 1999, reúne, nesse ano, mais de 280 participantes de diversos países. Tem representantes dos países da América do Sul (Argentina, Paraguai, Uruguai e Colômbia) e da Europa (Holanda, Alemanha, Suíça e Escócia). Além disso, inscreveram-se 80 empresas para tratar de temas relacionados à produção, armazenamento e distribuição de energia. Nessa segunda etapa acontecem diversos tutoriais, informes técnicos (em plenárias e sessões de pôster), além de exposições técnicas, durante as quais será possível, também, ampliar o networking dos envolvidos.

O evento acontece durante essa semana, tendo iniciado no domingo (27) e com encerramento no último dia de novembro. O domingo marcou a abertura do evento e da feira, e por um coquetel. Na segunda, acontecem quatro tutoriais e uma mesa redonda. E, nos dois dias seguintes, acontecem as 70 apresentações técnicas de pesquisadores nacionais e internacionais. Além das apresentações orais, também será realizado, no dia 30, uma sessão de apresentação de posters. 

O evento ainda conta com a participação de especialistas de renome internacional. Assim, os últimos dois dias de evento dividem-se em duas seções simultâneas, envolvendo quatro diferentes Comitês de Estudos, da seguinte forma: uma com o Comitê de Estudo A2 (transformadores), já mencionado, e D1 (materiais e tecnologias emergentes). A outra seção, por sua vez, com os Comitês A3 (equipamentos de alta tensão) e B3 (subestações).

Parque Tecnológico Itaipu – Brasil e Itaipu Binacional participam do X Workspot Cigré-Brasil 

O Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR) participa com um estande, junto à Itaipu Binacional, divulgando o trabalho realizado, ou seja, os resultados do desenvolvimento de tecnologias emergentes em relação a produção de energia. E, nesse sentido, com uma participação mais expressiva, o engenheiro eletricista do PTI-BR, Guilherme Nabeyama, apresentará uma pesquisa relacionada ao Comitê de Estudos A2, que se refere a transformadores. Para o técnico do PTI “participar desse evento é uma grande oportunidade para mostrar o que o Parque Tecnológico tem feito de pesquisa e desenvolvimento. Além disso, também podemos comparar nosso trabalho com o de tantas outras empresas que investem no tema”. 

O título da sua pesquisa é “Solução de sistema embarcado para o monitoramento e diagnóstico de transformadores de potência” e, por ela, Guilherme apresenta uma solução personalizável para monitorar e diagnosticar transformadores de potência, fornecendo os principais diagnósticos do ativo. É possível identificar, por exemplo, características como fator de aceleração do envelhecimento, hotspot, potência aparente, taxa de geração de gases no óleo, entre outras. 

A abertura do evento 

O X Workspot iniciou à tarde, com o credenciamento dos participantes. Em seguida, às 19h, foi apresentado um vídeo das empresas patrocinadoras. Depois, o mestre de cerimônias explicou que o evento já superou as expectativas de participantes e falou sobre o que acontecerá nos próximos dias. Convidou para se dirigir à mesa de solenidades o sr. Roberto Asano Junior, representando o diretor presidente da Cigré-Brasil e o sr. David Rodrigues Krug, diretor técnico executivo da Itaipu Binacional, que representou o diretor geral brasileiro da Itaipu Binacional, para a cerimônia de abertura. Além deles também esteve presente o coordenador geral do X workspot, o engenheiro Alexandre Leite e o sr. Cristiano Gianini, representante da TDM. 

Cada um dos convidados falou sobre o evento, comentando sobre o desafio de seu acontecimento causado pela pandemia. Agradeceram a participação de todos e o apoio dos patrocinadores que não se recusaram a adiar o evento mais de uma vez. O sr. Krug, em seu discurso, falou sobre os desafios do Brasil em relação às novas fontes de energia renovável e os papeis das hidrelétricas no país. Também falou sobre o que está por vir, como carros elétricos disponíveis a todos, microrredes, entre outras novas tecnologias relacionadas à energia.  

Por fim, foi sublinhado o cuidado que a organização teve para escolher os trabalhos a serem apresentados, e como os tutoriais serão realizados por especialistas da área. Depois de uma homenagem aos palestrantes da parte online do evento, o mestre de cerimônias convidou a todos para um coquetel de boas-vindas e conexão.  

Os próximos dias de evento: 

Na segunda-feira, pela manhã, os participantes interessados em visitar a Itaipu Binacional se inscreveram no estande. Ainda pela manhã aconteceram três tutoriais e, após o jogo do Brasil na Copa do Mundo, inicia-se o último tutorial às 15h. O dia acaba com um Happy Hour após a mesa redonda sobre vida útil regulatória de equipamentos, com a participação de representantes da ABRATE, ANEEL, ONS e outros representantes de fabricantes de equipamentos. 

Na terça e quarta-feira, enfim, realizam-se as apresentações dos trabalhos do comitê de estudos, divididos em duas salas. Serão sete sessões com cinco apresentações diferentes, que se encerram com um ciclo de perguntas. No dia 29 também acontece uma sessão de posters com seis participantes além da feira técnica. O dia acaba então com um jantar de confraternização entre os participantes. O último dia do evento é marcado por uma cerimônia de encerramento. Após o encerramento, os participantes que se inscreveram poderão participar de uma visita técnica à Itaipu. 

Veja como foi a abertura do evento: 

Exohub CITA é inaugurado na ACIFI e fortalece o empreendedorismo na cidade

inauguração exohub
Parque Tecnológico Itaipu – BRASIL (PTI-BR), junto à Associação Comercial e Empresarial de Foz do Iguaçu (ACIFI) e ao ExoHub inauguram, nessa quinta-feira (24), o Centro de Inovação e Tecnologia ACIFI, ou seja, o Exohub CITA.  

Um Hub de inovação concentra, principalmente, oportunidades de conexões entre pessoas, empresas e universidades, tendo a missão de transformar um ambiente físico, fornecendo ferramentas necessárias para o desenvolvimento do empreendedor e seus negócios. No caso do Exohub CITA, esses resultados serão alcançados com a união de três pilares: investimento, conhecimento e networking. Nesse ecossistema, será possível validar e consolidar programas, produtos e serviços resultantes de inovação aberta e investimentos.  

O evento se concentra na promoção do Exohub CITA, destacando os pilares estratégicos e os eixos de atuação regional, especialmente, os atores do Centro Integrado de Desenvolvimento Regional. E estiveram presentes representantes da Prefeitura e da Câmara de vereadores de Foz do Iguaçu. Além do presidente da ACIFI, alguns representantes do SICOOB, da FACIAP, do CODEFOZ e de diversas entidades representativas de Foz do Iguaçu, totalizando aproximadamente 100 convidados. 

Parcerias em busca da inovação 

O espaço terá como objetivo a promoção de inovações focadas nas verticais de transformação digital, saúde, comércio exterior e logística. Além disso, esse novo Hub de inovação e tecnologia de Foz do Iguaçu conectará todo um ecossistema de especialistas em gerar negócios e potencializar resultados.  De acordo com o diretor de negócios e inovação do PTI-BR, Rodrigo Regis, “a gente busca mudança. E para mudar é necessário sonhar e ousar realizar esse sonho. Assim, acreditamos que a inovação é o melhor caminho para atingirmos esse objetivo”. 

O diferencial do Exohub CITA será sua metodologia única, que irá acelerar empresas e instituições que buscam network, inovação aberta e internacionalização. Mas, não menos importante, também oferecerá acesso ao mercado de corporate venture capital. Em relação a isso, Michel Costa afirma que “a nossa ideia, dentro do Exohub CITA, é poder oferecer, não só a conexão entre grandes corporações e startups, mas também recursos necessários, por meio de fundos de investimento, investimento anjo, corporate venture capital e nossas venture builders que poderão suportar o financiamento desses projetos. Então, um ecossistema de inovação maduro, que gera resultados, também é composto pelo capital privado que investe em boas ideias, transformando-as em realidade, escalando-as em nível global”. 

Nesse sentido, Danilo Vendrusculo, presidente da ACIFI, acredita que “A cultura da inovação está cada vez mais presentes nos mais diferentes segmentos da economia iguaçuense. Com o Exohub CITA, teremos um espaço localizado estrategicamente em um complexo que abriga instituições da iniciativa privada e poder público no centro da cidade. Juntos, vamos atrair novos investidores e diversificar a economia do município. E, assim, tornar a cidade referência em inovação e empreendedorismo em segmentos fundamentais para o desenvolvimento socioeconômico de Foz do Iguaçu”. 

Inauguração do Exohub CITA 

Às 14h já havia chegado uma grande parte dos convidados. Estiveram por algum tempo fazendo conexões e atualizando as informações, antes do início da cerimônia. Logo começaram as falas dos representantes do Exohub, Michel Costa, da ACIFI, Danilo Vendruscolo e do PTI-BR, Rodrigo Regis. Esse falou sobre o sucesso da inauguração do espaço e como ele foi planejado. 

“Ter sucesso é saber que pelo menos uma pessoa respirou melhor, porque você existiu. O que estamos realizando aqui, ao longo desses dois anos e meio de construção, vai mudar a vida de pessoas. Foi nessa mesma sala que, durante a pandemia, lançamos o programa Acelera Foz, pelo qual começamos a trabalhar a união entre a necessidade das empresas, com a capacidade dos estudantes, oferecendo bolsas, inclusive com o apoio da Itaipu Binacional”, afirmou Rodrigo Regis, diretor de negócios e inovação do PTI.  

Portanto, esse novo Hub criará oportunidades para concretizar os projetos planejados em conjunto pelas instituições parceiras, e pelas mantenedoras Cibiogás, H2O e Totvs. E, ainda, possibilitará a execução dos eventos que movimentam a agenda do ecossistema de inovação do oeste do Paraná. Nove empresas já são residentes desse espaço. 

O evento continuou com a assinatura do termo de cooperação entre as empresas envolvidas. Depois os representantes registraram o momento com fotos oficiais e, enfim, foi oferecido um coquetel para os convidados que puderam assistir ao jogo do Brasil pela Copa do Mundo 2022. 

Veja abaixo o espaço Exohub CITA e imagens do evento: 

7 Digital Tech comemora parceria de sucesso no projeto PIUE

914c15e8 9231 4b4f a9a1 720703612575

Projeto é uma parceria entre o Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR), Itaipu Binacional, Sebrae, empresas e universidades da região. 

 

Beneficiando cerca de 200 alunos a ingressarem no mercado de trabalho, o Programa Integração Universidade e Empresa (PIUE) encerra sua 4ª edição. Uma parceria entre Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR), Itaipu Binacional, Sebrae, empresas e universidades da região. 

Participante da quarta edição do Programa, a 7 Digital Tech Soluções Digitais comemora parceria com o Parque Tecnológico Itaipu, com programação voltada para a criação de soluções inovadoras, a fim de revolucionar o dia a dia do agronegócio. 

A empresa iniciou suas atividades em 2018 com grande experiência na criação e desenvolvimento de soluções digitais para empresas, proporcionando serviços personalizados com os melhores resultados e as melhores práticas do mercado digital. Especializada no desenvolvimento WordPress e Woocomerce, com sites institucionais, e-commerce e ferramentas multiprocessos como Gmetrix. 

 

Projeto Avetools 

 

O projeto contou com dois bolsistas do curso de engenharia de software, que estruturaram um banco de dados, definindo sensores e gateways (portais de comunicação) que serão utilizados em granjas, testando a ferramenta para medir amônia, em ambiente alinhado com a Coopavel. E trabalharam no envio das informações obtidas para a nuvem, por meio de API (Application Programming Interface) e Rapberry (“mini-computador”). 

Segundo a CEO da 7 Digital Tech Soluções Digitais, Rosemeire Silva Bueno de Lima, o projeto foi pensado para sanar os principais problemas de manejo em aves de corte. “O dispositivo tem função de auxiliar o produtor a incentivar o consumo de água das aves para o esvaziamento do trato intestinal no pré-abate e o manejo durante os dias alojados aumentando a conversão”, afirmou. 

Através do dispositivo de IOT, são capturados dados sensíveis da ambiência (temperatura, umidade do ar, concentração de amônia, consumo de água, consumo de ração/conversão e atividade na granja) que são enviados para rede, conectando produtor, técnico e indústria. 

De acordo com o bolsista, Leonardo Feliciano, a importância e objetivo do projeto é, além de captar os dados, mudar padrões do mercado de aviários de como conhecemos hoje. “Tem me proporcionado inúmeros momentos que eu não esperava. Tenho aprendido muito rapidamente, o que me fez estar muito mais adiantado do que a grade curricular da faculdade em si. É um mundo totalmente diferente, no qual é possível juntar o aprendizado à experiência”, disse. 

 

 

BRDE e Parque Tecnológico Itaipu assinam acordo para investimentos em inovação no oeste

BRDE e Parque tecnológico itaipu
Objetivo é fomentar a economia da região por meio de apoio a projetos de inovação, customizando créditos com as linhas de financiamento do BRDE. Além disso, busca-se expandir possibilidades para pequenos, médios e grandes empreendedores.

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e o Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR) assinaram, nesta sexta-feira (18), um acordo de cooperação técnica com a finalidade de abrir novos investimentos em projetos ligados à inovação no oeste do Paraná. Ela aconteceu durante o evento Governo 5.0, em Foz do Iguaçu.

Para o vice-governador Darci Piana, a parceria com BRDE e PTI com os municípios será fundamental para aumentar as ações de sustentabilidade na região. “O Paraná cresce de maneira organizada, porque trabalha unido. Esse termo de cooperação ajudará a fomentar ainda mais a economia do Estado”, afirmou.

O acordo de cooperação técnica visa fomentar a economia da região por meio de apoio a projetos de inovação, customizando créditos com as linhas de financiamento do BRDE, além de expandir possibilidades para pequenos, médios e grandes empreendedores. Dessa forma, o PTI, com sua expertise na área de tecnologias, se propõe a divulgar e apoiar os projetos.

“O BRDE é o maior e melhor banco de desenvolvimento do Sul do País, e já atende 95% dos municípios. Até setembro desse ano, o BRDE financiou investimentos da ordem de R$ 78,5 milhões na área de inovação, sendo que R$ 49,4 milhões são de projetos do Paraná”, disse o presidente do BRDE, Wilson Bley Lipski. “Esse é um foco que não podemos perder”.

“A assinatura desse acordo com o BRDE é uma iniciativa muito importante, porque estreita os laços que já temos com o banco. Além disso, abre uma nova porta de créditos e recursos para os ambientes de inovação do Oeste do Paraná.”, comentou o diretor administrativo-financeiro do PTI, Flaviano da Costa Masnik. “Acreditamos que esse acordo trará muitos frutos para o Estado, pelo qual estaremos sempre trabalhando juntos pelo seu desenvolvimento.”

Objetivos do acordo entre BRDE e Parque Tecnológico Itaipu

Com a assinatura, o BRDE consolida seu papel de desenvolvimento social e econômico. Ela é semelhante a outras parcerias firmadas neste ano. Em novembro, foi pactuado um acordo com o Cilla Tech Park, em Guarapuava. O parque tecnológico de quarta geração reúne 14 organismos e empresas, universidades, em articulação com a realidade regional e agendas globais. Em agosto, foi firmada uma parceria com o Biopark, parque tecnológico de Toledo, com 131 empresas, um ecossistema de negócios e tecnologias inovadoras.

O banco também promove o desenvolvimento da Região Sul, por meio da inovação em programas como BRDE Labs, que acelera projetos de startups para soluções de empresas em diversos setores. Outra iniciativa do BRDE com recursos do CAF (Banco de Desenvolvimento da América Latina e Tecnopuc (Parque Científico e Tecnológico PUCRS) é o programa “Dev The Devs”, gratuito e online, para formação inicial de desenvolvedores de escolas da rede pública, para 2.100 alunos do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Fonte: BRDE

Verifique as imagens da assinatura:

Projeto de microrrede na região oeste do Paraná conquista Prêmio CIER de Inovação 2022  

Prêmio Cier de inovação 2022
O anúncio ocorreu durante o 57º Encontro de Altos Executivos, realizada entre 15 e 16 de novembro, em Assunção (Paraguai). 

O Parque Tecnológico Itaipu – Brasil (PTI-BR), em parceria com a Itaipu Binacional, CIBIogás e a Copel, receberam, nesta semana, a primeira colocação no prêmio CIER de Inovação 2022, na categoria Descentralização. O reconhecimento foi concedido internacionalmente pela Comissão de Integração Energética Regional (CIER).  O anúncio ocorreu durante o 57º Encontro de Altos Executivos, realizada entre 15 e 16 de novembro, em Assunção (Paraguai).   

Com o título “Implantação real de microrrede em sistema de distribuição 34,5 KV: experiência do projeto Microrrede Colombari”, o projeto que é inédito no Brasil foi implantado na região oeste do Paraná, tendo seu início de operação em setembro de 2021 na Granja Colombari, localizada em São Miguel do Iguaçu. A propriedade, que foi pioneira na produção de energia elétrica a partir do biogás gerado com os dejetos da suinocultura, recebeu, no ano passado, a implantação de uma microrrede integrada à rede de distribuição da Copel. 

O prêmio foi concedido de acordo com a avaliação de uma Comissão Técnica, composta por especialistas de diferentes instituições do setor elétrico. O grupo avaliou como os projetos adotam as práticas de transformação digital, inovação tecnológica e inovação aberta. Além da categoria descentralização também foram premiados projetos nas áreas de descarbonização, digitalização e plataforma de inovação, com ganhadores do Peru, Paraguai, Colômbia, Uruguai e Panamá. 

Estiveram presentes no momento da entrega do troféu, representando o PTI-BR, o diretor-administrativo financeiro, Flaviano Masnik e a pesquisadora do Centro de Gestão Energética, Liz Rosana Alvarez Ferreira, que realizou a apresentação do projeto. 

Prêmio Cier de inovação
                                              Momento em que a pesquisadora do Centro de Gestão Energética, Liz Rosana Alvarez Ferreira, apresentou o projeto ao público presente no evento.
Reconhecimento 

Para Flaviano Masnik, o resultado reconhece a atuação de todas as instituições envolvidas no projeto com o desenvolvimento de soluções inovadoras para os desafios energéticos da região e do setor elétrico brasileiro. “Para o Parque Tecnológico esse é mais um resultado que demonstra e reforça o trabalho do PTI-BR como Instituto de Ciência e Tecnologia em sua temática de energia. O prêmio representa um importante incentivo para continuarmos propondo novas soluções para o setor, além da possibilidade de reprodução da iniciativa em outros locais e com diferentes fontes de energia”, afirmou o diretor-administrativo do PTI-BR. 

Para Liz Ferreira, os resultados obtidos são fruto do esforço e a dedicação de todos os envolvidos. “Através deste projeto se validou tecnicamente que uma microrrede consegue atender de forma isolada outras unidades consumidoras.  A expectativa é que nos próximos anos já exista uma regulamentação para o tema microrredes e que ela consiga se expandir em todo o país. É importante destacar que a infraestrutura laboratorial da FPTI-BR passou por um processo de modernização em 2021, aumentando a sua capacidade em termos de simulação e interface com equipamentos externos, assim, a proposição de outros arranjos de microrredes podem ser avaliadas no laboratório, contribuindo para a consolidação desse novo cenário ao sistema elétrico brasileiro, ressaltou a pesquisadora. 

 

Prêmio Cier de Inovação Prêmio Cier de Inovação Prêmio Cier de Inovação